Publicidade
29 de May de 2017
Login
Entrar

Finanças

17/03/2017

Fusões e aquisições são retomadas

Operações no Brasil movimentaram R$ 179,2 bi no ano passado, alta de 63,7%
Email
A-   A+
Setor de petróleo e gás liderou as operações realizadas no Brasil em 2016, movimentando R$ 46,3 bilhões/
São Paulo - O volume de operações de fusões e aquisições no ano passado foi o segundo melhor resultado dos últimos cinco anos, voltando aos níveis de 2014, informou a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) em seu boletim divulgado nessa quinta-feira (16). De acordo com a associação, o total de operações alcançou R$ 179,2 bilhões no ano passado, superando os R$ 109,5 bilhões de 2015, equivalente a um aumento de 63,7%. O número de operações cresceu 24,3%, passando de 111, em 2015, para 138.

“O ano de 2016 foi bastante importante, marcando a retomada das fusões e aquisições, tanto em volume financeiro como em número de operações”, disse o coordenador do Subcomitê de Fusões e Aquisições da Anbima, Dimas Megna. Ele destacou também que o volume de aquisições de empresas brasileiras por estrangeiras foi recorde da série histórica da Anbima, ou seja, desde 2008, alcançando R$ 122 bilhões.

Megna afirmou, durante teleconferência com a imprensa para apresentação dos números, que a Anbima segue positiva em relação às perspectivas para o desempenho do setor este ano, mas indicou que a recuperação macroeconômica e a concretização das reformas são essenciais para esse movimento.

“O ano de 2016 mostrou uma retomada de confiança, melhor expectativa dos investidores e percepção de valor. Acreditamos, portanto, que se as expectativas econômicas e de reformas se concretizarem, teremos um bom cenário para que o ano seja bastante bom”, afirmou. Isso vale para o interesse dos investidores estrangeiros que tiveram grande peso nas transações do ano passado, segundo ele.

Megna notou que os fundos de private equity internacionais têm participado de operações maiores e que, havendo cristalização dos parâmetros macro e de reformas, a expectativa é de que a tendência seja mantida em 2017. Em 2016, os private equities estiveram presentes direta ou indiretamente em 24 transações, que movimentaram R$ 28,3 bilhões, ante R$ 11,3 bilhões em 2015.

Setores - Por setor, o boletim da Anbima mostrou que o de Petróleo e Gás liderou em volume, representando R$ 46,3 bilhões, enquanto que o setor de Assistência Médica/Produtos Farmacêuticos liderou em número, com 14 operações no ano passado.

O boletim mostrou ainda que a maior concentração nas operações se deu em transações entre R$ 20 milhões e R$ 99 milhões. Entretanto, o destaque foi o crescimento no volume de operações na faixa de R$ 5 bilhões a R$ 9,9 bilhões, que passaram a representar 6% do total de transações, contra zero em 2015. (AE)

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

27/05/2017
Superávit primário atinge R$ 12,9 bilhões
Este é o melhor resultado registrado em abril desde 2015, conforme o Banco Central
27/05/2017
Ibovespa tem alta de 1,36% apesar do choque com a demissão de Maria Silvia Bastos
São Paulo - O pedido de demissão da presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Maria Silvia Bastos Marques, foi o principal fato da...
27/05/2017
Preços na ?porta da fábrica? recuaram 0,12% em abril e acumulam queda de 0,2% no ano
Rio - O Índice de Preços ao Produtor (IPP), que inclui preços da indústria extrativa e de transformação, registrou queda de 0,12% em abril, informou na...
27/05/2017
Moody's altera a perspectiva do Brasil para negativa
São Paulo - A agência de classificação de risco Moody’s Investors Service voltou a alterar a perspectiva do rating do Brasil de estável para negativa. A...
26/05/2017
Governo central registra superávit
Resultado de abril ficou positivo em R$ 12,570 bilhões, informa o Tesouro Nacional
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.