20/06/2018
Login
Entrar

DC Franquia

15/11/2017

Fiorella Gelato planeja mais duas lojas em BH

Daniela Maciel
Email
A-   A+
O calorão da primavera, que ultrapassa os 30 graus Celsius em Belo Horizonte, tem animado os donos da Fiorella Gelato, que completa um ano em novembro. Os amigos passaram um ano estudando o mercado mineiro e realizando cursos para aprender as técnicas de fabricação do legítimo gelato italiano.

Após desenvolver mais de 80 sabores e apostar em receitas próprias e o gelato no palito, a marca já planeja a abertura de mais duas unidades também na região Centro-Sul para o ano que vem e a entrada no mercado de franchising logo depois.

De acordo com uma das sócias e responsável pela produção, Ananda Domingos, o investimento inicial de R$ 1 milhão, que ainda está sendo realizado na forma de ampliação da capacidade produtiva e reforma do espaço físico, deve ser recuperado entre 24 e 36 meses. “Queríamos ter um negócio próprio e fomos buscar conhecimento para isso. Pensamos, inclusive, em optar por uma franquia, mas queríamos mais autonomia. Já estamos vendendo praticamente o dobro do que vendíamos quando inauguramos. Naquela época não éramos conhecidos. Agora pretendemos entrar no mercado de eventos, fornecendo para festas, encontros sociais e corporativos e também para supermercados”, revela. A empresa gera 10 empregos.

Além dos sabores tradicionais, a aposta da casa é nos sabores típicos mineiros: Romeu e Julieta - com queijo Canastra e goiabada cascão - e Doce de Leite, campeões de vendas. As frutas típicas também fazem sucesso: jabuticaba e manga ubá, por exemplo, têm saída certa, porém exigem uma logística própria de produção.

“Essas são frutas que temos dificuldade de encontrar no mercado e armazenar. Elas só dão dentro de uma determinada estação e, normalmente, cultivadas por pequenos produtores. Então temos que viajar para buscar e trazer com muito cuidado porque são frutas delicadas. Isso faz com que o custo suba, mas, mesmo assim, vale a pena porque são sabores que nossos clientes procuram e a novidade é importante dentro da nossa estratégia”, explica a empresária.

Ainda na linha de desenvolvimento de novos produtos, a Fiorella já oferece gelatos diet e começa a desenvolver outros itens para dietas restritivas como zero lactose e zero glúten. Para isso é importante redobrar a atenção durante o processo de fabricação dos gelatos. “Essa é uma exigência cada vez maior do público, porém, é preciso muito cuidado na manipulação e armazenamento dos ingredientes. A contaminação cruzada pelo uso de equipamentos e utensílios e até pela forma de armazenagem é um risco que precisa ser muito bem controlado”, destaca.

O crescimento da Fiorella está dentro de um mercado promissor e ainda pouco desenvolvido no Brasil. Considerado alimento nutritivo em muitos países, especialmente nos europeus, sorvete e gelato são vistos como sobremesas e por isso têm um baixo consumo per capta no Brasil. Segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias e do Setor de Sorvetes (Abis) foram consumidos mais de 1 bilhão de litros de sorvetes e o consumo per capita foi de 4,86 litros/ano em 2016, com faturamento do setor acima de R$ 12 bilhões. A Nova Zelândia é o maior consumidor mundial do produto, com índice de 28,3 litros/habitante/ano, seguida pelos EUA (20,8), Austrália (18,1), Finlândia (14,3) e Suécia (14,3).

No Brasil, a produção do sorvete de massa atingiu a marca de 675 milhões de litros em 2016, 195 mi/l de picolés e 133 mi/l de soft. Este segmento conta com 8 mil empresas, sendo que 92% se enquadram entre micro e pequenas, gerando 75 mil empregos diretos e 200 mil indiretos.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

22/02/2018
Clube de Permuta estima movimentar R$ 60 milhões
Rede projeta somar 20 unidades em todo o País ainda este ano
22/02/2018
Multicoisas vai abrir 35 lojas em 2018
De acordo com o gerente de expansão da Multicoisas, rede de franquias do setor de negócios, serviços e produtos especializada na comercialização de...
22/02/2018
Kumon planeja inaugurar mais 10 escolas em Minas
O Kumon, rede de franquia educacional, com mais de 1.400 unidades espalhadas por cerca de 550 cidades brasileiras, reforça a expansão em Minas. De acordo com o gerente de...
07/02/2018
Meta da Buddys é chegar a 50 escolas
30 delas devem ser inauguradas ainda no primeiro semestre, as demais até dezembro
07/02/2018
Cheirin Bão vai valorizar pequenos produtores
Cafés tão distintos e de edição limitada que valem a pena esperar por eles e conhecer a sua história são a nova aposta de franquia de café especial...
› últimas notícias
Novo cenário econômico impacta a construção civil
MRS firma parcerias para avançar
Camex susta antidumping a produtos de China e México
Compras das siderúrgicas retraem 3%
Anfavea e Finep estudam construção de centro de testes automobilísticos
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


20 de junho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.