Publicidade
22/10/2017
Login
Entrar

Internacional

11/01/2017

Donald Trump diz que filhos vão administrar seus negócios

ABr
Email
A-   A+
O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump disse, em sua primeira entrevista à imprensa nessa quarta-feira (11), que enquanto estiver governando o país seus filhos Eric e Donald Jr vão administrar seus negócios particulares. Com isso, o magnata respondeu a um dos maiores questionamentos da mídia, que seria a existência de um possível conflito entre os seus interesses particulares e o interesse do país.

Trump destacou, porém, que seria capaz, se quisesse, de administrar o país e as suas empresas simultaneamente. "Eu poderia, realmente, comandar o meu negócio e o governo ao mesmo tempo", disse, dando a entender que, se optasse por continuar também no comando das empresas, não haveria conflito de interesses.

Rússia e Putin

Alguns jornalistas insistiram para que Trump comentasse sobre as alegações de que a Rússia teria informações comprometedoras sobre seus negócios ou sobre seus planos para o futuro. “Alguém realmente acredita nessa história?" questionou o presidente eleito. "Eu [já] postei no Twitter que não tenho nenhum negócio com a Rússia", disse.

Um jornalista perguntou ao bilionário sobre uma declaração do presidente russo, Vladimir Putin, o elogiando como um incentivador das relações entre o seu país e os EUA. "Se Putin gosta de Donald Trump eu considero [isso] um ativo, não um passivo, porque temos um relacionamento horrível com a Rússia. Agora, eu não sei se vou me dar bem com Vladimir Putin. Eu espero que sim, mas... você honestamente acredita que Hillary [Clinton] seria mais dura com Putin do que eu?", perguntou Trump.

Agências de inteligência

Ao responder a perguntas sobre a conclusão de agências de inteligência de que a Rússia trabalhou ativamente para influenciar as eleições americanas de 2016, Trump disse acreditar que os russos possam ter alguma responsabilidade sobre o hackeamento (invasão de computadores) durante a campanha eleitoral, como outros países também tiveram. Ele porém deixou claro que não acredita na influência russa. Segundo ele, o sucesso de sua eleição foi decorrência da boa campanha eleitoral.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/10/2017
UE vai insistir em acordo com o Mercosul
Conversas serão mantidas, apesar das reservas da França em relação às importações agrícolas
21/10/2017
China prepara emissão de bônus em dólar
Pequim - A China selecionou dez bancos, incluindo quatro estrangeiros, para coordenar uma emissão de bônus denominado em dólares no valor de US$ 2 bilhões, que...
21/10/2017
Trump anuncia três candidatos para assumir o Fed
Washington – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que tem três candidatos preferidos para o comando do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) a partir de...
21/10/2017
Setor imobiliário está desacelerando neste ano
Pequim - A China registrou um crescimento econômico relativamente sólido no terceiro trimestre impulsionado por uma atividade de serviços mais forte, embora haja sinais de...
20/10/2017
Brasil seria país mais alinhado para conquistar vaga na OCDE
Adesão foi solicitada em junho, mas aprovação pode levar 4 anos
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.