Publicidade
20/01/2018
Login
Entrar

Internacional

15/11/2017

Crescimento da China desacelera

Reuters
Email
A-   A+
Pequim - A economia da China desacelerou mais no mês passado, com a produção industrial, o investimento em ativos fixos e as vendas no varejo abaixo das expectativas conforme o governo combate os riscos à dívida e a poluição das indústrias.

Pequim já está no segundo ano de uma campanha para reduzir os altos níveis de dívida com as autoridades preocupadas que as práticas de empréstimo mais arriscadas, especialmente no setor imobiliário, possam prejudicar a economia.

Os dados divulgados ontem sugerem que as autoridades estão fazendo progresso em neutralizar os riscos financeiros afastando a dependência do país do crédito barato, e sinalizou crescimento moderado nos próximos trimestres.

A produção industrial subiu 6,2% em outubro sobre o ano anterior, informou a Agência Nacional de Estatísticas, contra expectativa de analistas de ganho de 6,3% e alta de 6,6% em setembro.

Ativo fixo - O crescimento do investimento em ativo fixo também desacelerou para 7,3% no período entre janeiro e outubro, de 7,5% nos nove primeiros meses. Analistas esperavam aumento de 7,4%.

“A moderação nos dados de atividade divulgados ontem sugere que o crescimento desacelerou em outubro e amplia nossa convicção de que continuará assim nos trimestres à frente”, escreveram analistas do Nomura em nota a clientes.

O crescimento do investimento imobiliário também enfraqueceu para 5,6% em outubro na base anual, de 9,2% em setembro, calculou a Reuters com base nos dados da agência de estatísticas.

Já as vendas no varejo avançaram 10% em outubro sobre o mesmo período do ano anterior, contra alta esperada de 10,4% e abaixo do crescimento de 10,3% visto em setembro.

O investimento em ativo fixo do setor privado ficou em 5,8% entre janeiro e outubro, de 6% nos nove meses encerrados em setembro.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

20/01/2018
Paralisação federal não muda o rating
Agência de classificação Fitch diz que nota AAA se mantém, apesar de ameaça de interrupção no governo
19/01/2018
Demanda do País deve ter 1ª alta desde 2014
Previsão do relatório mensal da Opep para o Brasil em 2017 prevê consumo de 30 mil barris/dia ante 2016
19/01/2018
Petrobras espera mesma produção neste ano
Londres - Para este ano, a Opep manteve a projeção de produção de 3,50 milhões de bpd pelo Brasil. A estabilidade da expectativa da oferta, porém, embute...
18/01/2018
Brasil não paga organismos estrangeiros
Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão confirma que contas são quitadas com atraso
17/01/2018
Discussão partidária sobre imigração quase para governo federal
Congresso e Casa Branca têm embate político
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.