20/07/2018
Login
Entrar




Economia

13/01/2018

Ibama autoriza instalação de cinco plataformas

Reuters/AE
Email
A-   A+
Rio de Janeiro - A Petrobras já obteve junto ao órgão ambiental federal Ibama autorização para instalar cinco das sete plataformas previstas para entrar em operação no Brasil neste ano, cada uma delas com capacidade para produzir 150 mil barris por dia, informou a empresa nesta sexta-feira.

As unidades com licença de instalação até agora no Brasil são P-74, P-75 e P-76, que serão alocadas no campo de Búzios; P-67, na área de Lula Norte; e P-69, na área de Lula Extremo Sul; todas no pré-sal da Bacia de Santos.

Com isso, Búzios deverá ser o primeiro a receber unidades definitivas na chamada área da cessão onerosa, região do pré-sal envolvida em acordo feito com o governo federal em meio a um processo de capitalização da Petrobras em 2010.

As unidades que ainda dependem de licença de instalação são uma plataforma para a área de Tartarugas Verde e Mestiça, na Bacia de Campos, além da plataforma P-68, que será alocada no Campo de Berbigão, na Bacia de Santos.

As licenças para o campo de Búzios foram as últimas a serem emitidas, na quarta-feira, juntamente com uma licença de operação para a empresa iniciar um Teste de Longa Duração (TLD) no campo de Sururu, também na Bacia de Santos, através do FPSO BW Cidade de São Vicente.

Ao todo, a Petrobras prevê iniciar a produção de um total de oito plataformas ainda neste ano, contando com uma plataforma para o campo de Egina, na Nigéria.

Quando a petroleira anunciou em dezembro seu Plano de Negócios e Gestão 2018-2021, analistas de mercado afirmaram que o objetivo de iniciar a operação de oito plataformas neste ano era ambicioso, considerando eventuais atrasos da empresa para colocar plataformas em atividade.

Na ocasião, o presidente da Petrobras, Pedro Parente, minimizou os temores, defendendo que as plataformas previstas para 2018 estavam bem encaminhadas, com índice de conclusão de mais de 85%.

Campo de búzios - O Ibama concedeu três licenças ambientais de uma só vez para a instalação das plataformas P-74, P-75 e P-76, no campo de Búzios, na cessão onerosa do pré-sal da Bacia de Santos, cada uma com capacidade para produzir diariamente 150 mil barris de petróleo e 7 milhões de metros cúbicos de gás natural.

A licença ambiental de instalação (LI) tem validade até 18 de outubro de 2021 para a P-74 e até 21 de dezembro de 2021 para as demais. De acordo com o Plano de Negócios da Petrobras, a previsão é de que as três sejam instaladas e entrem em operação este ano, junto com mais outras quatro que serão instaladas no Brasil em outros campos. A P-77 está prevista para 2019, enquanto a P-78 deve iniciar as atividades em 2021.

O campo de Búzios, anteriormente chamado de Franco, faz parte de um conjunto de campos que formam o acordo entre a Petrobras e a União denominado de cessão onerosa. O acordo foi fechado em 2010, na ocasião da capitalização da Petrobras, e consistiu em uma troca indireta de ações da empresa por um volume de 5 bilhões de barris de óleo equivalente (petróleo e gás), em uma área no pré-sal da Bacia de Santos.

Grupo de trabalho - O ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, instituiu grupo de trabalho para identificar, analisar e sugerir ações necessárias para incentivar no País investimentos em infraestrutura, especificamente em atividades dos setores de refino de petróleo e de petroquímica. A decisão está publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira.

O grupo será composto por representantes do próprio MME, da Casa Civil da Presidência, dos ministérios da Fazenda, da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, do Planejamento e do Meio Ambiente, além da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) e da Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

Também os membros que integram o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) poderão fazer parte do grupo ou indicar representantes. O prazo para a conclusão dos trabalhos é de 60 dias. O relatório final deve ser apresentado ao CNPE.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

20/07/2018
Pesquisa revela que 96% dos usuários dos planos de saúde tiveram algum problema
Uma pesquisa feita pela Associação Paulista de Medicina (APM) aponta que 96% dos usuários de planos de saúde relataram algum tipo de problema na...
20/07/2018
Microsoft encerra trimestre com lucro de US$ 8,87 bi
São Paulo - A Microsoft apresentou lucro líquido de US$ 8,87 bilhões no quarto trimestre fiscal, o equivalente a US$ 1,14 por ação, apresentando...
20/07/2018
Confiança do empresário caiu 4,3% em julho, o nível mais baixo desde agosto de 2017
Rio de Janeiro - O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) caiu 4,3% em julho ante junho, para 103,9 pontos, informou ontem a Confederação...
20/07/2018
Inadimplência cresceu 1,98% em junho, alcançando 61,8 milhões de brasileiros
São Paulo - O índice de inadimplência do consumidor cresceu 1,98% em junho na comparação com o mesmo mês de 2017, informa a Serasa Experian. O...
20/07/2018
Superávit da balança comercial é de US$ 5,8 bilhões
Rio de Janeiro – A balança comercial brasileira registrou um superávit de US$ 5,8 bilhões em junho. O resultado levou a um saldo de US$ 30 bilhões no...
› últimas notícias
Centrão tende a fazer aliança com Alckmin
EDITORIAL | Contas que não fecham
CDL-BH entrega medalhas pelo Dia do Comerciante
Minas Gerais debate flexibilização na lei de agrotóxicos
@Festas investe R$ 8 milhões em expansão
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


20 de julho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.