15/07/2018
Login
Entrar

Negócios

27/11/2013

Impacte: 24 horas dedicadas às novas ideias

Autor da melhor proposta voltada para uma fundação social receberá R$ 30 mil para colocar projeto em prática
Thaíne Belissa
Email
A-   A+
Juliana Saldanha (esq) e Isabela Oliveira idealizaram o Impacte/Divulgação
Um dia inteiro dedicado à criação de ideias para a solução de um problema social. Esse é o resumo do que será o Impacte, evento promovido pelo Setor de Empreendedorismo da Coordenadoria de Transferência e Inovação Tecnológica (CTIT Empreender) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Com o objetivo de fomentar o empreendedorismo e promover melhorias em uma organização de trabalho social, o evento vai reunir 40 universitários, nos dias 6 e 7 de dezembro, no espaço de co-working do Impact Hub. Eles serão desafiados com um problema prático enfrentado por uma fundação social de Minas Gerais e terão 24 horas para solucioná-lo. O autor da melhor proposta receberá investimento de R$ 30 mil para colocar a ideia em prática.

Saiba mais:
Brasileiros são cautelosos no uso da tecnologia
Estudo on-line pode substutuir professor

De acordo com a analista de projetos de empreendedorismo do CTIT Empreender, Juliana Saldanha, a ideia surgiu com o dono de uma empresa incubada na Inova, incubadora da UFMG. Segundo ela, o empresário sugeriu a realização de um projeto que incentivasse o desenvolvimento de ideias no período de um dia, pois esse seria o melhor momento de criação. "As primeiras 24 horas são vitais para a criação de um projeto.  nesse momento que surgem as melhores ideias e o que vem depois disso é ajuste", explica a analista.

Como o CTIT também estava à procura de um projeto que contemplasse a questão social, as duas propostas foram somadas e surgiu o Impacte. De acordo com Juliana Saldanha, as inscrições vão até o dia 18 de novembro e são direcionadas a universitários de todas as áreas de atuação, de qualquer instituição do Brasil. Os 40 universitários serão selecionados de acordo com as respostas de questões como "O que você faria para impactar uma comunidade?", na ficha de inscrição. Os candidatos não saberão qual a fundação a ser beneficiada e nem o problema a ser resolvido. Eles entrarão no evento às 17 horas do dia 6 de dezembro e passarão a noite e madrugada trabalhando na solução. Ao fim, apresentarão a proposta a uma banca, que fará a seleção da melhor. O investimento de R$ 30 mil deverá ser totalmente revertido para o desenvolvimento da proposta vencedora.

Leia também

Mercado de eventos dribla a crise em Belo Horizonte
Mercado Cervejeiro deve abrir as portas até agosto
Otimizar o desempenho digital é considerado essencial para gestores
Liv Up estima faturar R$ 30 mi neste ano
Brasil discute reforço da cooperação técnica com a China

Suporte - Segundo a analista, os universitários poderão contar com a ajuda de 10 mentores, que estarão no evento em diferentes momentos do dia. Entre os mentores confirmados está Aluir Dias, coordenador de empreendedorismo da UFMG; Elisa Alkmim, cofundadora do co-working Impact Hub e representantes da San Pedro Valley, comunidade de startups de Belo Horizonte. "Também haverá momentos motivacionais e de relaxamento para ajudar os candidatos", afirma Juliana Saldanha. A fundação social a ser ajudada chegou por indicação à UFMG e, segundo a analista, está com grande expectativa do resultado.

A analista do CTIT destaca que o evento será importante para mostrar que práticas de empreendedorismo não servem apenas para fundação de empresas, mas também para a solução de problemas reais da sociedade. "Será uma prova de que podemos impactar a sociedade não só com doações e caridade, mas com inteligência e projetos interessantes", frisa. Ela afirma que a inserção de universitários no projeto está surpreendendo, sendo melhor que o planejado. "Eles buscam experiência e também o networking que esse desafio vai lhes proporcionar", diz.

Além disso, ela acredita que o grande interesse também se dá por uma característica atual desses universitários que ela chama de "geração com propósito". "As empresas estão sendo obrigadas a se preocupar mais com a questão social justamente para atrair esse profissionais que não querem mais trabalhar em uma empresa que não olhe para o lado", afirma.



Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

14/07/2018
Mercado de eventos dribla a crise em Belo Horizonte
Produtoras usam a criatividade
14/07/2018
Mercado Cervejeiro deve abrir as portas até agosto
O Mercado Cervejeiro previsto para ser inaugurado em março deste ano no Jardim Canadá, em Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, deverá ser inaugurado nas...
14/07/2018
Otimizar o desempenho digital é considerado essencial para gestores
Levantamento consultou executivos de nove países
14/07/2018
Liv Up estima faturar R$ 30 mi neste ano
Startup de alimentação passa a operar em Belo Horizonte e espera crescer 40% ao mês até o fim de 2018
14/07/2018
Brasil discute reforço da cooperação técnica com a China
O reforço da cooperação técnica entre Brasil e China na área de turismo foi o assunto de um encontro na última semana, em Brasília, de...
› últimas notícias
JPMorgan encerra trimestre com receita 6,5% maior e lucro acima das expectativas
Setor de serviços encolhe 6,7% em maio em Minas Gerais
Cemig pretende alongar prazo de dívida
Faemg concede Medalha do Mérito Rural aos que contribuem com a agropecuária
Mercado de eventos dribla a crise em Belo Horizonte
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


14 de julho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.