Publicidade
20/01/2018
Login
Entrar

DC Turismo

13/01/2018

Grupo Rio Quente, controlado pela Algar, conclui aquisição da Costa do Sauípe

Daniela Maciel
Email
A-   A+
Operação de Costa do Sauípe será mantida para garantir a excelência do atendimento/
O Grupo Rio Quente, que administra o complexo turístico Rio Quente, na cidade de mesmo nome, em Goiás - pertencente à holding Algar, sediada em Uberlândia, no Triângulo -, acaba de assumir o comando do complexo Costa do Sauípe, no município de Mata de São João, na Bahia. A aquisição realizada em novembro de 2017 e aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) em dezembro, envolveu valores da ordem de R$ 140,5 milhões - recursos próprios.

Há uma semana, teve início o processo de integração das equipes e sistemas envolvendo 20 executivos do Grupo Rio Quente. A operação dará origem a um gigante do segmento de resorts no Brasil. De acordo com o diretor de Experiência Marketing e Vendas do Grupo Rio Quente Resorts, Flávio Monteiro, a integração deve ser feita em um prazo de 180 dias.

“As equipes estão entusiasmadas. É um projeto longo para conhecermos profundamente o complexo, os processos e principalmente as pessoas. Toda aquisição gera insegurança. Já passamos dessa fase porque estamos cuidando principalmente das pessoas. Não temos previsão de demissões e vamos fazer a integração área por área”, explica Monteiro.

A operação de Costa do Sauípe será mantida para garantir a excelência do atendimento a todos os hóspedes na temporada de verão 2018, inclusive no mesmo regime (all inclusive). Nesta integração já está previsto a construção do Centro de Produção de Alimentos (CPDA), que conta com um investimento de aproximadamente R$ 20 milhões, com obras previstas para 2019 e funcionamento para 2020. Com a consolidação dos dois complexos, a receita bruta deve ser superior a R$ 600 milhões em 2018. A projeção do Capex (montante despendido na aquisição e/ou introdução de melhorias) entre 2017 e 2020 é de R$ 900 milhões.

Com a união, que preservará as duas marcas, o grupo passa a administrar 12 hotéis e cinco pousadas, que somam mais de 2,7 mil apartamentos, 1,9 milhão de hóspedes visitantes/ano, 4 mil colaboradores e 29 mil membros nos programas de férias compartilhadas dos dois complexos. O Rio Quente usará sua expertise na administração de hotéis e dos três parques que já possui em Rio Quente - Hot Park, Parque das Fontes e Eko Adventure Park - para implementar ações de Estratégia e Inovação em Sauípe. Para esta área, estão previstos investimentos na ordem de R$ 1,5 milhão em projetos de inovação para as duas unidades; e R$ 3,5 milhões de Capex em 2018. A gestão otimizada de diversas áreas deve permitir uma economia na ordem de R$ 20 milhões/ano ao unificar as áreas BackOffice, eficiência operacional e renegociação de grandes contratos.

“Nosso foco em 2018 é fazer essa integração e garantir solidez aos nossos associados e clientes. Estamos alinhando processos e um passo importante que acontecerá em breve será a unificação dos canais de vendas. Por enquanto, nossos clientes serão avisados através de banners nos sites e daqui a pouco poderão fazer reservas de um complexo por meio dos canais do outro”, afirma o diretor de Experiência Marketing e Vendas do Grupo Rio Quente Resorts.

Compartilhamento - Sobre a unidade de férias compartilhadas - Rio Quente Vacation Ownershio (RQVO) -, a estratégia é crescer 10% em receita de vendas em Rio Quente e, somando Sauípe, 25%. Neste segmento em que a operação do Grupo Rio Quente já está consolidada, o crescimento se dará por meio dos canais de inovação como Mini-Vac, Sales Opportunities Center (televendas) e Itinerantes. Os membros do RQVO e Sauípe Club serão comunicados, em breve, sobre como realizar o intercâmbio entre as propriedades e suas vantagens.

“Apostamos na transferência de credibilidade entre um empreendimento e outro. Os perfis dos complexos são complementares. O hóspede que já frequenta e reconhece a qualidade de um, pode se encantar pelo outro e ter mais facilidade para conhecê-lo seja por meio dos programas de fidelidade, unidades compartilhadas ou canais de venda”, destaca o executivo.

Ambos os destinos - as águas goianas e o litoral baiano - são muito queridos do público mineiro, que sempre ocupa os primeiros lugares no ranking de visitantes nacionais. Campanhas específicas para o turista de Minas Gerais ainda não foram pensadas, porém, é certo que continuará sendo um hóspede bastante desejado.

“Os mineiros gostam tanto do Rio Quente como do Costa do Sauípe pela qualidade e comodidade, já que são destinos próximos de Minas Gerais e com acesso fácil. E nós também somos mineiros, já que a Algar (controladora do Grupo Rio Quente) é de Uberlândia. Então é natural para nós recebê-los e contar com esse prestígio”, destaca o gestor.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

20/01/2018
Trade turístico contrata temporários e intermitentes
Só a Gi Group Brasil fechou 2017 com mais de 5 mil recolocações
20/01/2018
Grutas da Rota Peter Lund ganham nova iluminação
A pré-história de Minas Gerais já pode ser vista sob um novo olhar. As grutas da Rota Lund, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), ganharam novo projeto de...
13/01/2018
12 municípios ganham "portais de entrada"
Convênios, no valor de R$ 360 mil, têm como foco incentivar o turismo, transmitindo boas-vindas a quem chega
06/01/2018
Codemig assume Thermas Antônio Carlos
Expectativa é de que o empreendimento possa ser concedido para exploração pela iniciativa privada
06/01/2018
Trilhas brasileiras garantem muita aventura
Está comprovado: o Brasil é número um em recursos naturais, de acordo com relatório do Fórum Econômico Mundial, e destino certo para o viajante que procura...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.