Publicidade
24/11/2017
Login
Entrar

Economia

02/11/2017

Hermes Pardini expande negócios com aquisição da Ecoar Medicina Diagnóstica

Empresa incorporada teve receita bruta de R$ 22,6 mi em 2016
Mara Bianchetti
Email
A-   A+
Hermes Pardini quer consolidar posição em exames de alta complexidade/Colégio Padre Machado/Divulgação
O Instituto Hermes Pardini Ltda, centro de medicina diagnóstica sediado em Belo Horizonte, informou em comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) a aquisição da Ecoar Medicina Diagnóstica, com atuação na Capital e Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH). O valor da transação não foi divulgado.

Procurado pela reportagem, o Hermes Pardini alegou não poder comentar o assunto, em virtude do período de silêncio a respeito da publicação dos resultados do terceiro trimestre de 2017. Já na Ecoar Medicina Diagnóstica, ninguém foi encontrado para comentar o assunto.

Segundo o comunicado do Hermes Pardini, a Ecoar atua com destaque na área de exames de imagem, de medicina nuclear, métodos gráficos e cardiologia. Possui três unidades e receita bruta acumulada em 2016 de R$ 22,6 milhões.

“Esta aquisição permitirá à companhia reforçar seu corpo clínico especializado e auxiliá-la na consolidação de sua posição em exames de alta complexidade na área de imagem, além de abrir espaço para expandir seu foco na especialização em outras áreas, como cardiologia, oncologia e urologia”, aponta o documento.

Resultados - Conforme já publicado, o Hermes Pardini encerrou o primeiro semestre deste ano com lucro líquido de R$ 62,9 milhões, 22% de aumento frente ao montante apurado no mesmo intervalo de 2016 (R$ 51,6 milhões). Este é o segundo resultado divulgado pela companhia, após sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), concluída em fevereiro deste ano.

Até junho, a receita líquida dos serviços prestados do laboratório chegou a R$ 553,9 milhões, contra R$ 440,3 milhões em igual semestre de 2016, alta de 25,8%. A área de lab-to-lab (plataforma de exames) respondeu por aproximadamente 54,5% do faturamento da empresa e o segmento de PSC (outros produtos e serviços) por 46,5%.

A receita líquida do segmento foi de R$ 301,9 milhões na primeira metade deste ano, contra R$ 255,2 milhões nos mesmos meses de 2016, crescimento de 18,3%. O faturamento da área de PSC somou R$ 259,6 milhões e avançou 36,8%, em igual comparação.

Na época, o laboratório informou, através do relatório de divulgação dos resultados, que a estratégia da empresa em Minas Gerais “vem sendo reforçar os atributos da marca, por meio de melhorias no processo de atendimento e mudança de endereço de unidades relevantes”. A rede manteve suas 64 lojas abertas no Estado durante o primeiro semestre.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

24/11/2017
Belo Horizonte está confiante para o Natal
Setor espera alta de 1,42% nas vendas do período frente a 2016, com previsão de girar R$ 3,06 bilhões
24/11/2017
Mudanças na Lei Kandir devem encontrar resistência
Proposta de compensação aos estados tramita no Congresso Nacional
24/11/2017
Pequenos provedores de internet estão preocupados com o TAC da Telefônica
São Paulo - A Associação Brasileira dos Provedores de Internet e Telecomunicações (Abrint) solicitou à Agência Nacional de...
24/11/2017
Inflação no País está no menor patamar desde 1998
Rio - A prévia de novembro da inflação oficial do País, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), desacelerou ligeiramente ao fechar...
24/11/2017
BCR realiza aporte em centro de distribuição em Feira de Santana
Investimento na Bahia vai somar R$ 50 milhões
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.