Publicidade
22/11/2017
Login
Entrar

DC Inovação

06/04/2017

Curtas DC INOVAÇÃO

Email
A-   A+
Vendas do varejo

Cenário econômico desfavorável. Tecnologia digital cada vez mais presente na vida das pessoas. Consumidores conectados, criteriosos e mais exigentes. Diante dessas perspectivas, o futuro do varejo é desafiador. Pensando nisso, o Sixdoo, startup com sede em Jaraguá do Sul, Norte de Santa Catarina, criou uma ferramenta especializada em soluções para tornar o pós-venda mais inteligente e automático. De acordo com um dos fundadores da startup, Kelwin Eggert, a ideia surgiu a partir da observação do cenário. “O cliente entra na loja, procura um produto, experimenta e vai embora sem comprar. Isso acontece todos os dias na loja física. E o lojista fica sem saber os dados desse cliente. Deixou de vender. E não sabe se o cliente voltará”, comenta. Com o Sixdoo, que funciona semelhante a um aplicativo de celular, o vendedor registra os dados desses clientes, que passam a receber informações relevantes da loja de forma automática, segmentada e com base nos seus interesses. É parecido com o remarketing que ocorre nas lojas on-line, só que aplicado à loja física”, resume.

Gávea Angels em Boston

O Gávea Angels - primeiro grupo de investidores-anjos do Brasil - organiza de 3 a 8 de abril a “Missão Investor’s Week in Boston”, em parceria com o Massachusetts Institute of Technology (MIT) e Harvard. A missão - que contará com a participação da presidente do Gávea Angels, Camila Farani - visitará o Brazil Conference 2017, em Boston, nos Estados Unidos, nos dias 7 e 8 de abril, entre outros compromissos. “Por meio da missão, além de uma imersão no ambiente de empreendedorismo e inovação de Boston e networking internacional, estabeleceremos parcerias e conexões de co-investimento-anjo entre as Américas em um dos maiores ecossistemas de inovação do mundo”, revela o head da unidade mineira do Gávea Angels, Ricardo Carvalho. Mais informações pelo e-mail eventos@gaveaangels.org.br.

Telit adquire startup do Vale do Silício

A Telit, líder global em Internet das Coisas (IoT), adquiriu a startup GainSpan Corporation, provedora de soluções de conectividade sem fio - especializada no design e desenvolvimento de tecnologias wi-fi de potência ultrabaixa. A startup possui mais de 90 funcionários de Investigação & Desenvolvimento (I&D) e engenheiros de suporte espalhados em centros de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) em Bangalore, São José e Califórnia. Com matriz localizada no Vale do Silício, a startup é responsável pela fabricação e comercialização de chips e módulos para dispositivos alimentados por bateria e propriedade intelectual relacionada (IP), o que inclui network stacks (pilhas de rede) e projetos referência em aplicativos. A aquisição expande o portfólio da Telit em soluções end-to-end e a posiciona como marca referência no mercado de dispositivos alimentados por bateria e que dependem do wi-fi e de outras tecnologias de baixo consumo de energia.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

17/11/2017
84 startups participam do DemodayTrends no dia 7
Os produtos e serviços desenvolvidos em 2017 por startups participantes de programas de aceleração e pré-aceleração apoiados pelo Serviço de Apoio...
17/11/2017
Sorte Sim deve contabilizar 150 mil apostas até o fim deste ano
Parece lotérica, mas não é. Lançada em agosto deste ano, a plataforma Sorte Sim deve contabilizar nada menos que 150 mil apostas até o fim do ano. A...
17/11/2017
12 projetos foram selecionados pelo Anima Nest/Go Minas
Cada iniciativa receberá aporte de R$ 7,5 mil
10/11/2017
SolarView investe em internacionalização
Startup mineira vai investir cerca de R$ 1,5 milhão na abertura de um escritório na Califórnia
10/11/2017
Fiemg Lab divulgou as 15 startups selecionadas para a terceira fase
O programa de aceleração de startups e spin-offs corporativas, Fiemg Lab Novos Negócios, da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg),...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.