Publicidade
12/12/2017
Login
Entrar

Política

09/09/2017

Decretada prisão preventiva de Geddel

AE
Email
A-   A+
Alegação da Justiça é de que Geddel age de ?forma sorrateira?/Marcelo Camargo/ABr
Brasília e São Paulo - Ao decretar a prisão preventiva de Geddel Vieira Lima, o juiz Vallisney Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília, destacou que o ex-ministro e ex-vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa age de “forma sorrateira”.

O peemedebista desembarcou em Brasília, às 16h de sexta-feira, de voo que partiu de Salvador, onde foi detido por suspeita dos crimes de organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Geddel foi preso na sexta, em desdobramento da Operação Tesouro Perdido. A Polícia Federal atribui a ele a propriedade da fortuna de R$ 51 milhões em dinheiro vivo encontrada em um apartamento no bairro da Graça, em Salvador.

O ex-ministro estava em regime domiciliar de prisão, em um imóvel situado a pouco mais de um quilômetro do “bunker” de R$ 51 milhões. No decreto de prisão de Geddel, o juiz federal assinalou que o ex-ministro nunca havia revelado a existência da dinheirama. “Ouvido pela autoridade policial e também por este Juízo (audiência de custódia) em nenhuma dessas oportunidades revelou que detinha esses valores, sequer trouxe qualquer indicação nesse sentido, de modo que reitera na atividade delituosa de lavagem de capitais e outros delitos de forma sorrateira, em estado de permanência, pois os valores estavam ocultos em um apartamento cuja finalidade era exclusivamente para guardá-los.”

O juiz federal assinalou, ainda. “Mesmo na remota hipótese de que os vultosos valores encontrados não sejam produtos diretos dos crimes ocorridos na Caixa Econômica Federal, o certo é que Geddel Vieira Lima estava em prisão domiciliar e tais fatos repercutem desfavoravelmente na situação do requerido, por incorrer em reiterada prática criminosa que dá ensejo à prisão preventiva para asseguramento da ordem pública, inclusive diante das provas que o apontam como dono ou possuidor dos valores.”

A defesa do ex-ministro informou que só vai se manifestar quando tiver acesso aos autos da Operação Tesouro Perdido.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

12/12/2017
Ministros são investigados por uso irregular de aviões da FAB
Suspeita é de caronas a parentes e lobistas em viagens oficiais
12/12/2017
PF transforma Rocha Loures em réu
Brasília - A Justiça Federal de Brasília decidiu ontem transformar em réu por corrupção passiva Rodrigo Rocha Loures, ex-assessor especial do presidente...
11/12/2017
Governo antecipa discussão da reforma da Previdência para 5ª-feira para avaliar apoios
...
08/12/2017
STF não dá aval para revisão de prisões
Decisão ainda é provisória, uma vez que o julgamento foi suspenso e não tem data para ser retomado
08/12/2017
Projeto de privatização da Codemig é aprovado em comissão da Assembleia
O Projeto de Lei (PL) 4.827/17, que autoriza o Poder Executivo a transformar a Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig) em sociedade de economia mista, recebeu parecer...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.