24/06/2018
Login
Entrar

Negócios

07/10/2017

Direto da Trousseau para o canteiro de obras

Mônica tem 245 mil m² de área
Mírian Pinheiro
Email
A-   A+
Mônica Gonçalves é responsável pelas lojas da Trousseau em BH (Lourdes, Diamond Mall, Ponteio e BH Outlet)/Divulgação
Em nova fase, a empresária do ramo de moda-casa em Belo Horizonte, Mônica Gonçalves, que comanda a Trousseau há 21 anos (lojas de Belo Horizonte), vai investir também na construção civil. A atividade, que não parece combinar muito com a sofisticada marca que representa, vem entusiasmando Mônica Gonçalves. Ela diz que, com a morte do pai, o advogado Godofredo Gonçalves, em 2014, herdou terrenos da família em Itaúna, região Centro-Oeste de Minas, daí resolveu dar uma destinação comercial a eles. “Com o falecimento do pai, pois ele já investia em loteamentos. Não foi um objetivo e nem uma ideia criada por mim. Levei adiante algo já iniciado”, diz, sem revelar o Valor Geral de Vendas (VGV) dos novos negócios.

Nos 245 mil metros quadrados herdados, a empresa de Mônica Gonçalves, MGS Construtora e Empreendimentos Ltda, está construindo casas populares, conjuntos de prédios e área comercial, além de loteamento. “Minha formação é toda voltada para varejo e decoração. Agora parto também para o segmento da construção, direcionado ao programa ‘Minha casa, minha vida’”, explica.

Mesmo sem nenhuma experiência na área, o novo ramo de atuação lhe entusiasma - tanto que, apesar das dificuldades e do momento atual, ela resolveu seguir em frente. “Estou indo passo a passo, mas quero caminhar para frente. É uma nova atividade que pretendo trabalhar durante muitos anos”, confidencia, esclarecendo que a experiência está vindo aos poucos - ‘ na medida dos movimentos’. Para ela, é tudo muito novo, mas acredita que ‘só aprende quem faz e não podemos ter medo de fazer’.

A implantação do loteamento e das construções na extensa área, bem como o planejamento de toda a infraestrutura que engloba ruas, água e esgoto deram origem ao novo bairro, batizado de Godofredo Gonçalves, em homenagem ao pai e ao avô, primeiros donos da terra.

Negócio afetivo - Sobre o futuro da marca de enxovais, Mônica Gonçalves é enfática. “A Trousseau é uma empresa estabilizada. É lógico que mantê-la funcionando não é fácil, mas depois de 21 anos fazendo só isto acho que aprendi um pouquinho”, observa, sem esconder a falsa modéstia.

A empresária também faz questão de dizer que continuará à frente do negócio. “A Trousseau é a minha grande paixão e paixão a gente não abandona!”, enfatiza. Destemida, diz que pretende conciliar as atividades com “muito trabalho, foco, determinação, sorte e Deus.”

Mônica Gonçalves é responsável pelas lojas da Trousseau em Belo Horizonte - Lourdes, Diamond Mall, Ponteio e BH Outlet, todas na região Centro-Sul da cidade,  desde 1996. Uma época, ela diz, em que a Trousseau não era o que é hoje, uma marca conceituada, referência no setor decorativo, preferida pelos consumidores da classe AA. “Eu em Belo Horizonte e o Romeu Trussardi em São Paulo, construímos praticamente juntos esta marca”, orgulha-se.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

23/06/2018
Franchising também é lugar de inovação
Padronização das operações pode servir para replicar as mudanças de forma mais ágil nas empersas
23/06/2018
Grandes redes são confundidas com franquias
Empresas se expandem com operações padronizadas e capilaridade semelhante ao do setor
23/06/2018
Clinicerta inaugura a sua primeira unidade em BH
Investimento totalizou R$ 1,2 mi
23/06/2018
Franqueado é parte essencial no processo de inovar
Na busca pela inovação no franchising, o franqueado aparece como um dos principais atores. O presidente da ABF, Altino Cristofoletti Junior, lembra que é o franqueado que...
23/06/2018
Outback privilegia seus funcionários
Com 92 restaurantes espalhados em 38 cidades e 15 estados do Brasil, a rede de restaurantes Outback Steakhouse também se destaca por sua padronização em atendimento,...
› últimas notícias
Torcida não aquece as vendas no hipercentro
Prestadoras de serviços terrestres cogitam dispensa de pessoal com reoneração
Liminar contrária não abala Mendes Júnior
Primeiro leilão da Aneel prevê R$ 6 bi
BR Distribuidora aguarda decisão do TRT para mensurar os impactos
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


23 de junho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.