Publicidade
20/01/2018
Login
Entrar

Economia

14/09/2017

Saldo de empregos deve crescer em Minas Gerais no último trimestre

Leonardo Francia
Email
A-   A+
A Pesquisa de Perspectiva de Emprego do ManpowerGroup, que mede o nível de confiança das empresas em relação a contratações de trabalhadores, mostrou que o saldo de geração de empregos em Minas Gerais deve crescer no último trimestre deste ano em relação aos três meses anteriores. O resultado estadual, com índice positivo em 3, foi melhor do que a média nacional, que foi nula, indicando a manutenção dos postos de trabalho atuais.

O resultado do Estado, com expectativa líquida de geração de emprego de +3 para o quarto trimestre, é 10 pontos percentuais maior do que o índice dos três meses anteriores e 13 pontos percentuais superior ao do mesmo período do ano passado. Com isso, o indicador foi a previsão mais otimista da pesquisa desde 2015.

Para o chief executive officer (CEO) do ManpowerGroup, Nilson Pereira, o resultado no Estado reflete a situação atual da economia nacional e a melhora de setores de peso para Minas, como o agronegócio e a mineração. Segundo ele, a pesquisa validou o momento econômico e político do Brasil.

“Na prática, o que está acontecendo no Brasil é que dois terços das empresas devem manter o quadro de funcionários, o que é justificado pela situação da economia do País. Em Minas, existe uma concentração de empresas dos setores de agronegócio e mineração que têm expectativas melhores e isso refletiu nos números do Estado”, justificou.

Outro resultado que pesou a favor do Estado foram as previsões otimistas quanto à geração de empregos em todo o mundo. A pesquisa mostrou que empregadores de 42 países dos 43 considerados (a Suíça apresentou manutenção dos postos de trabalho) têm perspectivas de crescimento do emprego para o quarto trimestre deste ano.

“Isso é positivo para o Brasil e para Minas Gerais, que é um Estado exportador. Se observamos o que está acontecendo na economia dos Estados Unidos e da China (importantes parceiros comerciais para o Estado), o otimismo em Minas também é justificado.

O mercado de trabalho em Minas Gerais vem gradativamente dando sinais de recuperação. Em julho, pelo quarto mês seguido em 2017, o Estado abriu mais vagas do que encerrou e fechou com saldo positivo de 1.120 novos empregos. Ao todo, foram 136.750 admissões, contra 135.630 demissões. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, que ainda não divulgou os números dos sete meses de 2017 e nem do acumulado nos últimos 12 meses.

O ManpowerGroup é um dos líderes mundiais em soluções para recursos humano. Com mais de 60 anos de experiência, o grupo está avaliado em US$ 22 bilhões e mantém uma rede com aproximadamente 3,5 mil escritórios em 80 países e territórios, o que possibilita o atendimento a 400 mil clientes por ano, em todos os setores do mercado, pequenas e médias empresas locais, multinacionais e empresas globais.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

20/01/2018
Empresário mineiro segue mais confiante
Em janeiro, o Icei-MG chegou a 50,7 pontos, o melhor resultado para o mês nos últimos sete anos
20/01/2018
Montadoras reivindicam créditos tributários
Brasília - Com o fim do Inovar Auto em dezembro e sem definição do novo programa automotivo, chamado de Rota 2030, as empresas de automóveis tentam que os...
20/01/2018
Índice de investimentos de empresas caiu 0,7% em novembro ante outubro
Brasília - O indicador de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), divulgado na sexta-feira, 19, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), sofreu uma queda de...
20/01/2018
Faturamento recua no interior de Minas
Quatro regionais apresentaram queda na receita em novembro, conforme levantamento da Fiemg
20/01/2018
Exportações mineiras devem continuar em alta em 2018
Especialistas estimam aumento de 7%
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.