Publicidade
11/12/2017
Login
Entrar

Negócios

08/12/2017

Governo vai oferecer crédito de R$ 450 mi para obras e compra de equipamentos

Da Redação
Email
A-   A+
O ministro Marx Beltrão lançou em Maceió o Novo Fungetur, linha de crédito do Ministério do Turismo com condições diferenciadas para dinamizar o mercado. As micro e pequenas empresas terão prioridades para acessar os R$ 450 milhões disponíveis para construção, reforma, ampliação ou compra de equipamentos turísticos. No novo formato, oito instituições financeiras estarão habilitadas para gerir o recurso.

“O turismo é um dos setores da economia que mais cresceu nos últimos anos. A oferta de mais crédito tem como objetivo manter esse crescimento e dar mais fôlego para que empresários continuem investindo, gerando emprego e renda através de nosso setor”, afirmou o ministro durante o lançamento.

A ampliação dos investimentos no setor, citada pelo ministro, é fundamentada em pesquisa realizada pelo Ministério do Turismo com 716 empresas que empregam 79.319 mil pessoas (Boletim de Desempenho Econômico do Turismo). De acordo com o estudo, 66% dos empresários do setor manifestaram intenção de investir parte do faturamento apurado ainda em 2017. O maior percentual, 15,2%, é projetado pelo segmento de turismo receptivo, seguido dos organizadores de eventos (8,1%), meios de hospedagem (5,2%) e transporte aéreo (4,7%).

Para Marx Beltrão, os financiamentos com recursos do Novo Fungetur melhoram não só os serviços prestados ao turista, mas também geram oportunidades de novos negócios e, consequentemente, abrem vagas no mercado de trabalho em atividades direta ou indiretamente ligadas ao turismo.

O Fungetur é um fundo especial criado por lei e vinculado ao MTur. Os financiamentos têm prazo de amortização de até 20 anos com até cinco anos de carência. Os juros são a partir de 5% ao ano somados mais o INPC.

A novidade anunciada na quinta-feira (7) pelo ministro Marx Beltrão foi o credenciamento de oito instituições financeiras para operação da linha de crédito, o que deve tornar o Fungetur mais competitivo. Antes, só a Caixa Econômica Federal operava os recursos do Fundo. Outra novidade é que os recursos transferidos à instituição financeira credenciada, caso não contratados, poderão ser recolhidos após 120 dias e redistribuídos para as demais instituições financeiras credenciadas, de acordo com seu desempenho na concessão de crédito. Instituições credenciadas para operar o novo fungetur:

• Agência de Fomento do Mato Grosso;
• Agência de Fomento do Rio Grande do Sul (Badesul);
• Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes);
• Banco do Estado de Sergipe (Banese);
• Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG);
• Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE);
• Caixa Econômica Federal (CEF);
• Agência de Desenvolvimento Paulista (Desenvolve SP).


Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

08/12/2017
Ale amplia mercado através de parceiros
Expectativa é instalar mais 60 postos na sede de clientes, ultrapassando 200 em todo o Brasil
08/12/2017
De empreendedor para investidor: como construir uma relação ganha-ganha
Em uma mentoria coletiva, Fabiana Salles, da Gesto, e Patrick Arippol, do fundo DGF, compartilharam como têm criado uma boa parceria como empreendedora e investidor
08/12/2017
Black Friday aquece negócios das startups mineiras
Desde 2010, a Black Friday tem se consolidado como uma das datas mais esperadas pelo varejo e, agora, também vem mobilizando startups no planejamento para atender os clientes com agilidade e...
08/12/2017
Panelas de ferro Deli & Co já renderam R$ 1 milhão
Coworking é a base do negócio
08/12/2017
Dono da We basic e do Clube das Marcas abre primeira loja em shopping da Capital
Dados divulgados pela Associação Brasileira de Lojistas de Artefatos e Calçados (Abicalçados) mostram que o mercado calçadista brasileiro sofreu muito com a crise...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.