Publicidade
21/09/2017
Login
Entrar

Economia

14/09/2017

Contorno de BH entrará em nova licitação

AE/Reuters
Email
A-   A+
Brasília- O diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Jorge Bastos, afirmou ontem que o próximo concessionário da BR-40 terá entre as obrigações, construir o contorno de Belo Horizonte. A agência avalia mudanças no trecho a ser relicitado, após a Invepar anunciar que irá entregar a concessão.

Antes mesmo da devolução, o governo já vinha realizando estudos que apontarão, por exemplo, qual o melhor desenho para a rodovia Uma ideia é juntar esse trecho devolvido com outro trecho da BR-040, entre Juiz de Fora e Rio de Janeiro, hoje com a Concer, com contrato vencendo em 2021. O diretor disse que os estudos apontarão a melhor forma de oferecer a rodovia aos novos concessionários.

Alguns técnicos avaliam, por outro lado, que a junção dos dois trechos resultaria numa concessão longa demais. Por isso, existe também a possibilidade de oferecer dois segmentos menores.

A concessão também será alterada porque o novo concessionário terá de construir o contorno de Belo Horizonte. “Esse é um problema sério”, afirmou Bastos.

Os investimentos já realizados pela Via 040 integrarão o valor de outorga. Ou seja, serão indenizados pelo novo concessionário.

De acordo com a ANTT, o trecho da BR-040 entre Brasília e Juiz de Fora (MG) continuará a ser operada pela Via 040 até que seja novamente leiloada, provavelmente no ano que vem. No entanto, a concessionária será desobrigada de realizar obras de duplicação. Por isso, as tarifas de pedágio cairão. Atualmente, um automóvel de passeio que percorra todo o trecho paga R$ 58,30 em tarifas de pedágio.

“Vai ter de reduzir”, disse Bastos. Ele afirmou que a concessão não conseguiria se reequilibrar mesmo se o governo já tivesse editado a Medida Provisória (MP) que permitirá alongar o prazo para realizar as obras de duplicação dos atuais cinco anos para até 14 anos. “Estava muito difícil”, afirmou. “A devolução foi a melhor opção para eles.”
O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil informou na última terça-feira que a MP será editada até o final desta semana. Bastos disse ontem que o texto está pronto.

A Lei das Concessões aprovada este ano diz que, uma vez devolvida, a concessão continua sendo operada pelo concessionário até ser transferida a outro grupo econômico. Nesse período, ela é liberada das obrigações mais pesadas. “Não vai ter obra nova”, explicou o diretor. Porém, a Via 040 deverá manter serviços como socorro médico e mecânico. Também terá de manter o asfalto em boas condições.

Venda - O Funcef, fundo de pensão dos funcionários da Caixa Econômica Federal, pode se desfazer de sua fatia na Invepar se receber uma proposta que considere adequada pela empresa de concessões de infraestrutura, disse à Reuters o diretor de Administração do fundo, Antonio Augusto de Miranda.

“Pode ser uma saída total da Invepar, desde que uma proposta inclua o retorno atuarial esperado para o ativo”, disse o diretor, ressalvando que até agora não há discussão de uma oferta de um investidor nesse sentido.

Nos últimos meses, a mídia tem veiculado que há interessados em comprar a fatia de 24,4% detida na Invepar pela construtora OAS, que está em recuperação judicial.

Entre as propostas mencionadas estaria a compra das fatias de Funcef, da Previ, fundo de pensão do Banco do Brasil; e da Petros, da Petrobras, que juntas detêm 75 % da Invepar. Outra proposta envolveria injeção de recursos de investidor, o que diluiria a participação dos demais sócios. A Reuters publicou em fevereiro que o fundo Mubadala estava negociando a compra de participação na Invepar e injetar capital novo na companhia.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/09/2017
Integração deve gerar US$ 600 milhões ao ano à Vale
Centro de Operações fica na RMBH
21/09/2017
Fiemg apresenta plano para o Alto Paranaíba
Para as ações essenciais apresentadas no projeto são necessários investimentos de R$ 420 milhões
21/09/2017
3Corações e Toko: sem ato de concentração
São Paulo - O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) não reconheceu ato de concentração na compra pelo grupo 3Corações das marcas...
21/09/2017
Thyssenkrupp e Tata anunciam a criação de joint venture europeia
Essen - A alemã Thyssenkrupp e a Tata Steel uniram ontem suas operações siderúrgicas europeias em um acordo preliminar que deve criar a segunda maior...
21/09/2017
Venda de fatia da Alpargatas é concluída
São Paulo - A Alpargatas informou, por meio de fato relevante, que a Itaúsa (holding de investimentos do Itaú), Cambuhy Investimentos (fundo da família Moreira Salles)...
› últimas notícias
Integração deve gerar US$ 600 milhões ao ano à Vale
Fiemg apresenta plano para o Alto Paranaíba
3Corações e Toko: sem ato de concentração
Thyssenkrupp e Tata anunciam a criação de joint venture europeia
Venda de fatia da Alpargatas é concluída
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:

Cadastrar
› Mais Lidas
Usiminas reajustará preços em 10,2%
Setor de mineração deve mudar o foco dos investimentos
BR Food cogita reduzir produção em fábricas de Uberlândia
Crise econômica impacta o financiamento estudantil
Fiemg apresenta plano para o Alto Paranaíba
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


22 de September de 2017
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.