Publicidade
21/01/2018
Login
Entrar

DC Mais

11/01/2018

Curtas DC Mais 11/01

Email
A-   A+
Marília Mendonça  

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais determinou o bloqueio de parte dos bens da cantora Marília Mendonça como garantia do pagamento de indenização a fãs que se sentiram lesados financeiramente após o cancelamento de dois shows na cidade de Araguari, no Triângulo Mineiro, em fevereiro de 2017. O Ministério Público do Estado entrou com ação civil pública contra a cantora, a produtora WorkShow e a promoter Juliana de Melo Lima Alves, que contratou a cantora, após fãs entrarem com reclamações no Procon procurando ressarcimento financeiro para os shows, cancelados em decorrência do mau tempo. O MP teria acertado um termo de ajustamento de conduta para a indenização dos fãs, mas ele não teria sido cumprido, o que causou o processo. Após pedido dos promotores, a quantia de R$ 100 mil foi bloqueada pelo juiz Márcio José Tricote, da 3ª Vara Cível de Araguari, para assegurar que a indenização seja paga em caso de condenação dos réus. Como o processo conta com três réus, cada um terá bloqueado cerca de R$ 33 mil.

Arte e Reflexão Política

O Movimento de Arte e Reflexão Política (M.A.R.P.), criado em 2006 pelo Grupo Oficcina Multimédia (GOM), retorna neste ano ao Verão Arte Contemporânea (VAC) – que fica em cartaz em BH até 4 de fevereiro –  e, desta vez, em parceria com o Coletivo Alternativa Popular, vai promover uma mesa-redonda composta por artistas e intelectuais e público com o título “E agora José?”. O objetivo é introduzir no VAC um momento de reflexão sobre inquietações relacionadas à arte a à cultura na atualidade. O debate será no dia 18, às 20h, no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB-BH), na Praça da Liberdade. João Paulo Cunha, Jacyntho Luiz Brandão e Nívea Sabino serão os debatedores do encontro, que será mediado por Francisco Cesar. O evento terá também a presença de Nilcéa Moraleida, representando o Coletivo Alternativa Popular. A entrada é franca e a classificação, 16 anos.


Sete novas aranhas

Os nomes científicos de sete novas espécies de aranhas descobertas por cientistas brasileiros homenageiam diferentes personagens “aracnídeos” de famosas obras ficcionais de fantasia como “Harry Potter” e “O Senhor dos Anéis”. As novas espécies são descritas em um estudo publicado ontem, na revista científica ZooKeys. As sete novas espécies de aranhas, todas pertencentes ao gênero Ochyrocera, foram descobertas em cavernas do Pará pelos autores do artigo, Antonio Brescovit, Igor Cizauskas e Leandro Mota, todos pesquisadores do Instituto Butantan. A lista de novas espécies começa com a Ochyrocera varys, que homenageia o personagem Varys - “o Aranha” -, da série de livros “Crônicas de Gelo e Fogo”, do americano George R. R. Martin, que inspirou a série de TV “Game of Trhones”.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

20/01/2018
José Maria Alkmim, um mineiro na vice-presidência da República
Formado em Jornalismo pela PUC Minas, em 1995, tive como colegas de turma profissionais que hoje honram a sua geração, como Adriana Costa Muls, Alessandra Melo, Fred Melo Paiva,...
20/01/2018
Curtas CD Mais 20/01
Cidade do Circo O governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), anuncia R$ 200 mil para implantação do projeto “Cidade do Circo“,...
20/01/2018
Agenda Cultural 20/01
Orquestra Atípica de Lhamas Single - O ano chegou a plenos vapores para a Orquestra Atípica de Lhamas. Depois de dividir o palco com a cantora Maria Alcina, lotando o Grande...
19/01/2018
Presidente da EMC é vítima fatal da febre amarela em MG
O presidente da Empresa Mineira de Comunicação (EMC), Flávio Henrique Alves de Oliveira, de 49 anos, morreu às 7h30 de ontem, em Belo Horizonte. Músico, produtor...
19/01/2018
Curtas DC Mais 19/01
Prevenção no Inhotim A partir de terça-feira (23), visitantes devem apresentar o cartão de vacinação ao entrar no Instituto Inhotim (Rua B, 20,...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.