Publicidade
16/01/2018
Login
Entrar

Negócios

21/11/2014

Empresário une dois modelos de negócio

Thaíne Belissa
Email
A-   A+
Ricardo de Moraes criou franquia on-line grátis/Vânia Laranjeira / Divulgação
Uma mistura dos modelos de negócio startup e franquia foi a solução encontrada pelo empresário carioca Ricardo de Moraes para deslanchar sua marca de sapatos, Miarte Shoes and Love. Com quase 30 anos de experiência na produção de calçados femininos, ele percebeu que a demanda de clientes que queriam se tornar representantes dos produtos só crescia, o que o levou a pensar numa nova forma de comercializar. Depois de estudar o mercado, ele criou uma startup que vende sapatos pela internet e permite a criação gratuita de franquias on-line, que nada mais são que novas lojas na internet vendendo o mesmo produto. Em apenas três dias a marca gerou 60 franquias e hoje já tem mais de 140 em todo o país. A expectativa é chegar a três mil em um ano de operação.

Moraes explica que o conceito de startup se adequou principalmente por ser um modelo de negócios nascente e com com base tecnológica, já que ele é totalmente fundamentado em e-commerce. Além disso, ele tem o potencial de crescimento rápido sem aumentar os custos, já que a conquista de novos clientes fica por conta dos franqueados. A marca tem uma fábrica própria no Rio de Janeiro e, para dar conta da demanda, fez parceria com mais quatro fabricantes no Rio Grande do Sul.

Já o modelo de franquia foi a forma que o empresário encontrou de dispersar o crescimento da empresa por todo o país. Essa lógica foi ainda mais fortalecida com a ideia de venda direta, que é o mesmo formato de marcas como Avon e Natura, que sobrevivem de terceiros vendendo sua marca. "Esse modelo de venda direta é interessante porque cada franquia criada tem o potencial de atingir cerca de 200 clientes potenciais, pois cada brasileiro tem essa média de amigos nas redes sociais", afirma. De acordo com o empresário, a criação e manutenção de uma franquia da Miarte Shoes and Love é totalmente gratuita e demora poucos minutos.

Basta que o interessado faça um cadastro, escolha quais os tipos de sapatos que deseja vender, defina um nome para sua loja e publique. Automaticamente o e-commerce está pronto para começar a vender. "Cada franqueado tem acesso a um painel administrativo para controlar sua loja: ele sabe o que vendeu, a quantidade, para quem e quanto vai receber de comissão", explica. Segundo Moraes, o dono da loja recebe entre 8% e 14% de comissão em cima dos produtos vendidos. A marca também oferece um guia, que auxilia os franqueados em estratégias para aumentar as vendas.

O empresário destaca que o modelo de negócio não oferece nenhum risco para o franqueado e nem exige dele muita dedicação de trabalho, tendo em vista que o principal da operação é realizado pela marca. "O dono da franquia só precisa vender e a parte chata da logística, que é fabricar, controlar demanda e enviar para o cliente é toda feita pela Miarte", diz. Moraes afirma que a empresa já estuda outros modelos de franquias com mais benefícios e que terão uma mensalidade, mas destaca que o formato gratuito sempre existirá.

A Miarte Shoes and Love trabalha com diversos modelos de sapatos femininos, como rasteirinhas, sandálias e sapatilhas, sendo que essa última é o carro chefe da empresa. A marca tem um estilo fashion despojado com estampas elaboradas e com destaque para o conforto. O tíquete médio da Miarte é R$ 150.



Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

16/01/2018
Páscoa: fábricas de BH preveem aumento da produção
Crise não deve afetar vendas
16/01/2018
Carioca VemCmg chega à Capital dia 22
App oferece entrega por meio de motocicletas, carros e até bicicletas de condutores particulares
16/01/2018
92% das franquias no Brasil investem em inovação, diz pesquisa
Para 43,1%, iniciativa aumenta a rentabilidade
16/01/2018
Operários e exoesqueletos trabalham juntos na Fiat
Betim - Prestes a completar 42 anos, a fábrica da Fiat em Betim (Região Metropolitana de Belo Horizonte) avança na corrida para se enquadrar no conceito da indústria...
16/01/2018
"Ponto de partidas sempre tem de ser o cliente"
Como negócios do franchising podem desenvolver a inovação? Tudo depende do tipo de franquia e para que tipo de cliente você está fazendo essa entrega. O ponto...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.