Publicidade
21/09/2017
Login
Entrar

Finanças

09/09/2017

Ibovespa emplaca sétima semana em alta

Apesar de registrar queda de 0,45% na sexta-feira, índice acumulou valorização de 1,6% no período
Reuters
Email
A-   A+
Otimismo em relação ao avanço das reformas no Congresso Nacional está impulsionando a bolsa de valores/Divulgação
São Paulo - O principal índice da bolsa paulista fechou em baixa nesta sexta-feira, em movimento de ajuste após se aproximar da máxima histórica amparado no alívio com o cenário político. Apesar da queda na sessão, o Ibovespa emplacou a sétima semana seguida de alta.

O Ibovespa fechou em queda de 0,45%, a 73.078 pontos, encerrando a semana com alta acumulada de 1,6%. O giro financeiro somou R$ 8,5 bilhões.
O índice abriu com tom mais positivo, mas sem firmeza e trocou de sinal algumas vezes, passando de alta de 0,32% na máxima a queda de 0,66% no momento mais fraco do pregão.

O recente bom humor entre os investidores, que levou o Ibovespa na quarta-feira a se aproximar da máxima histórica de fechamento, se deve à perspectiva de que o governo do presidente Michel Temer está melhor posicionado para avançar com a sua agenda de reformas no Congresso, especialmente após o pedido de abertura de investigação da delação de executivos da J&F, controladora da JBS.

Esse otimismo ganhou mais força também após o Congresso concluir votações consideradas importantes esta semana, como a da criação da Taxa de Longo Prazo (TLP) e aprovação das novas metas fiscais.

Ainda no cenário local, após o fechamento dos mercados na quarta-feira, o Banco Central cortou a taxa básica de juros em 1 ponto percentual, conforme o esperado, e indicou que vai desacelerar o ritmo de cortes de forma “gradual”.

“O corte de juros é muito positivo num momento em que indicadores de atividade estão vindo mais favoráveis também. A atividade econômica começa, ainda que modestamente, a dar sinais de melhora”, disse o economista da corretora Nova Futura Pedro Paulo Silveira.
O cenário externo, no entanto, favoreceu alguma cautela nesta sessão antes do fim do semana, com receios sobre os potenciais impactos da chegada do furacão Irma ao sul da Flórida, nos Estados Unidos.

Leia também:
Dólar recua em meio ao temor com a Coreia do Norte
Investidores estão optando por mais risco


Destaques - Petrobras PN caiu 2,06% e Petrobras ON recuou 2%, em sessão de perdas para os preços do petróleo no mercado internacional e após a série de ganhos recentes que levou os papéis preferenciais a acumularem alta de 11,7% nos últimos cinco pregões.
Vale ON teve baixa de 3,69%, em linha com o movimento dos contratos futuros do minério de ferro na China.

Gerdau PN perdeu 5,34%, liderando a ponta negativa do índice, em dia de queda para os contratos futuros do minério de ferro e do aço na China, e também após o Credit Suisse cortar a recomendação do papel para “neutra”, de “outperform”.

CSN ON avançou 1,73%, no melhor desempenho entre as siderúrgicas que compõem o Ibovespa, ainda na esteira do mais recente anúncio de reajuste em preço do aço e depois que o Credit Suisse melhorou a recomendação da ação para “neutra”, ante “underperform”.

Eletrobras ON subiu 3,3% e Eletrobras PNB ganhou 4,36%, com os papéis mantendo o tom otimista recente após o anúncio dos planos de privatização da empresa. Os papéis ganharam mais fôlego em meio ao pedido de consulta do governo sobre a possibilidade de abrir mão do direito de veto, a chamada golden share, sobre certas decisões estratégicas em algumas empresas que serão ou foram privatizadas.

JBS ON avançou 2,76%, dando sequência ao movimento de recuperação iniciado na última quarta-feira, após a ação despencar mais de 8% no início da semana com o pedido de abertura de investigação da delação de executivos da controladora J&F. A recuperação vem conforme diminuem os receios de que a provável anulação dos benefícios aos delatores respingue no acordo de leniência da empresa.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/09/2017
BNDES vai devolver R$ 50 bilhões à União
Instituição cedeu à pressão do governo e deverá repassar ao R$ 33 bilhões já na próxima semana
21/09/2017
Bolsa de valores supera a marca de 76 mil pontos
São Paulo - A bolsa brasileira fechou a sessão de ontem em leve alta e superou a marca de 76 mil pontos sustentada pela forte valorização das ações da...
21/09/2017
Fluxo cambial acumula saldo positivo de US$ 6,295 bilhões neste ano, segundo BC
Brasília - O fluxo cambial do ano até o dia 15 de setembro ficou positivo em US$ 6,295 bilhões, informou ontem o Banco Central. Em igual período do ano passado, o...
20/09/2017
Desembolsos do BNDES recuaram 22%
Instituição financeira liberou recursos da ordem de R$ 44,950 bilhões no acumulado de janeiro a agosto deste ano
20/09/2017
Dólar tem leve alta e Ibovespa cai 0,02% em dia de estabilidade
São Paulo - À espera pela decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA), nesta quarta-feira, o dólar ficou ontem...
› últimas notícias
Integração deve gerar US$ 600 milhões ao ano à Vale
Fiemg apresenta plano para o Alto Paranaíba
3Corações e Toko: sem ato de concentração
Thyssenkrupp e Tata anunciam a criação de joint venture europeia
Venda de fatia da Alpargatas é concluída
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:

Cadastrar
› Mais Lidas
Usiminas reajustará preços em 10,2%
Setor de mineração deve mudar o foco dos investimentos
BR Food cogita reduzir produção em fábricas de Uberlândia
Crise econômica impacta o financiamento estudantil
Fiemg apresenta plano para o Alto Paranaíba
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


22 de September de 2017
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.