22/07/2018
Login
Entrar




Minas 2032

06/07/2018

Diversidade: caminho ainda é longo

Levantamento mostra que empresas não mantêm programas para melhorar o quadro
Daniela Maciel
Email
A-   A+
Termos como alteridade e diversidade ganharam espaço no debate público ainda no fim do século passado. A prática de respeito e inclusão dentro das empresas, porém, apesar de figurar em campanhas publicitárias, não é uma coisa fácil e, muito menos, comum. Estudo realizado pela Vagas.com sobre o tema mostra que desinformação, preconceito e apego à práticas de gestão já ultrapassadas impedem que as empresas brasileiras tenham um quadro corporativo mais diverso, implicando com isso em inibição dos processos de inovação e compreensão sobre o público, também diverso.

O levantamento inédito é da Vagas.com, empresa de soluções tecnológicas de recrutamento e seleção, e da Talento Incluir, que atua na inclusão de pessoas com deficiência na sociedade por meio do mercado de trabalho. De acordo com a pesquisa, a maioria dos profissionais de recursos humanos (60%) afirmaram que a empresa onde trabalham não possui um programa de diversidade. E aqueles que informaram que contam com a iniciativa (40%), as ações são voltadas, em sua maioria, para pessoas com deficiência (88%) e jovem aprendiz (84%).

LEIA TAMBÉM: Promoção está prevista na ODS 8

Segundo o coordenador da pesquisa pela Vagas.com, Rafael Urbano, o quadro é assustador. “A penetração dos programas de diversidade é mínima nas empresas. É como se esses grupos não fizessem parte da sociedade ou que as empresas não fizessem. Chama a atenção o total de pessoas que já se sentiu prejudicada por essas questões. E aí se destaca o critério da idade. Precisamos pensar que com a reforma da Previdência as pessoas vão ficar mais tempo no mercado de trabalho e, a julgar pelo atual cenário, em que a idade avançada é um empecilho para a colocação no mercado, teremos um futuro muito complicado. As empresas vão precisar se adequar pela própria pressão do mercado. Quem fizer isso primeiro se sairá melhor”, explica Urbano.

A pesquisa revela, ainda, que mulheres, negros, pessoas com deficiência e profissionais mais experientes e qualificados foram os mais afetados em processos de recrutamento e seleção. Desse grupo de candidatos, 50% dos respondentes já se sentiram prejudicados em dinâmicas seletivas. Alguns perfis foram mais lesados, 54% de mulheres, 55% de pessoas negras, 59% de pessoas com deficiência, 64% de pessoas com mais de 55 anos e 59% de pós-graduados.

“As pessoas não percebem, então a questão fica muito mais no campo do discurso. Vemos, por exemplo, a maior parte dos processos coloca a idade como requisito. Isso desconsidera a história dos candidatos”, avalia a sócia-fundadora da Talento Incluir, Carolina Ignarra.

Preparadas - Para 62% dos profissionais de Recursos Humanos respondentes, as empresas onde eles trabalham não estão totalmente preparadas para lidar com a diversidade. Outros 25% acreditam que as companhias onde atuam não estão aptas a tratar do tema enquanto 3% não souberam opinar. Somente 10% desse público profissional afirmou que suas corporações estão prontas para essa questão.

“É natural que o gestor escolha pessoas parecidas com ele para trabalhar, por isso é tão importante que os gestores sejam treinados pra isso. A diversidade acaba sendo dividida em pilares representativos ligados aos vieses históricos. Não tem como quebrar essa cultura construída por séculos sem fazer ações afirmativas”, pontua a sócia da Talento Incluir.

“Por isso os programas são tão importantes. Quando perguntamos se os gestores estão preparados vemos que não. Falta informação, aceitação e respeito. Precisamos de uma mudança de mindset, sair do conforto”, completa o responsável pela pesquisa pela Vagas.com.
MOVIMENTO MINAS 2032

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

20/07/2018
Unimed BH amplia a contratação de energia limpa
Cooperativa mantém diversas ações em prol da sustentabilidade
13/07/2018
DC Logistics mantém ação para plantio de árvores
Já foram 25 mil mudas plantadas
13/07/2018
BH Shopping reaproveita resíduos para produzir fertilizante
Reduzir o impacto ambiental e reutilizar materiais que seriam descartados, além de gerar custo zero nos negócios, é bem-visto aos olhos do consumidor e pode fazer com que a...
06/07/2018
Promoção está prevista no Objetivos do Desenvolvimento Sustentável 8
A promoção da diversidade é um dos interesses dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) promovidos pela Organização das Nações...
13/06/2018
MRV reduz emissão de gases do efeito estufa
Empresa mantém programa em seus escritórios, lojas e obras para diminuir o impacto ambiental da atividade
› últimas notícias
Exportações de soja devem ser recorde no próximo ano
Renovação da concessão da EFVM pode ser resolvida na Justiça
Pessimismo aumenta na indústria mineira
Minas mantém sequência de superávit
Brasil fecha 661 vagas com carteira assinada
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


21 de julho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.