Publicidade
23/04/2018
Login
Entrar

Economia

15/11/2017

Governo discute com o setor programa que vai substituir o Inovar Auto

AE/Reuters
Email
A-   A+
Brasília - O presidente Michel Temer recebeu na terça-feira, no Palácio do Planalto, representantes da indústria automobilística para tratar da regulamentação do programa automotivo Rota 2030. O novo projeto deve substituir o Inovar Auto, que termina em dezembro deste ano, e mudar a configuração da alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) que incide sobre os produtos do setor.

 “Não discutimos detalhes do programa, mas o que tem esboçado é que realmente os 30% (do IPI sobre os carros importados) caem e isso deverá ter alguma alíquota complementar da ordem de 10% ou 15%, que poderá ser anulada mediante compromisso que as empresas venham a fazer, mais ou menos nos moldes do Inovar Auto”, disse o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antônio Megale.

Segundo ele, o novo programa é uma “evolução” dos pontos positivos do Inovar Auto e não deve estimular aumento ou redução dos preços dos automóveis, pois as empresas poderão ficar isentas dos reajustes nas alíquotas se investirem em pesquisa e desenvolvimento no país, entre outras atividades ou compromissos.

Ele afirmou ainda que os incentivos do novo projeto devem priorizar a capacidade industrial já instalada no País e iniciativas de aumento da eficiência energética e segurança dos veículos para aumentar economia de combustível e reduzir emissão de CO2 (gás carbônico).

Durante o encontro, a Anfavea apresentou um balanço com sinais de recuperação da indústria automotiva e demonstrou o apoio do setor às reformas empreendidas pelo governo, em especial à da Previdência, para “consolidar a previsibilidade” e capacidade de atrair investidores e gerar empregos e renda.

Também participaram da reunião o presidente da Volkswagen na América do Sul, Pablo Di Si; os ministros da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira; da Fazenda, Henrique Meirelles, e da Casa Civil, Eliseu Padilha.

Dados – De acordo com os últimos dados divulgados pela Anfavea, a produção brasileira de veículos em outubro subiu 5,3% ante setembro e avançou 42,2% na comparação com o mesmo mês de 2016, para 249,9 mil unidades.

As vendas de carros, comerciais leves, caminhões e ônibus novos no País no mês passado somaram 202.857 unidades, crescimentos de 1,8% na comparação mensal e de 27,6 por cento na relação anual.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/04/2018
Minas tem superávit de 14 mil empregos
Estado registra saldo positivo na geração de postos formais de trabalho pelo terceiro mês consecutivo
21/04/2018
Codemge lança edital para projetos estruturais
Companhia também já trabalha, em outra linha, para obter o licenciamento ambiental do novo distrito
21/04/2018
Justiça adia acordo entre Samarco e MPF
O possível acordo que seria estabelecido entre o Ministério Público Federal (MPF) e a mineradora Samarco e suas controladoras Vale e BHP Billiton Brasil para...
21/04/2018
Usiminas tem lucro líquido de R$ 157,2 mi
A Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais (Usiminas) encerrou o primeiro trimestre com lucro líquido de R$ 157,2 milhões. O resultado confirma a curva ascendente dos resultados da...
21/04/2018
Venda de veículos novos avança na Capital
As concessionárias de BH venderam mais veículos novos no primeiro trimestre de 2018 na comparação com o mesmo período do ano anterior. O resultado positivo pode...
› últimas notícias
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


20 de abril de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.