17/07/2018
Login
Entrar




Agronegócio

11/04/2018

Conab prevê segunda maior safra, mesmo com queda

Email
A-   A+
A soja, em fase de colheita, tem estimativa de alta de 0,8%/Ednilson Santos Barbosa/Divulgação
São Paulo - A produção brasileira de grãos na safra 2017/18 deverá alcançar 229,53 milhões de toneladas, o que corresponde a uma queda de 3,4% em comparação com a safra recorde do período anterior 2016/17, que foi de 237,67 milhões de toneladas. Os números fazem parte do 7º Levantamento da Safra de Grãos 2017/2018, da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), e foram divulgados ontem.

Apesar do decréscimo, o número é ainda bastante elevado: 3,492 milhões de t superior ao levantamento anterior, de março. Conforme relatório da Conab, o desempenho é “resultado do avanço da colheita da soja e do milho primeira safra, que tem confirmado boas produtividades e uma estimativa maior da área de milho segunda safra”. “Apesar de esse resultado ser 3,4% menor que o da última safra, o Brasil deve colher a segunda maior safra da história”, diz a Conab.

Já a produtividade recorde da safra passada, que foi beneficiada por um excelente clima, não se repetiu agora, mesmo com a situação climática considerada boa na maioria das regiões produtoras.

Produtos - A soja é a maior responsável pelo bom desempenho da produção. A leguminosa, em fase final de colheita, deve alcançar 114,96 milhões de toneladas, aumento de 0,8% ante a safra anterior (114,08 milhões de t).

A primeira safra de milho deve atingir 25,60 milhões de t, queda de 9,4% em comparação com o período anterior (30,46 milhões de t). A segunda safra de milho (de inverno) está projetada em 63,02 milhões de t (queda de 6,5% ante as 67,38 milhões de t da safra passada). Desse modo, o total da safra do cereal em 2017/18 deve alcançar 88,62 milhões de t, queda de 9,4% ante o período anterior (97,84 milhões de t).

O algodão em pluma novamente marca presença neste levantamento, com uma produção de 1,86 milhão de toneladas, que representa 21,8% a mais do que a safra anterior (1,53 milhão de t).

A primeira safra de feijão está projetada em 1,27 milhão de t, queda de 6,7% em relação à safra anterior (1,36 milhão de t). O feijão segunda safra obteve bom desempenho e deve alcançar 1,29 milhão de toneladas, com aumento de 7,3% (1,20 milhão de t na safra 2016/17). A terceira safra da leguminosa está projetada em 812,4 mil t, queda de 3% ante o período anterior (837,7 mil t). As três safras anuais de feijão devem render um total de 3,37 milhões de t, leve queda de 0,9% em comparação com a safra 2016/17, que foi de 3,40 milhões de t.

Leia também:
Levantamento do IBGE aponta recuo de 4,7%
CNA propõe reajustes em preços do café e trigo

Área de plantio -
Conforme a Conab, as culturas de soja e milho primeira safra estão em fase final de colheita. A área estimada sinaliza um aumento de 0,8% comparado ao período anterior, atingindo 61,38 milhões de hectares. Na ordem de ganho absoluto da área plantada, aparece primeiro a soja, com 1,2 milhão de hectares, seguida do algodão (205,6 mil ha) e feijão segunda safra (115,4 mil ha), com destaque para a espécie caupi.

Com os ganhos obtidos, a área total da soja ficou em 35 milhões de hectares. Outros destaques em relação à área foram o milho segunda safra (total de 11,5 milhões de ha), o milho primeira safra (5 milhões), o feijão segunda safra (1,5 milhão) e o algodão (1,1 milhão).

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

17/07/2018
Produtores devem renegociar dívidas
Após revogação do Refis, pelo governo, indicação é de que procurem instituições financeiras
17/07/2018
Tempo seco e quente ameça a safra de trigo no Paraná
São Paulo - A previsão de tempo seco e temperaturas acima da média pelas próximas duas semanas acende o sinal de alerta para a safra de trigo do Paraná, o...
17/07/2018
China vai impor tarifas extras sobre importações de açúcar
Pequim - A China irá impor tarifas extras sobre importações de açúcar fora de cotas, o que será válido para produtos de qualquer origem a partir...
17/07/2018
Com bloqueio nas estradas e embargo da Rússia, exportações recuaram 18,9%
São Paulo - As exportações d e carne suína do Brasil no primeiro semestre de 2018 totalizaram 278,3 mil toneladas, uma queda de 18,9% ante as 343,3 mil toneladas de...
14/07/2018
Faturamento com produtos mineiros cai 5,9%
No primeiro semestre, os negócios movimentaram R$ 3,72 bilhões, com recuo de 11,6% no preço médio
› últimas notícias
Prado Shopping não deve ser inaugurado até 2020
MPF pede cassação de fase 3 do Minas-Rio
Arrecadação estadual registra redução de 13,4%
Produção de minério de ferro da Vale recua em Minas Gerais
Vale D'ouro investe R$ 15 mi para atender mercado externo
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


17 de julho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.