Publicidade
18/08/2017
Login
Entrar

Economia

14/02/2017

Fiemg chega aos 84 anos forte e atenta ao futuro

Desde 1933, compromisso é o desenvolvimento e a prosperidade do setor
Mara Bianchetti
Email
A-   A+
Prédio da Fiemg em BH retrata a força da indústria mineira/Alisson J. Silva
A Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) chega aos 84 anos com a certeza de que a história construída com o passar do tempo a fez forte para enfrentar as dificuldades do presente e lhe dará condições de construir um futuro melhor. Tomando como base o passado de pioneirismo e liderança, preparando o industrial mineiro para os anos que virão, a entidade deseja continuar seu trabalho visando sempre o melhor da indústria mineira.

Essas são as palavras e os desejos do presidente da Federação, Olavo Machado Junior. À frente da Fiemg desde 2010, Machado Junior acompanhou as recentes transformações da economia nacional e internacional, bem como os impactos diretos na indústria do País e de Minas Gerais.

“É preciso, cada vez mais, aprender a conviver com as dificuldades impostas ao setor industrial, principalmente no que se refere às questões políticas e econômicas. Diante deste cenário, a Federação não espera apenas liderar, mas contribuir da melhor maneira para o setor”, explicou.

Neste sentido, o presidente da Fiemg lembrou que a entidade passou diferentes momentos sociais, políticos e econômicos desde a sua fundação, em 1933, e que, com o passar dos anos, sua história e seu funcionamento foram mantidos e preservados, ao passo que seu engajamento só aumentou.

Prova disso é que a entidade continua atuando com o mesmo compromisso firmado por seus pioneiros fundadores, Américo René Giannetti, Alvimar Carneiro de Rezende e Euvaldo Lodi: “Promover o desenvolvimento e a prosperidade de todas as atividades industriais, atuando em prol dos seus interesses e, também, dos interesses do País”. Em 12 de fevereiro de 1933, eles se reuniram com sete sindicatos e 25 empresas e fundaram a Fiemg. Hoje, a parceria se estende a 138 sindicatos, que representam todos os setores industriais do Estado.

“Em suma, a Fiemg trabalha para que a indústria mineira se torne cada vez mais competitiva, inovadora e sustentável, capaz de gerar novos negócios, riqueza e desenvolvimento para Minas Gerais. Uma indústria que se destaque no Brasil e no exterior, e que seja o motor para o crescimento econômico e social de todo o Estado”, definiu o presidente.

Serviços e produtos - Para isso, a entidade conta com serviços e produtos oferecidos pelas cinco empresas que compõem o chamado Sistema Fiemg: a própria Fiemg, o Centro Industrial e Empresarial de Minas Gerais (Ciemg), o Serviço Social da Indústria (Sesi), o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e o Instituto Euvaldo Lodi (IEL). “Juntas, essas empresas oferecem à indústria mineira estratégias para o desenvolvimento industrial”, destacou Machado Júnior.

Vale lembrar que, ao longo de sua história, a Fiemg participou ativamente de campanhas memoráveis, que resultaram na criação de importantes empresas mineiras como a Mannesmann, a Usiminas, a Refinaria Gabriel Passos e o Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG). Além disso, nos anos 70, integrou programas e projetos que resultaram no boom de industrialização do Estado, que culminou, em 14 de março de 1973, com a implantação da Fiat Automóveis em Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH).


Veja também:

Confira a participação do presidente da Fiemg, Olavo Machado Junior, no Diálogos DC



Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

18/08/2017
Cinco municípios geram empregos em Minas
Nova Serrana, João Monlevade, Patrocínio, São Gotardo e Patos de Minas respondem por 15,5% das vagas
18/08/2017
Exportações das cidades-polo estão em alta
Entre as regiões analisadas, somente Santa Rita do Sapucaí registra queda nos embarques neste ano
18/08/2017
Governo federal está aberto a negociar usinas com Cemig
Porém, concessionária terá que apresentar garantias, segundo Coelho Filho
18/08/2017
Eletrobras vai recorrer da cobrança de R$ 2,9 bilhões por parte da Aneel
Rio - A Eletrobras vai recorrer da decisão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) de cobrar R$ 2,998 bilhões por conta de cobranças supostamente...
18/08/2017
Consumo de energia elétrica caiu 1,4% na primeira quinzena de agosto
São Paulo - O consumo de energia elétrica no Brasil caiu 1,4 % entre os dias 1º e 15 de agosto, na comparação com igual período de 2016, segundo dados da...
› últimas notícias
Cinco municípios geram empregos em Minas
Exportações das cidades-polo estão em alta
Governo federal está aberto a negociar usinas com Cemig
WV Empreendimentos lança 2º loteamento em Uberlândia
Eletrobras vai recorrer da cobrança de R$ 2,9 bilhões por parte da Aneel
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:

Cadastrar
› Mais Lidas
Desoneração da folha afeta a Previdência
BNDES aprova R$ 122,8 milhões para Instituto Senai
Roubo de cargas onera toda a sociedade
Receita da Pif Paf deve ir a R$ 4 bilhões
Magnesita Refratários reporta prejuízo líquido de US$ 41,4 milhões
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


19 de August de 2017
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.