Publicidade
24/04/2018
Login
Entrar

DC Franquia

12/01/2018

Crise não afetou investimentos em inovação

Daniela Maciel
Email
A-   A+
A inovação está no próprio surgimento do setor de franquias e segue como diferencial apontado com um dos motivos para o bom desempenho em 2017, ano marcado pela crise macroeconômica. A Pesquisa de Inovação nas Franquias Brasileiras, anunciada pela Associação Brasileira de Franchising (ABF) e desenvolvida pela Fundação Dom Cabral (FDC) e Confederação Nacional de Serviços (CNS), revela que do total de empresas franqueadoras pesquisadas, 91,8% introduziram algum novo produto ou serviço entre 2014 e 2016 - seja na própria empresa, no mercado nacional (57,3%) ou mundial (11,1%) - e apenas 8,2% delas não o fizeram. Dentre as empresas que se mantiveram inovadoras, 37,4% realizaram mudanças significativas em seus modelos de negócios no Brasil e 6,9% delas no exterior.

De acordo com o presidente e fundador da CNS, Luigi Nese, a crise fez com que as empresas fossem obrigadas a buscar soluções, inclusive na inovação. “A inovação é um dos cernes do setor. Em tempos de crise é um fator importante para a melhoria do desenvolvimento da tecnologia e da qualidade dos serviços. É uma questão de necessidade. O franchising, tenho certeza, é um dos setores que mais fez com que a crise fosse menos intensa. As pessoas buscam alternativas e encontraram nas franquias uma delas”, afirma Nese.

Ainda quanto às iniciativas criativas que levaram à inovação, 45% das empresas respondentes implantaram equipamentos, técnicas ou softwares novos na empresa, e 32,2% delas no mercado brasileiro, entre 2014 e 2016.

A pesquisa também revela que, apesar da crise, as franquias mantiveram os investimentos em inovação, o que se mostrou fundamental para a manutenção do crescimento e rentabilidade dos negócios: 50,7% concordaram plenamente e 28,7% parcialmente que a inovação ampliou sua participação no mercado. Já para 43,1% delas, houve plena concordância de que as iniciativas inovadoras aumentaram sua rentabilidade, enquanto que 41,8% concordaram parcialmente com essa afirmação.



Segundo o assessor econômico da CNS, Fernando Garcia Freitas, o importante da inovação é trazer resultados econômicos, dando sustentabilidade ao negócio. E ela pode se apresentar sob diversas formas como o lançamento de produtos e/ou serviços, mudanças nos métodos organizacionais, produtivos ou de processos, por exemplo.

A atividade inovadora depende de condições como: capacidade financeira para que haja investimento; estrutura como a existência de departamentos de pesquisa e inovação (P&D) ou estabelecimento de parcerias; e, principalmente, estar na estratégia do negócio, sendo vista como ferramenta estratégica de desenvolvimento.

“Esse é um momento de depuração dos negócios. Entre 2007 e 2014, no auge do crescimento econômico, as empresas estavam preocupadas em produzir e vender. Com a volta da inflação foi preciso investir em eficiência, melhorando os processos, diminuindo custos e cuidando da gestão. O investimento em inovação demonstra isso. A maioria introduziu alguma inovação pra si ou mercado. Adaptação também foi uma estratégia importante”, analisa Freitas.

As redes de franquias têm uma grande oportunidade para investir mais em estruturas de desenvolvimento: 50,5% das empresas respondentes possuem um responsável pela gestão da inovação e 42,5% delas dispõem de um centro de P&D. Porém, por sua característica colaborativa, ser estruturado em rede, promover a troca constante de informações entre franqueador e franqueado, o franchising mantém o motor da inovação em marcha interagindo com seus públicos.

Para o presidente da ABF, Altino Cristofoletti Junior, a inovação no setor é abrangente e tende a promover parcerias. “No franchising a inovação não é disruptiva, é incremental, trabalhando melhorias. É abrangente porque pensa em produtos, processo, modelos, logística. E é promovida por meio de parcerias e trocas de experiência, destacando a questão central do franchising que é a interdependência entre franqueador e franqueado”, avalia Cristofoletti Junior.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

22/02/2018
Clube de Permuta estima movimentar R$ 60 milhões
Rede projeta somar 20 unidades em todo o País ainda este ano
22/02/2018
Multicoisas vai abrir 35 lojas em 2018
De acordo com o gerente de expansão da Multicoisas, rede de franquias do setor de negócios, serviços e produtos especializada na comercialização de...
22/02/2018
Kumon planeja inaugurar mais 10 escolas em Minas
O Kumon, rede de franquia educacional, com mais de 1.400 unidades espalhadas por cerca de 550 cidades brasileiras, reforça a expansão em Minas. De acordo com o gerente de...
07/02/2018
Meta da Buddys é chegar a 50 escolas
30 delas devem ser inauguradas ainda no primeiro semestre, as demais até dezembro
07/02/2018
Cheirin Bão vai valorizar pequenos produtores
Cafés tão distintos e de edição limitada que valem a pena esperar por eles e conhecer a sua história são a nova aposta de franquia de café especial...
› últimas notícias
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


24 de abril de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.