22/07/2018
Login
Entrar




Finanças

06/07/2018

Com foco no Fed, dólar fecha em alta; Ibovespa recua após tombo da Embraer

Reuters
Email
A-   A+
São Paulo - O dólar encerrou em alta ontem, no maior patamar em mais de dois anos e a caminho da casa de R$ 3,95, com o foco na cena externa devido à divulgação da ata do Federal Reserve, banco central norte-americano, pela qual foi reforçada a percepção de mais elevações nos juros neste ano.

Com o avanço, os investidores também acreditavam que o Banco Central (BC) brasileiro deve voltar a atuar com mais força no mercado de câmbio. O dólar avançou 0,55%, a R$ 3,9344 na venda, maior nível de fechamento desde 1º de março de 2016 (R$ 3,9411), e depois de ir a R$ 3,9416 na máxima do pregão. O dólar futuro tinha alta de cerca de 0,50%.

Ata do Fed - “O Fed colocou que os riscos se intensificaram para a economia dos Estados Unidos (EUA), mas, em princípio, continuará subindo os juros”, afirmou o diretor da consultoria Wagner Investimentos, José Faria Júnior.

Os banqueiros centrais dos Estados Unidos discutiram se há uma recessão próxima e expressaram preocupações de que as tensões no comércio global poderiam atingir a economia norte-americana, que, pela maioria dos indicadores, parecia forte, mostrou a ata da reunião realizada em 12 e 13 de junho, divulgada ontem.

No encontro passado, o Fed elevou as taxas de juros pela segunda vez este ano. De modo geral, a expectativa é de que os juros sejam elevados mais duas vezes em 2018. Taxas mais elevadas tendem a atrair à maior economia do mundo recursos aplicados hoje em outras praças financeiras, como a brasileira.

“(O mercado) tende a ser defensivo”, afirmou Faria Jr., lembrando que serão divulgados mais dados sobre mercado de trabalho dos Estados Unidos, conhecidos como “payroll”, o que também será importante para que os investidores calibrem as apostas sobre juros.
Ainda no exterior, os mercados também estavam atentos à guerra comercial e ao prazo desta sexta-feira (6), quando os Estados Unidos devem adotar taxas sobre produtos chineses, o que deve gerar retaliações da China como resposta.

O Banco Central brasileiro ofertou e vendeu integralmente 14 mil swaps tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares, para rolagem dos contratos que vencem em agosto, no total de US$ 14,023 bilhões.

Com isso, rolou o equivalente a US$ 2,8 bilhões do total que vence no próximo mês. Como tem feito recentemente, o BC não anunciou intervenção extraordinária no mercado de câmbio para o pregão de ontem, mas já havia especulações de que pode voltar a atuar, a qualquer momento, devido à alta cotação da moeda norte-americana.

Ibovespa –  O Ibovespa fechou em queda ontem, encerrando uma sequência de cinco pregões de ganhos, com o tombo de mais de 14% das ações da Embraer entre as maiores pressões negativas, após a fabricante de aviões anunciar acordo para uma joint venture de aviação comercial com a Boeing.

O principal índice de ações da B3 caiu 0,25%, a 74.553 pontos. O volume financeiro somou R$ 8,7 bilhões.

Profissionais da área de renda variável atribuíram o recuo a alguma realização de lucros, após o Ibovespa acumular alta de 5,85% nos pregões anteriores, enquanto o noticiário político-eleitoral e a agenda macroeconômica não trouxeram novidades relevantes.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/07/2018
Governo reduz projeção de crescimento do País
Em novo documento, estimativa para avanço do PIB sofreu corte significativo, saindo de 2,5% para 1,6%
21/07/2018
Dólar despenca e tem maior recuo semanal em 5 meses
São Paulo - O dólar despencou e foi abaixo de R$ 3,80, na sexta-feira (20), com os investidores respirando mais aliviados diante da cena eleitoral doméstica e sob...
21/07/2018
Caixa pode receber R$ 1,8 bi da União
São Paulo - A Caixa Econômica Federal receberá neste ano uma capitalização de R$ 1,8 bilhão de seu controlador, o governo federal, com recursos de...
21/07/2018
Alocação de recursos ainda será discutida
Brasília - O ministro do Planejamento, Esteves Colnago, disse, na sexta-feira (20), que o governo decidirá até o fim deste mês onde irá alocar os R$ 666,6...
20/07/2018
Dinheiro lidera meios de pagamento
Apesar de uso ter caído em 5 anos, cédulas e moedas ainda são as preferidas da população
› últimas notícias
Exportações de soja devem ser recorde no próximo ano
Renovação da concessão da EFVM pode ser resolvida na Justiça
Pessimismo aumenta na indústria mineira
Minas mantém sequência de superávit
Brasil fecha 661 vagas com carteira assinada
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


21 de julho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.