17/08/2018
Login
Entrar

Internacional

14/06/2018

Federal Reserve aumenta taxa de juros pela 2ª vez em 2018

Decisão do banco central americano foi unânime
AE
Email
A-   A+
Taxa dos Fed funds avançou em 0,25 ponto percentual, para a faixa entre 1,75% e 2,0%/Britt Leckmann/Fed/Divulgação
São Paulo - O Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) elevou a taxa dos Fed funds em 0,25 ponto percentual, para a faixa entre 1,75% e 2,0%. A decisão de ontem foi unânime (8 a 0) e marca a segunda elevação no ano de 2018. A taxa de desconto também foi elevada em 0,25 ponto percentual, para 2,50%.

Informações recebidas pelo Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do Fed entre a reunião de política monetária de maio e o encontro de ontem indicam que o mercado de trabalho continuou a se fortalecer e a atividade econômica tem se expandido a um ritmo “sólido”, aponta o comunicado da instituição.

“Ganhos de empregos têm sido fortes, na média, em meses recentes, e a taxa de desemprego declinou”, afirma o Fed. “Dados recentes sugerem que o crescimento de gastos das famílias acelerou, enquanto o investimento em capital fixo de empresas continuou a crescer fortemente”.

A nota do BC americano comenta ainda que, na base de 12 meses, tanto a inflação nominal, quanto a inflação excluindo alimentos e energia se aproximaram de 2%, ao passo que indicadores de expectativa de inflação de prazo mais longo mudaram pouco, na média.

Em seu comunicado, o Fed lembra de seu mandato de garantir máximo emprego, com estabilidade de preços. “O Comitê espera que mais elevações graduais na taxa para os fed funds sejam consistentes com a expansão sustentável da atividade econômica, condições fortes do mercado de trabalho e inflação próxima da meta simétrica de 2% do comitê no médio prazo”, diz, acrescentando que os riscos à perspectiva econômica parecem em geral equilibrados.

Leia também:
País pode ter ainda mais duas elevações


Política monetária - Diante das condições atuais e das expectativas para o mercado de trabalho e a inflação, os dirigentes do Fed afirmam que decidiram elevar os juros para a faixa entre 1,75% e 2%, mas argumentam que isso não significa um endurecimento excessivo: “A postura da política monetária continua acomodatícia, portanto, apoiando as condições fortes no mercado de trabalho e uma volta sustentável à inflação em 2%”, destacam.

O Fed diz ainda que, ao determinar o cronograma e o tamanho de ajustes futuros da taxa de juros, avaliará as condições reais e as esperadas para a economia, tendo em vista seus objetivos para inflação em 2%, com máximo emprego.

“Essa avaliação levará em conta uma série de informações, incluindo medidas das condições do mercado de trabalho, indicadores de pressão inflacionária e expectativas para a inflação e leituras dos acontecimentos financeiros e internacionais”, afirma o comunicado.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

17/08/2018
China e EUA acertam rodada de negociações para o fim deste mês
Reunião pode significar progresso na solução de conflito
17/08/2018
Itália e UE trocam acusações por queda de ponte
Roma - A atribuição de culpa alheia pelo colapso fatal da ponte Morandi, na Itália, se intensificou ontem com autoridades italianas e da União Europeia (UE) buscando...
15/08/2018
EUA ameaça com novas sanções e Turquia promete retaliar
Pressão americana é para que turcos libertem pastor
15/08/2018
Militares são presos suspeitos de ataque
Caracas - O procurador-geral da Venezuela, Tarek Saab, revelou, na terça-feira (14), que dois militares de alta patente foram presos por suposto envolvimento em explosões de drones...
14/08/2018
Argentina eleva taxa de juros para 45% para conter o dólar
Decisão ocorre após a crise na Turquia movimentar os mercados globais
› últimas notícias
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


17 de agosto de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.