Publicidade
26/04/2018
Login
Entrar

Internacional

13/04/2018

Crise na Venezuela não será tratada em texto da Cúpula das Américas

Reuters
Email
A-   A+
Lima - Sem conseguir consenso para uma declaração final nos últimos três encontros, os negociadores da Cúpula das Américas trocaram o texto presidencial por um compromisso centrado apenas em corrupção, em que o tema central da região, a crise na Venezuela, não será tocado, disseram à Reuters fontes do governo brasileiro.

O acordo sobre corrupção está sendo vendido pelos negociadores como se fosse a declaração final, mas, em vez de incluir assuntos diversos importantes para os países da região, como a crise na Venezuela, ela irá se concentrar apenas no tema da cúpula escolhido pelo Peru, país anfitrião.

“Não vai ter uma declaração adotada por consenso. Preferimos um compromisso sobre o tema em que há consenso”, disse uma das fontes.

O chamado Compromisso de Lima lista pontos em que enfatiza a necessidade de autonomia para as instituições que investigam corrupção, a troca de informações entre países da região e de tecnologia para investigação, em um texto negociado nas últimas semanas para não causar atritos.

Constantemente cercada por polêmicas, a cúpula não tem uma declaração presidencial final há três edições, desde 2005, em Mar del Plata. A falta de consenso em temas como, por exemplo, a participação de Cuba nas cúpulas - vetada até 2009 pelos Estados Unidos - ou a situação venezuelana deixaram transparente as divisões regionais.

Na última cúpula, a insistência do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, de incluir um parágrafo condenando um decreto dos Estados Unidos que tratava seu país como ameaça à segurança americana acabou com o consenso nos minutos finais do encontro.

Venezuela - Desta vez, a decisão foi de nem ao menos tentar uma declaração ampla. Sobre a crise na Venezuela, disse uma das fontes, pode haver uma discussão na plenária dos presidentes, na manhã de sábado.

Uma outra fonte brasileira confirmou à Reuters que o grupo de Lima poderá divulgar por si uma declaração. Formado por Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Honduras, México, Panamá, Paraguai, Peru, Guiana e Santa Lucia, o grupo tem ocupado o espaço mais crítico à situação da Venezuela que a Organização dos Estados Americanos (OEA) tem tido dificuldade de fazer pelas divisões internas.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

26/04/2018
Evo Morales pode intervir em polêmica da Unasul
Brasil e mais 5 países suspenderam recentemente participação no bloco
26/04/2018
Camex libera tratativas para ação na OMC
São Paulo - Os ministros da Câmara de Comércio Exterior (Camex) autorizaram por unanimidade o início das tratativas de abertura de contencioso junto à...
25/04/2018
EUA e França buscam solução para impasse envolvendo o Irã
Em reunião com Macron, Trump não revelou se manterá país em pacto
25/04/2018
Protecionismo dos Estados Unidos já atrapalha investimentos globais
Londres - A incerteza gerada pelas tarifas comerciais dos Estados Unidos (EUA) já está prejudicando os investimentos na economia global e pode causar sérios danos ao...
20/04/2018
Díaz-Canel assume presidência do país
Eleito é o primeiro governante fora da dinastia Castro a comandar nação em quase 60 anos
› últimas notícias
Incertezas do Brasil e juros dos EUA levam o dólar a subir
Porto de Santos atinge nível recorde no movimento de cargas em março
Confiança do consumidor sobe só 0,3%
Caixa retoma 1.089 imóveis em Minas
Santander reduz juros anuais para 8,99%
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


26 de abril de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.