Publicidade
21/11/2017
Login
Entrar

Finanças

17/02/2017

Contas públicas: déficit primário deve atingir R$ 149,5 bilhões

Agência Brasil
Email
A-   A+
Brasília - Instituições financeiras consultadas pelo Ministério da Fazenda aumentaram a previsão de déficit primário do governo central, formado por Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central. De acordo com a estimativa, as despesas serão maiores que as receitas (sem considerar gastos com juros) em R$ 149,589 bilhões, contra R$ 148,358 bilhões previstos no mês passado. A projeção está acima da meta de déficit perseguida pelo governo de R$ 139 bilhões.

A estimativa consta na pesquisa Prisma Fiscal, elaborada pela Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda, com base em informações do mercado financeiro. O resultado foi divulgado ontem em Brasília. Para 2018, a estimativa das instituições financeiras é déficit de R$ 125 bilhões.

A projeção da arrecadação das receitas federais este ano subiu de R$ 1,345 trilhão, previsto em janeiro, para R$ 1,351 trilhão, na pesquisa divulgada ontem. Para 2018, a estimativa é R$ 1,455 trilhão, ante R$ 1,458 trilhão previsto anteriormente.

Para a receita líquida do governo central a estimativa para este ano é R$ 1,151 trilhão, ante R$ 1,160 trilhão previstos no mês passado.

No caso da despesa total do governo central, a projeção passou de R$ 1,312 trilhão para R$ 1,309 trilhão.

A pesquisa apresenta também a projeção para a dívida bruta do governo central, que, na avaliação das instituições financeiras, deve ficar em 76,20% do Produto Interno Bruto (PIB). A previsão anterior era 76,8% do PIB. Para 2018, a estimativa ficou em 79,62% do PIB, ante 80,40% previstos no mês passado.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/11/2017
IBC-Br atinge o maior nível desde 2015
Indicador do Banco Central avançou 0,40% em setembro e acumula uma alta de 0,43% neste ano
21/11/2017
Mercado europeu tem sessão de ganhos
São Paulo - As principais bolsas da Europa fecharam em alta ontem, mesmo com a instabilidade política observada na Alemanha após a chanceler Angela Merkel não...
21/11/2017
Cotação do bitcoin bate recorde e chega a US$ 8,263 mil
São Paulo - O bitcoin voltou a quebrar mais um recorde ontem e ultrapassou os US$ 8 mil, chegando à cotação máxima de US$ 8.263,01, de acordo com a CoinDesk,...
18/11/2017
Índice Bovespa volta a subir e fecha a semana em alta
Bolsa paulista valorizou 1,28% na sexta-feira
18/11/2017
Grupo vai discutir crédito para o varejo
São Paulo - O presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, se comprometeu a montar um grupo de trabalho com o objetivo de buscar soluções ao alto custo de crédito...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.