Publicidade
21/09/2017
Login
Entrar

Internacional

06/09/2017

Colômbia pede a extinção de propriedades da Odebrecht

Companhia envolvida em escândalo
ABr
Email
A-   A+
Bogotá - A Procuradoria-Geral da Colômbia pediu que a Promotoria comece o processo de extinção de propriedade da construtora Odebrecht, envolvida em um escândalo de corrupção no país. A informação é da agência EFE.

O Ministério Público disse, por meio de um comunicado, que “solicitou o início do processo de extinção de propriedade sobre os bens da multinacional brasileira Odebrecht, envolvida no escândalo de corrupção pela licitação da Rota do Sol, irregularidades do contrato para a recuperação da navegabilidade do rio Magdalena e o crédito do Banco Agrário”.

Além disso, a Procuradoria pediu “a adoção de medidas cautelares para assegurar os bens que sejam submetidos a extinção de propriedade, que deverão ser depositados junto à Sociedade de Ativos Especiais para preservar o interesse geral e assegurar a eficácia da Justiça”.

A Procuradoria sustentou a sua petição nas atividades “ilícitas realizadas na Colômbia pela empresa Odebrecht para se beneficiar indevidamente de contratos de obras públicas oferecidas pelo Estado colombiano, contrárias à lei colombiana”.

Na petição, a entidade anexou uma lista dos possíveis bens da Odebrecht que possam ser objeto de extinção de propriedade, que inclui 15 contas bancárias, 29 subcontas e 15 prédios.

Para o procurador-geral, Fernando Carrillo, é “inaceitável que a Odebrecht queira continuar à frente dos contratos, pois, ainda que na Colômbia não exista a responsabilidade penal das pessoas jurídicas, o que estamos buscando, esses senhores merecem uma sanção social e corporativa”.

Devido ao escândalo de corrupção da Odebrecht, a Procuradoria-Geral tem oito linhas de investigação que comprometem funcionários do Banco Agrário, Agência Nacional de Infraestrutura, Empresa de Aqueduto e Rede de Esgoto de Bogotá, assim como quatro ex-ministros.

As propinas pagas pela construtora brasileira para garantir a entrega de contratos na estrada Rota do Sol II totalizaram 84 bilhões de pesos (cerca de US$ 27,72 milhões ou R$ 89,3 milhões).

Prisões - Em consequência desse caso, até o momento foram detidos o ex-vice-ministro de Transporte, Gabriel García Morales, o ex-senador Otto Bula, e o ex-assessor do ANI, Juan Sebastián Correa, além dos empresários Enrique e Eduardo Ghisays, César Hernández e Gustavo Urrego. Também está na prisão o senador governista Bernardo Miguel “Ñoño” Elías.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/09/2017
Federal Reserve mantém taxa de juros
Por outro lado, o banco central dos EUA sinalizou que ainda realizará um aumento neste ano
21/09/2017
OCDE aponta em relatório que o crescimento global pode ter fôlego curto
Paris - Um impulso no crescimento econômico global terá fôlego curto, a menos que governos gastem mais em projetos para reforçar a produtividade e conduzam reformas que...
21/09/2017
Brasil assina acordo para proibir as armas nucleares
Nova York - O Brasil assinou ontem o Tratado para Proibição de Armas Nucleares. O presidente Michel Temer foi o primeiro a assinar o texto, seguido por líderes de 42...
20/09/2017
Trump ameaça a Coreia do Norte na Assembleia Geral da ONU
Presidente dos EUA fala em destruir país asiático
20/09/2017
Câmara da União Europeia cobra abertura de mercado na China
Pequim - A Câmara de Comércio da União Europeia na China afirmou ontem esperar que a nova liderança que sairá da reunião do Partido Comunista chinês...
› últimas notícias
Integração deve gerar US$ 600 milhões ao ano à Vale
Fiemg apresenta plano para o Alto Paranaíba
3Corações e Toko: sem ato de concentração
Thyssenkrupp e Tata anunciam a criação de joint venture europeia
Venda de fatia da Alpargatas é concluída
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:

Cadastrar
› Mais Lidas
Usiminas reajustará preços em 10,2%
Setor de mineração deve mudar o foco dos investimentos
BR Food cogita reduzir produção em fábricas de Uberlândia
Crise econômica impacta o financiamento estudantil
Fiemg apresenta plano para o Alto Paranaíba
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


22 de September de 2017
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.