Publicidade
13/12/2017
Login
Entrar

Economia

08/12/2017

Governo quer mais celeridade nos processos

Plano de Eficiência Ambiental permitirá aprovações concomitantes das diferentes etapas de um empreendimento
Mara Bianchetti
Email
A-   A+
Um dos pilares da economia mineira, a mineração é um dos setores mais demandantes de licenciamento/Divulgação
O Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam) aprovou na última quarta-feira algumas alterações na Deliberação Normativa (DN) 74, que classifica os empreendimentos e atividades modificadoras do meio ambiente passíveis de autorização ou licenciamento ambiental. As mudanças incluem a inserção de fatores vocacionais nas classificações, permitindo uma melhor avaliação quanto ao modelo a ser adotado no processo, bem como a possibilidade de os municípios mineiros assumirem os licenciamentos ambientais do Estado.

Estas e outras medidas irão viabilizar o Plano de Eficiência Ambiental (PEA), lançado na última semana pelo governo de Minas Gerais. O programa visa equalizar a situação dos cerca de 2.300 processos que estão fora do prazo de tramitação e que se somam à média de outros 1.200 pedidos em análise correntes, com tramitação dentro do prazo regular.

De acordo com o secretário de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Germano Vieira, as mudanças vêm para dar maior racionalidade de análise aos processos, culminando com uma maior celeridade e certeza nos prazos dos licenciamentos.

“Após a aprovação, serão 60 dias para que as mudanças da DN entrem em vigor. Ou seja, estas mudanças nos permitirão um melhor resultado em 2018. Vamos ter, por exemplo, aprovações concomitantes das diferentes etapas de licenciamento de um mesmo empreendimento, sem que haja a flexibilização das regras e, ao mesmo tempo, um trabalho mais intenso junto aos municípios para que eles nos auxiliem nestes processos”, explicou.

Assim, a grande meta do Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) é zerar o número de processos de licenciamento ambiental fora do prazo legal de tramitação em Minas Gerais. Para isso, haverá a otimização do trabalho integrado dos órgãos que integram o sistema, fazendo com que o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), o Instituto Estadual de Florestas (IEF), a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), e a Fundação Estadual do Meio Ambiente (Feam) atuem juntos.

Vieira destacou que o objetivo é que a meta seja alcançada ao longo dos próximos anos. Conforme ele, atualmente, o número de análises concluídas chega a uma média mensal de 100 processos. Com a implantação do plano esse volume será maior. “A estimativa é que este número aumente em cerca de 20%, possibilitando que tenhamos uma média de 120 processos mensais no ano que vem”, disse.

Além das mudanças na DN, o secretário citou ainda um conjunto de instrumentos que está previsto para ser colocado em prática, de maneira a viabilizar o plano, tais como investimento em planejamento, equipamentos, sistemas de informação, padronização de análises técnicas, além de capacitação e treinamento dos servidores que receberão também uma ajuda de custo.

Regularização - “Eliminar o passivo do licenciamento é um grande objetivo do Sisema, porque essa medida gera uma consequência ambiental positiva. Por um lado, é possível desestimular a clandestinidade e, por outro, trazer o empreendimento à regularidade, determinando a condicionantes e monitoramento ambiental”, justificou.

Entre os avanços, conforme Vieira, estão os ganhos em diversas políticas públicas. “Um empreendimento, quando regularizado, precisa destinar seus resíduos de forma adequada, usar os recursos hídricos de maneira racional, estar com índices de poluição atmosférica dentro dos padrões”, completou.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

13/12/2017
Melhora na economia global favoreceu negócios na Bolsa
São Paulo - Além de investidores apontarem sinais de melhora na economia brasileira, com a queda dos juros e da inflação no País, a maior disponibilidade global...
13/12/2017
Conselho da concessionária de Guarulhos aprova aumento de capital de R$ 850 milhões
São Paulo - O conselho fiscal da concessionária do Aeroporto Internacional de Guarulhos aprovou aumento de capital de R$ 850 milhões, mediante a emissão de 1,104...
13/12/2017
Cade libera compra de complexo na Costa do Sauípe pela Termas do Rio Quente
Brasília - O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou, sem restrições, a compra do complexo turístico Costa do Sauípe, na Bahia, para...
13/12/2017
BR Distribuidora deverá ser a maior abertura de capital no Brasil desde o ano de 2013
São Paulo - A abertura de capital da distribuidora de combustíveis BR , da Petrobras, deverá marcar a maior oferta inicial de ações (IPO, na sigla em...
13/12/2017
Senado aprova socorro bilionário à Caixa Federal
Brasília - O socorro bilionário à Caixa Econômica Federal, com dinheiro dos trabalhadores depositados no FGTS, precisará passar novamente pelo crivo da...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.