Publicidade
21/08/2017
Login
Entrar

Economia

21/04/2017

Furnas investe R$ 32 milhões em usina de resíduos

Unidade de tratamento de lixo sólido urbano, em Boa Esperança, será capaz de gerar 1 megawatt de energia
Leonardo Francia
Email
A-   A+
Maquete da usina protótipo de Boa Esperança, no Sul de Minas, que deve criar 24 empregos diretos no município/Divulgação
A Furnas Centrais Elétricas vai investir R$ 32 milhões na construção de usina protótipo, capaz de gerar 1 megawatt de energia elétrica a partir do tratamento de resíduos sólidos urbanos, em Boa Esperança, no Sul de Minas. O empreendimento está sendo implantado em parceria com a paulista Carbogás Energia Ltda e deve gerar 24 empregos diretos no município mineiro.

Conforme explicou o gerente de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação de Furnas, Nelson de Araújo dos Santos, a construção da usina em Boa Esperança faz parte da segunda fase de um projeto de pesquisa da empresa. Na primeira etapa, foi construída uma planta piloto em Mauá (SP), que confirmou a viabilidade da tecnologia.

“Iniciamos as pesquisas em 2012, fizemos um planta piloto em escala reduzida e as validações necessárias. Com a construção da usina em Mauá, entendemos como o equipamento funciona e agora partimos para um modelo em escala maior, para constatar como a tecnologia vai se comportar. Somente depois dos resultados da planta em Boa Esperança partiremos para a geração de energia e, se isso acontecer, o empreendimento pode virar um novo negócio para a empresa”, detalhou.

A planta mineira será erguida no entorno do reservatório da Usina de Furnas, em um terreno de 7,8 mil metros quadrados, com conexão com a rede elétrica da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). Além disso, o projeto está regulamentado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), no âmbito do Programa de Pesquisa e Desenvolvimento.

A usina usará a gaseificação a leito fluidizado, processo inovador, com tecnologia 100% nacional. Basicamente, a planta utiliza um processo termoquímico para produzir gases combustíveis, usados posteriormente em caldeiras e turbinas a vapor para gerar energia elétrica, sem emissões no meio ambiente. Quando entrar em operação, a previsão é de que a plataforma opere em três turnos, com oito funcionários em cada um, mas podem ocorrer alterações.

40 mil habitantes - De acordo com o gerente de Furnas, apesar de a usina ser dimensionada para atender cidades de 40 mil habitantes, nada impede que a iniciativa seja implantada em regiões mais populosas. Nesse caso, podem ser usadas várias usinas em pontos estratégicos, o que reduz os custos de transporte dos resíduos, ou uma única unidade de maior porte.

Estimativas iniciais mostram que até 25% da energia elétrica para a faixa residencial pode ser atendida pela energia produzida com os resíduos sólidos urbanos. Além disso, a tecnologia pode, futuramente, ser solução para a destinação do lixo sólido urbano no País.
Dados do Plano Nacional de Resíduos Sólidos mostram que de 4.469 municípios investigados, 1.856 não fazem nenhum tipo de tratamento e 2.358 depositavam seus resíduos em lixões.

Outra pesquisa, de 2012, do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento, revelou que grande parte das 64 milhões de toneladas de lixo urbano coletadas não era tratada adequadamente. Em 2014, o cenário já era outro: 65% dos municípios praticavam coleta seletiva.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

19/08/2017
Cemig oferece R$ 11 bilhões para evitar leilão
Proposta de manter concessão de quatro usinas foi aceita pelo governo, desde que estatal apresente garantias
19/08/2017
Diminui o pessimismo entre os empresários em Minas, aponta Fiemg
Icei subiu em agosto, mas continua abaixo da linha do otimismo
19/08/2017
ENTREVISTA | FRANK SINATRA, PRESIDENTE DA FCDL-MG
Comércio quer negociar com o governo mineiro a redução da carga tributária
19/08/2017
Banco Central registra avanço de 0,2% no Sudeste
Boletim Regional do banco aponta acomodação do cenário, com perspectiva de recuperação gradual
19/08/2017
Grupo ABC vai investir em Patos de Minas
Hipermercado deverá ser inaugurado até o início de 2018 e vai gerar aproximadamente 300 empregos
› últimas notícias
Cemig oferece R$ 11 bilhões para evitar leilão
Diminui o pessimismo entre os empresários em Minas, aponta Fiemg
ENTREVISTA | FRANK SINATRA, PRESIDENTE DA FCDL-MG
Banco Central registra avanço de 0,2% no Sudeste
Federaminas difunde projeto de educação financeira em MG
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:

Cadastrar
› Mais Lidas
Desoneração da folha afeta a Previdência
Rombo na Funcef é alvo de protesto
Cinco municípios geram empregos em Minas
Dívida do setor público é estimada em 75,7% do PIB
Mineira Supremo Carnes abre planta em Campo Belo
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


19 de August de 2017
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.