18/08/2018
Login
Entrar

DMEP - Cegueira das Organizações

06/03/2018

Desvendando o BSC - parte 2: Como desdobrar objetivos estratégicos em iniciativas estratégicas?

Marcelo Alvim Scianni
Email
A-   A+
No primeiro ensaio desta série apresentamos como o BSC auxilia a organização de objetivos estratégicos em geradores de valor e estruturadores de competência. Neste ensaio apresentaremos outra grande contribuição do método BSC: o desdobramento dos objetivos em iniciativas seguindo uma lógica de causa-efeito de forma a encadear todos os objetivos às iniciativas propostas. No entanto, acreditamos que por mais que pareça óbvio o estabelecimento desse desdobramento e conexão causal, percebemos uma grande dificuldade das organizações em garantir o correto desdobramento e encadeamento de objetivos e iniciativas estratégicas. Assim sendo, como facilitar esse processo?

Nossa experiência mostra que o método BSC pode ser trabalhado de forma combinada ao método QFD (Quality Function Deployment) para a facilitação desse processo. Isso porque o QFD trabalha exatamente a relação de causa-efeito a partir de matrizes que combinam duas dimensões de análise. Nesse caso, podemos encadear, em uma mesma matriz, uma tabela de objetivos e outra tabela de inciativas estratégicas.

A figura apresenta a lógica do método QFD para a construção das quatro matrizes indicadas com os números 07, 08, 10 e 11, a partir da combinação das tabelas indicadas com os números 01, 02, 03 e 04.



Aplicada ao BSC, a matriz QFD aplica três regras para conduzir o desdobramento de objetivos estratégicos: 1) extrair um conjunto de iniciativas a partir dos objetivos listados nas tabelas 01 e 02 de forma a construir as tabelas 03 e 04; 2) correlacionar cada objetivo com as iniciativas levantadas de forma a evidenciar diferentes intensidades de correlação na medida em que as iniciativas podem contribuir comparativamente mais ou menos no alcance de objetivos; e 3) converter o peso ou a importância dos objetivos estratégicos para a lista de iniciativas a partir das notas de correlação alcançadas no passo 2.

A partir da aplicação do QFD combinado ao BSC, podemos promover a articulação causal entre objetivos e iniciativas de forma objetiva e didática. Essa articulação estará presente nas quatro matrizes que correlacionam objetivos e iniciativas com os focos na geração de valor e estruturação de competência. Dessa combinação são geradas duas matrizes de prioridade e duas matrizes auxiliares que indicam urgência ou dependência. As matrizes de prioridade, como o nome indica, determinam quais iniciativas são prioritárias para a geração de valor ou mesmo para a estruturação de competências. Refletindo o momento estratégico da organização (a partir do peso dado aos objetivos) será compilada uma lista das iniciativas hierarquizada por importância. As matrizes auxiliares indicam ou a urgência do estabelecimento de uma iniciativa estruturadora de competência para a geração de valor, ou a dependência que uma iniciativa geradora de valor possui em relação à estruturação de um objetivo de competência.

A facilidade e objetividade no desdobramento proposto pelo BSC a partir do QFD propiciam para as organizações e seus gestores a criação de uma lista hierarquizada de iniciativas que pode ser gerida taticamente ao longo do período abarcado pelo mapa de objetivos estratégicos.

*Sócio-diretor da DMEP

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

14/08/2018
Sua equipe é competente ou está competente?
A competência de uma organização, equipe ou indivíduo não pode ser medida a priori. E há uma questão de base importante que justifica essa...
07/08/2018
Como vender a minha empresa? Parte 8
Hoje encerro a séries de ensaios sobre “Como vender a minha empresa”, iniciada em julho de 2017, resgatando os pontos mais importantes deste processo. Definir o motivo da venda...
24/07/2018
Implantação venture: lançar produto, abrir mercado e organizar o negócio. Tudo ao mesmo tempo agora!
Nos artigos anteriores, tivemos a oportunidade de discorrer sobre quatro das cinco fases do sistema GDNi® – Gestão do Desenvolvimento de Negócios Inovadores e Impactantes...
03/07/2018
Boca a boca eletrônico e a gestão de negócios na era digital
A popularização da internet possibilitou a criação de redes sociais eletrônicas nas quais as pessoas expõem diversos aspectos de suas vidas. A crescente...
26/06/2018
Será que devo investir nesta startup? (Parte 3)
No ensaio anterior, publicado nesta coluna em 08/05/2018 discutiu-se os parâmetros de avaliação normalmente utilizados para análise e tomada de decisão de...
› últimas notícias
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


18 de agosto de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.