Publicidade
12/12/2017
Login
Entrar

Economia

10/11/2017

Governo federal lança programa que engloba investimentos de R$ 130 bilhões até o próximo ano

FP
Email
A-   A+
Programa Agora, É Avançar foi lançado ontem no Palácio do Planalto/Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr
Brasília - Em busca de uma agenda positiva, o governo lançou ontem, em evento no Palácio do Planalto, o “Agora, É Avançar”, programa que engloba investimentos de R$ 130 bilhões para retomar obras paradas e projetos de infraestrutura até o final do próximo ano, quando acontecem as eleições presidenciais.

Na prática, muitas das obras abrangidas já estavam listadas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), programa dos governos Lula e Dilma que foi um dos principais alvos do forte contingenciamento de recursos nos últimos anos. Também foram abrigados sob o guarda-chuva do Avançar projetos e iniciativas tocados por diferentes ministérios.

O ministro Dyogo Oliveira, do Planejamento, afirmou que a partir de agora esses investimentos terão prioridade na execução do Orçamento.

Para diferenciar o programa, o governo afirma que as obras realizadas em parceria com a iniciativa privada, diferentemente do que ocorria com o PAC, não estão listadas no Avançar. Dessa forma, o valor a ser investido não seria inflado.

O programa será dividido em três frentes: o Avançar, com R$ 42,1 bilhões de recursos do Orçamento para 6.233 obras, o Avançar Cidades, com R$ 29,9 bilhões da Caixa Econômica e do FGTS para 1.109 projetos, e o Avançar Energia, com R$ 58,9 bilhões de estatais de energia para 97 projetos.

“Para todos esses investimentos temos recursos previstos no Orçamento, e terão prioridade de aplicação. Não incluímos nada que não seja ação governamental, nada da iniciativa privada”, declarou.

No total, de acordo com Oliveira, são 7.439 obras que estão paralisadas ou em ritmo lento e que serão concluídas até 2018 - a principal concentração dessas obras é no Nordeste, onde estão 3.186 desses projetos.

Os recursos serão divididos entre infraestrutura, política social, defesa, habitação, mobilidade urbana, saneamento e geração e transmissão de energia.

Ilações - Em discurso, o ministro Moreira Franco (Secretaria-Geral) afirmou que o programa irá agilizar obras “que estavam paralisadas há anos” e ressaltou que o governo federal venceu “adversidades”.

Ele ressaltou que foram feitas “ilações” contra o presidente Michel Temer, mas que desmontaram a gestão peemedebista. “Enganam-se os que pensaram que a trama que urdiram iria nos desmontar. Ao contrário, tivemos coragem para fazer com que o governo continue a avançar”, disse.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

12/12/2017
Samarco dá passo para retomar operações
Pedidos de licença prévia e de licença de instalação para uso da cava Alegria do Sul são aprovados
12/12/2017
Lojistas dos shoppings de BH apostam em bons resultados
Otimista, setor adota estratégias para atender incremento da demanda
12/12/2017
Quantidade de devedores se mantém estável no País
O número de devedores no Brasil ficou estável em novembro em relação a outubro, com uma variação de 0,15%. Em comparação com o mesmo...
12/12/2017
Entidades vão à Justiça contra grandes voos no Aeroporto da Pampulha
Associações de moradores da região e a AV Norte contestam portaria do Ministério dos Transportes
12/12/2017
Audiência pública aborda abertura de capital da Codemig nesta terça-feira
Deputados querem entender a meta real da proposta
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.