Publicidade

Economia

17/02/2017

Horário de Verão reduz consumo em 0,5% em MG

Email
A-   A+
São Paulo - O horário de verão resultou na redução no consumo de energia de 0,5% em Minas Gerais, o que significa um volume correspondente a 108 mil megawatts-hora (MWh) de economia, informou a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig).

Ainda conforme a estatal, durante a vigência da medida, a companhia registrou uma redução diária de 4% na demanda máxima de energia, correspondente a 350 MW.

“A redução da demanda máxima no sistema é o maior benefício do horário de verão, porque alivia o carregamento nas linhas de transmissão, transformadores, sistemas de distribuição e unidades geradoras de energia, aumentando a confiabilidade e a segurança da operação do sistema elétrico, reduzindo o risco de ocorrência de desligamentos no Sistema Interligado Nacional”, explica o engenheiro de planejamento energético da Cemig Wilson Fernandes Lage.

Cálculos iniciais do governo federal indicavam que o sistema elétrico teria uma economia equivalente a R$ 147,5 milhões, correspondente ao custo evitado em despacho de usinas térmicas por questões de segurança e atendimento à carga. (AE)

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

30/03/2017
Abimaq-MG registra avanço de 10%
Apesar da receita maior em fevereiro, setor de máquinas e equipamentos soma perdas
30/03/2017
Prefeitura de Betim lança programas para enxugar folha
A Prefeitura de Betim, na Região Metropolitana de Belo Horizonte (RMBH), lançou dois novos programas: o Plano de Incentivo à Aposentadoria (PIA) e o Programa de Desligamento...
30/03/2017
Setor de serviços registra queda de 0,4% em Minas
O setor de serviços em Minas Gerais em janeiro apresentou uma pequena retração de 0,4% em relação a dezembro de 2016 e queda de 0,1% no comparativo com janeiro do...
30/03/2017
Carne Fraca desestimula o consumo em MG
Pesquisa da FCDL mostra que, em abril, 78,3% dos consumidores pretendem investir ao invés de comprar
30/03/2017
Recuperação de crédito sobe 1,37% em BH
Para a CDL-BH, alta em fevereiro reflete a queda nas taxas de juros e inflação, indicando tendência
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.