Publicidade
20/01/2018
Login
Entrar

DC Turismo

06/01/2018

Codemig assume Thermas Antônio Carlos

Expectativa é de que o empreendimento possa ser concedido para exploração pela iniciativa privada
Daniela Maciel
Email
A-   A+
O Thermas Antônio Carlos atrai 30 mil turistas a cada ano/Divulgação
A partir do dia 15 de janeiro, a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) assume a administração das Thermas Antônio Carlos, em Poços de Caldas, no Sul de Minas. A medida, anunciada em setembro de 2016, não deve interferir no funcionamento do balneário, que vai continuar recebendo turistas e moradores e oferecendo cerca de 20 procedimentos e atrativos, como banhos termais, limpeza de pele, massagens, drenagem linfática, bambuterapia, sauna e duchas. O horário de funcionamento será mantido de terça-feira a domingo, de 9 horas às 20 horas. A Codemig trabalha agora em um plano de transição para o balneário e a expectativa é que o empreendimento possa ser concedido para exploração pela iniciativa privada.

Desde 1990, o espaço era gerido pela Prefeitura Municipal de Poços de Caldas.  Segundo a Secretaria de Turismo do município, os 60 colaboradores que trabalhavam nas Thermas Antônio Carlos já foram realocados em outros postos de trabalho na Prefeitura. Por ano o balneário recebe cerca de 30 mil visitantes.

A mudança de gestão das Thermas segue o exemplo do que aconteceu com o Parque das Águas de Caxambu, também no Sul de Minas, que, desde de 1º de outubro de 2017, está sob administração da Codemig. A Companhia tem assumido a gestão de outros empreendimentos de sua propriedade, tendo criado, inclusive, uma Coordenação de Balneários. O objetivo, de acordo com nota emitida pela assessoria de comunicação da Codemig, é fomentar o desenvolvimento econômico da região, valorizando, também, o bem-estar da população.

Na época, o investimento estimado para a revitalização do espaço foi de cerca de R$ 11 milhões. Até agora, foram realizadas ações como: pintura geral dos meios-fios, passeios e escadas de todo o parque; reforma das quadras de tênis e vôlei e do parque de brinquedos; limpeza diária de todas as fontes e dos sanitários do parque; desobstrução da tubulação de água do gêiser, normalizando o fluxo diário de água; revisão da parte elétrica das fontes, com reparo de tomadas, troca de lâmpadas e elevação do quadro de força da quadra de tênis, mitigando riscos de choques; renovação de sinalização dos portões de acesso; manutenção das calçadas; limpeza geral do gramado e dos jardins e vigilância e segurança contínuas.

“A Codemig também manteve a política de acesso ao parque para os cidadãos de Caxambu, quanto a horário de entrada, valores de ingresso e volume de água disponível, por exemplo. Pontuamos que a operacionalização completa do Parque depende da realização de perícia judicial, o que se dará após o recesso forense”, informa a nota.

O processo de seleção de um parceiro privado para a exploração do parque já começou. A licitação para constituição de Sociedade em Conta de Participação (SCP) destinada à exploração do negócio de águas minerais nas unidades de Caxambu e Cambuquira, teve o pregão presencial realizado no dia 27de dezembro na sede da Codemig, em Belo Horizonte. A empresa aguarda agora que transcorram os prazos legais.

“Salientamos que essa licitação não busca privatizar fontes e parques e, sim, estabelecer uma parceria produtiva com sócio apto a assegurar a execução do serviço com qualidade, em benefício de Minas Gerais e dos mineiros. A iniciativa do governo estadual é importante para viabilizar os negócios e potencializar seu dinamismo, além de ampliar o público-alvo das águas minerais e valorizar a eficiência na prestação dos serviços à população. A Codemig procura, assim, maximizar o retorno econômico para o Estado e a sociedade, considerando sempre a gestão eficiente dos recursos públicos”, destaca o documento.

Antes de lançar a licitação, a Codemig realizou prévia consulta pública sobre o tema, entre os dias 7 e 23 de fevereiro de 2017. O objetivo foi ouvir sugestões e comentários a respeito do projeto licitatório para selecionar parceiro privado com expertise no ramo de alimentos e/ou bebidas, visando ao fortalecimento das marcas mineiras de água mineral e à manutenção de sua presença no mercado.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

20/01/2018
Trade turístico contrata temporários e intermitentes
Só a Gi Group Brasil fechou 2017 com mais de 5 mil recolocações
20/01/2018
Grutas da Rota Peter Lund ganham nova iluminação
A pré-história de Minas Gerais já pode ser vista sob um novo olhar. As grutas da Rota Lund, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), ganharam novo projeto de...
13/01/2018
12 municípios ganham "portais de entrada"
Convênios, no valor de R$ 360 mil, têm como foco incentivar o turismo, transmitindo boas-vindas a quem chega
13/01/2018
Grupo Rio Quente, controlado pela Algar, conclui aquisição da Costa do Sauípe
O Grupo Rio Quente, que administra o complexo turístico Rio Quente, na cidade de mesmo nome, em Goiás - pertencente à holding Algar, sediada em Uberlândia, no...
06/01/2018
Trilhas brasileiras garantem muita aventura
Está comprovado: o Brasil é número um em recursos naturais, de acordo com relatório do Fórum Econômico Mundial, e destino certo para o viajante que procura...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.