17/07/2018
Login
Entrar




Internacional

13/04/2018

Crise na Venezuela não será tratada em texto da Cúpula das Américas

Reuters
Email
A-   A+
Lima - Sem conseguir consenso para uma declaração final nos últimos três encontros, os negociadores da Cúpula das Américas trocaram o texto presidencial por um compromisso centrado apenas em corrupção, em que o tema central da região, a crise na Venezuela, não será tocado, disseram à Reuters fontes do governo brasileiro.

O acordo sobre corrupção está sendo vendido pelos negociadores como se fosse a declaração final, mas, em vez de incluir assuntos diversos importantes para os países da região, como a crise na Venezuela, ela irá se concentrar apenas no tema da cúpula escolhido pelo Peru, país anfitrião.

“Não vai ter uma declaração adotada por consenso. Preferimos um compromisso sobre o tema em que há consenso”, disse uma das fontes.

O chamado Compromisso de Lima lista pontos em que enfatiza a necessidade de autonomia para as instituições que investigam corrupção, a troca de informações entre países da região e de tecnologia para investigação, em um texto negociado nas últimas semanas para não causar atritos.

Constantemente cercada por polêmicas, a cúpula não tem uma declaração presidencial final há três edições, desde 2005, em Mar del Plata. A falta de consenso em temas como, por exemplo, a participação de Cuba nas cúpulas - vetada até 2009 pelos Estados Unidos - ou a situação venezuelana deixaram transparente as divisões regionais.

Na última cúpula, a insistência do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, de incluir um parágrafo condenando um decreto dos Estados Unidos que tratava seu país como ameaça à segurança americana acabou com o consenso nos minutos finais do encontro.

Venezuela - Desta vez, a decisão foi de nem ao menos tentar uma declaração ampla. Sobre a crise na Venezuela, disse uma das fontes, pode haver uma discussão na plenária dos presidentes, na manhã de sábado.

Uma outra fonte brasileira confirmou à Reuters que o grupo de Lima poderá divulgar por si uma declaração. Formado por Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Honduras, México, Panamá, Paraguai, Peru, Guiana e Santa Lucia, o grupo tem ocupado o espaço mais crítico à situação da Venezuela que a Organização dos Estados Americanos (OEA) tem tido dificuldade de fazer pelas divisões internas.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

17/07/2018
Tecnologia e parceria em aviação devem pautar debates dos Brics
Reunião será no fim de julho, na África do Sul
17/07/2018
Trump e Putin destacam diálogo e propõe reforço à cooperação bilateral
São Paulo - Após uma reunião em Helsinque, os presidentes dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, e da Rússia, Vladimir Putin , elogiaram o “diálogo...
14/07/2018
Trump quer acordo com Reino Unido
Após criticar premiê britânica em entrevista, presidente dos EUA voltou atrás em plano
14/07/2018
Fed mantém expectativa de altas de juros
Pequim - O superávit comercial da China com os Estados Unidos (EUA) atingiu um recorde em junho, quando as suas exportações totais cresceram a um ritmo sólido,...
14/07/2018
Fed mantém expectativa de altas de juros
Washington - O crescimento econômico dos Estados Unidos foi sólido durante o primeiro semestre do ano e o Federal Reserve (Fed) continua a esperar altas graduais dos juros, afirmou...
› últimas notícias
Prado Shopping não deve ser inaugurado até 2020
MPF pede cassação de fase 3 do Minas-Rio
Arrecadação estadual registra redução de 13,4%
Produção de minério de ferro da Vale recua em Minas Gerais
Vale D'ouro investe R$ 15 mi para atender mercado externo
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


17 de julho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.