22/07/2018
Login
Entrar




Finanças

16/06/2018

Especialistas aprovam antecipação feita pela CMN

Reuters
Email
A-   A+
São Paulo – A decisão do Conselho Monetário Nacional (CMN) de antecipar o fim do prazo médio de repactuação mínimo (PRC) para títulos dos fundos de investimento especialmente constituídos (FIE) de seguradoras e entidades abertas de previdência complementar é vista como positiva por profissionais do mercado financeiro. Pela nova regulação, veiculada pela imprensa na quinta-feira (14), as entidades ficarão livres da exigência a partir de 30 de agosto de 2019.

Na sexta-feira (15), pós-ação conjunta do CMN com o Banco Central e o Tesouro, os juros futuros operavam em queda, depois de terem subido com força na quinta. Para o executivo de uma corretora em São Paulo, a medida é importante, levando-se em conta o momento atual. “Essa medida da CMN afetou muito a curva de papéis pré-fixados”, explicou.

“A dinâmica desses papéis, de uns dois anos pra cá, já estava muito ruim. O preço deles estava fora do que outros ativos indicariam como preço ‘justo’ devido à excessiva demanda por eles”, disse o profissional. “Além disso, ao comprar esses papéis, esses gestores compram junto o DI, ou seja, eles exercem uma pressão compradora no mercado futuro e foram muito responsáveis pelo aumento de inclinação na curva de juros no período (ponta longa subir em relação à curta).

Arrefecimento do mercado - De acordo com o diretor, com a saída programada dos fundos, “haverá uma diminuição de compradores de DI, o que deve arrefecer o mercado, e acredito eu ser esse o motivo da medida”.

Em nota a clientes, a Renascença ressaltou que os “EAPCs (Entidade Aberta de Previdência Complementar) não são obrigados a vender, mas não existe essa obrigatoriedade de manter o prazo em 730 dias corridos a partir do mês que vem, sendo assim, os recursos serão melhor direcionados”.

O CMN já havia alterado em fevereiro a regulação que vigia até então, que exigia um PRC (ou duration, no jargão do mercado financeiro) mínimo de dois anos - ou 730 dias - para esses ativos. A medida do início do ano criava uma transição até março de 2020 para a extinção do PRC. O Ministério da Fazenda decidiu acelerar essa transição por considerar que a iniciativa foi bem recebida pelo mercado.

“Achei interessante. Vai desarmar a posição do fundo no longo prazo. Antes, o pessoal da previdência tinha que manter uma duration”, avalia o sócio-gestor da Leme Investimentos, Paulo Petrassi. “Isso atenua, mas não vai resolver a pressão de alta na curva. Porque o pano de fundo é o cenário externo ruim e o interno com incertezas, como as eleições. O que pode de fato ajudar é se acalmar lá fora”, acrescentou.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/07/2018
Governo reduz projeção de crescimento do País
Em novo documento, estimativa para avanço do PIB sofreu corte significativo, saindo de 2,5% para 1,6%
21/07/2018
Dólar despenca e tem maior recuo semanal em 5 meses
São Paulo - O dólar despencou e foi abaixo de R$ 3,80, na sexta-feira (20), com os investidores respirando mais aliviados diante da cena eleitoral doméstica e sob...
21/07/2018
Caixa pode receber R$ 1,8 bi da União
São Paulo - A Caixa Econômica Federal receberá neste ano uma capitalização de R$ 1,8 bilhão de seu controlador, o governo federal, com recursos de...
21/07/2018
Alocação de recursos ainda será discutida
Brasília - O ministro do Planejamento, Esteves Colnago, disse, na sexta-feira (20), que o governo decidirá até o fim deste mês onde irá alocar os R$ 666,6...
20/07/2018
Dinheiro lidera meios de pagamento
Apesar de uso ter caído em 5 anos, cédulas e moedas ainda são as preferidas da população
› últimas notícias
Exportações de soja devem ser recorde no próximo ano
Renovação da concessão da EFVM pode ser resolvida na Justiça
Pessimismo aumenta na indústria mineira
Minas mantém sequência de superávit
Brasil fecha 661 vagas com carteira assinada
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


21 de julho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.