Publicidade
24/05/2018
Login
Entrar

Internacional

07/02/2018

Déficit comercial é maior em 9 anos

Demanda do mercado consumidor leva as importações a superarem as exportações
AE/Reuters
Email
A-   A+
Volatilidade na Bolsa de Nova York é apontada pela Casa Branca como parte da situação confortável da economia/Brendasn MCDermid/Reuters
Washington - Os Estados Unidos registraram o maior déficit comercial em nove anos no mês de dezembro, com a forte demanda do mercado consumidor americano fazendo as importações superarem as exportações.

O déficit expandiu 5,3% em relação ao mês anterior, para o valor sazonalmente ajustado de US$ 53,1 bilhões em dezembro, o maior desde outubro de 2008, segundo o Departamento de Comércio. Economistas consultados pelo Wall Street Journal esperavam o déficit em US$ 51,3 bilhões.

As importações subiram 2,5% em dezembro, para um recorde de US$ 256,5 bilhões, refletindo compras de bens de consumo, como celulares, no mês mais importante da temporada de festas, bem como mais importações de veículos e bens de capital.
Já as exportações subiram 1,8%, para US$ 203,4 bilhões, com destaque para insumos industriais e aviação civil.

Os números podem apresentar volatilidade mês ante mês. A balança comercial de novembro sofreu revisão para baixo, passando de US$ 50,5 bilhões para US$ 5,43 bilhões. Em 2017 como um todo, o valor das importações americanas subiu 6,7% e as exportações aumentaram 5,5%. O déficit expandiu 12,1% comparado com 2016.

Leia também:
Trump e May discutem informação
EUA e Coreia do Norte trocam ameaças


Volatilidade - A Casa Branca está “muito confortável” com a situação atual da economia, apesar da recente volatilidade no mercado de ações, disse ontem a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders.

“Veja, a economia está incrivelmente forte agora. O foco do presidente continua sendo os fundamentos econômicos de longo prazo que... estão muito fortes neste país. ...Não há nada ocorrendo nos últimos dois dias em nossa economia que seja fundamentalmente diferente do que era há dois meses e estamos muito confortáveis sobre a situação atual”, afirmou Sarah Sanders, em um briefing, quando indagada sobre a recente volatilidade.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

24/05/2018
Fed sinaliza alta dos juros em próxima reunião
Washington - A maioria dos membros do Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos (EUA), avaliou que outro aumento dos juros seria justificado “em breve”, se a perspectiva...
24/05/2018
G-7 pressiona e pede novas eleições
Genebra - Os presidentes e primeiros-ministros das maiores economias do mundo estão pressionando a Venezuela e pedem que o presidente Nicolás Maduro convoque novas...
23/05/2018
Trump admite que cúpula pode não acontecer
Dúvida do presidente norte-americano ocorre por receio de que Kim não esteja comprometido com acordo
23/05/2018
Opep pode aumentar produção em junho
Khobar (Arábia Saudita)/Londres - A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) pode decidir aumentar a produção de petróleo em...
23/05/2018
Pela primeira vez em 226 anos, mulher irá presidir a Bolsa de Nova York
Brasília - Engenheira industrial por formação, Stacey Cunningham, de 43 anos, será a primeira mulher em 226 anos a presidir a Bolsa de Valores de Nova York –...
› últimas notícias
Mestre-Cervejeiro está em expansão
Preço do etanol acompanha alta da gasolina na Capital
Plano Diretor da Capital é questionado
Sem acordo, caminhoneiros decidem continuar greve
Biomm aciona Anvisa para liberar remédio
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


25 de maio de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.