Publicidade
21/11/2017
Login
Entrar

DC Turismo

12/03/2017

Curaçao recebeu 38.744 visitantes em janeiro

Email
A-   A+
Klein Curaçao (foto) é uma pequena ilha do Mar das Caraíbas que pertence administrativamente a Curaçao/Luciana Montes
São Paulo - O CTB (Curaçao Tourist Board) e o Ministério do Desenvolvimento Econômico utilizaram o “Modelo Turistika” para calcular o impacto econômico gerado pela indústria do turismo no primeiro mês de 2017. O “Modelo Turistika” é um acordo de cooperação de longo prazo entre o Ministério do Desenvolvimento Econômico e o CTB, com a participação da SEO Amsterdam Economics, fundada a partir da Faculdade de Economia da Universidade de Amsterdam.

Desse modo foi apurado um aumento de 2,8% no impacto direto para a economia local.
Um impacto direto de US$ 51,2 milhões foi gerado para a economia local, sendo que no ano passado o impacto foi de US$ 49,8 milhões no mesmo período. Do total, 53,3% do impacto direto gerado partiu de visitantes europeus que corresponde a US$ 27,4 milhões. As regiões norte-americana, sul-americana entre outras geraram, respectivamente, US$ 12,8, US$8,5 e US$2,5 milhões.

O total de gasto por visitante é derivado do número de noites na ilha, enquanto o crescimento para a economia local é devido ao fato de que os visitantes da região europeia ficaram mais tempo na ilha.

Curaçao acolheu 38.744 visitantes em janeiro de 2017, uma queda de 7% em relação ao mesmo mês do ano passado, sendo que metade de todos os visitantes tiveram como origem a Europa com um total de 19.300 visitantes. Inseridos nesse número estão Holanda e Alemanha que registraram resultados positivos.

A chegada de visitantes da América do Norte diminui 4%, o que em números absolutos significam 8.406 visitantes norte-americanos. A região detém 21,7% de participação de todos os visitantes de Curaçao em janeiro, e é a segunda maior região em desembarques na ilha.

Embora todos os mercados da América do Sul apresentem crescimento significativo, a queda de 50% nos turistas provenientes da Venezuela, causou uma queda de 22% para esta região. Em janeiro foram recebidos um total de 7.808 visitantes da América do Sul, enquanto que do Caribe foi registrado um aumento de 2% no número de visitantes, ou mais 2.273.

No primeiro mês de 2017, Curaçao acolheu um total de 14.993 visitantes da Holanda, um aumento de 1% em relação a janeiro de 2016. Os visitantes da Holanda ficaram mais tempo e viajaram com famílias maiores do que no ano anterior. A média de noites por visitante em janeiro de 2017 a partindo da Holanda foi de 12,2 noites por pessoa.

O número de estadias dos visitantes Alemães registrou um aumento de 11%, contando com 1.831 visitantes, em janeiro de 2016 foram recebidos 1.656.

O CTB registrou um total de 8.406 visitantes da América do Norte em janeiro de 2017, classificando a região como a segunda maior fonte de visitantes neste mês.

A sazonalidade na indústria do turismo foi melhor demonstrada pelo Canadá, que durante a estação mais fria de dezembro a março, registrou aumento nas viagens aéreas com um voo semanal partindo de Montreal e outros quatro voos semanais. Janeiro é o mês de pico para os visitantes canadenses que somaram 3.270.

Dos Estados Unidos 5.136 visitantes foram registrados, com uma ligeira diminuição de 2%, que representam uma perda de apenas 124 visitantes.

A região da América do Sul enviou à Curaçao um total de 7.808 visitantes em janeiro, sendo esta a primeira vez em que o CTB registra um número de visitantes menor da América do Sul em relação à América do Norte. Esta é a primeira vez que a CTB registra menos visitantes provenientes da região da América do Sul em comparação com a região norte-americana. Esta diminuição se explica pela queda contínua de chegadas da Venezuela, com 50% menos visitantes em relação ao ano passado, com 3,240 venezuelanos recebidos.

As chegadas da Colômbia tiveram um ótimo desempenho em relação a 2016 com aumento de 53%, um total de 1.879 colombianos recebidos. O crescimento da Colômbia é o efeito direto dos voos charter da Colômbia.

O contínuo esforço de comercialização no Brasil, acompanhado de melhor situação política e econômica demonstram resultados no desempenho positivo. O Brasil registrou crescimento de 16% com um total de 1.259 visitantes no primeiro mês de 2017.

A região do Caribe registrou um aumento de 2%, com um total de 2.273 visitantes em janeiro, sendo que Aruba registrou uma diminuição de 3% com total de 1.027 chegadas. O aumento foi derivado de República Dominicana e Haiti, com crescimento de 10% e 45%, respectivamente.

Diárias de visitantes - Em janeiro foi registrado um aumento da média de visitantes por noite de 10%. Os visitantes ficaram 9,2 noites em janeiro enquanto no ano passado, a média de noites por pessoa foi de 8,4 noites, um aumento de 2%. Um total de 358.197 noites de foram registradas em comparação com 349.557 no ano passado.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

18/11/2017
Fasano chega à Capital em 2018
Empreendimento terá 78 quartos e vai contar também com o restaurante Gero
18/11/2017
Nova Lima realizou Circuito do Turismo Empreendedor
A cadeia produtiva do turismo de Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), viveu uma semana agitada com a realização do Circuito do Turismo Empreendedor,...
18/11/2017
Conceição do Mato Dentro busca reaver título de "capital mineira do ecoturismo"
Conceição do Mato Dentro , na região Central, surgiu a partir de um povoado no início do século 18, e é um dos mais antigos assentamentos urbanos de Minas...
11/11/2017
Banho de cachoeira e trilhas atraem turistas
Algumas de fácil acesso, outras mais escondidas, elas são o destaque de um meio ambiente diverso
11/11/2017
Entregue 1ª fase das obras de recuperação da Matriz de Conceição do Mato Dentro
Conhecida pelo ecoturismo praticado na Serra do Cipó, Conceição do Mato Dentro, na região Central, se prepara para voltar a atrair também o turismo religioso e...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.