22/07/2017
Login
Entrar

DC Inovação

02/12/2016

Empresa cria app que desenvolve joias por meio de memórias

Da Redação
Email
A-   A+
Uma joia única feita através das emoções de uma história de amor. Tal feito só se tornou real por meio de tecnologia sofisticada e muita criatividade dos sócios Guto Requena, Edson Pavoni, João Marcos de Souza e Eduardo Dias. O grupo uniu expertises para desenvolver o aplicativo Aura Pendant que engloba moda, design e tecnologia. O app captura emoções de uma história de amor por meio da voz e dos batimentos cardíacos, transformando-os em uma joia exclusiva.

A ferramenta democratiza o experimento Love Project que vem sendo desenvolvido por Guto, Edson e João desde 2013. O processo, que começou como uma investigação artística e percorreu o mundo em exposições de arte e design, agora se tornou acessível para qualquer pessoa. “Nossa missão é unir sentimentos e tecnologias, em objetos vestíveis que investiguem processos de criação colaborativa e de fabricação na Era Digital. Queremos criar produtos com significado, que possam carregar histórias pessoais em uma ideia de sustentabilidade afetiva”, explica Guto Requena.

A sustentabilidade afetiva explorada pela criação entende que o futuro é pensar não só na sustentabilidade dos materiais, mas sim no ciclo de vida. Se um produto pode passar de geração em geração e vem com uma história por trás, irá durar mais. “Queremos ‘reimaginar’ o significado de dar uma joia pra alguém”, conta Edson Pavoni.

Após baixar o aplicativo, o dispositivo captura e interpreta as emoções enquanto a pessoa conta e revive a sua história de amor. Para isso, são utilizados dois sensores, um de voz e outro de batimento cardíaco - criado para funcionar com a câmera e flash do telefone.

Enquanto a pessoa está contando a história, o app grava as mudanças de voz, entonação, frequência de ritmo e alterações do batimento cardíaco. Para captar o batimento do usuário usando somente o telefone, a startup desenvolveu uma tecnologia que usa a câmera, o flash e o dedo da pessoa. O aplicativo liga o flash e abre a câmera, fazendo o monitoramento. O flash ilumina o dedo tão forte que é possível identificar a mudança do sangue.

O acessório único, que irá surgir na tela do celular, poderá ser comprado, basta o usuário passar o seu número de telefone que uma pessoa da equipe irá entrar em contato. Presente ideal para dar para si ou para alguém especial. O pingente em ouro maciço 18k vem com uma correntinha também em ouro 18k. A peça custa R$ 3.200.

Projeto - Experiência de design, ciência e tecnologia que transforma emoções captadas em narrativas de amor em objetos do cotidiano. O Love Project sugere um futuro em que produtos únicos carreguem histórias íntimas e pessoais, de modo que o seu ciclo de vida seja muito mais longo, em um conceito de sustentabilidade afetiva.

Uma equipe multidisciplinar participou da criação em um processo colaborativo de design compartilhado. O projeto busca incluir o consumidor final no próprio processo de criação.

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/07/2017
Monetizze é eleita melhor plataforma
Serviços oferecidos permitem realizar checkout de produtos digitais e físicos, de forma simples e livre de fraude
21/07/2017
3D Virtual Care auxilia processo de reabilitação de maneira lúdica
Os jogos virtuais podem parecer brincadeira de criança e adolescente para muitas pessoas, já a gameterapia pode mudar o dia a dia de diversos pacientes com dificuldades motoras....
21/07/2017
Empresa moderniza mercado de farmácias de manipulação
São Paulo - O Brasil tem hoje mais de 7 mil farmácias de manipulação. O setor movimenta R$ 5 bilhões por ano e gera 90 mil empregos diretos. Para o...
21/07/2017
Startups: Setor reúne mais de 27 milhões de pessoas no País
São Paulo - O mercado brasileiro de startups vem crescendo de forma vertiginosa: são mais de 27 milhões de pessoas atuando neste segmento, fazendo do Brasil o terceiro...
19/07/2017
CVM regulamenta crowdfunding para startups
Novas regras tiram alguns riscos sistêmicos e tranquiliza investidores que queriam entrar neste tipo de segmento
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.