Publicidade
20/01/2018
Login
Entrar

Negócios

27/11/2013

Impacte: 24 horas dedicadas às novas ideias

Autor da melhor proposta voltada para uma fundação social receberá R$ 30 mil para colocar projeto em prática
Thaíne Belissa
Email
A-   A+
Juliana Saldanha (esq) e Isabela Oliveira idealizaram o Impacte/Divulgação
Um dia inteiro dedicado à criação de ideias para a solução de um problema social. Esse é o resumo do que será o Impacte, evento promovido pelo Setor de Empreendedorismo da Coordenadoria de Transferência e Inovação Tecnológica (CTIT Empreender) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Com o objetivo de fomentar o empreendedorismo e promover melhorias em uma organização de trabalho social, o evento vai reunir 40 universitários, nos dias 6 e 7 de dezembro, no espaço de co-working do Impact Hub. Eles serão desafiados com um problema prático enfrentado por uma fundação social de Minas Gerais e terão 24 horas para solucioná-lo. O autor da melhor proposta receberá investimento de R$ 30 mil para colocar a ideia em prática.

Saiba mais:
Brasileiros são cautelosos no uso da tecnologia
Estudo on-line pode substutuir professor

De acordo com a analista de projetos de empreendedorismo do CTIT Empreender, Juliana Saldanha, a ideia surgiu com o dono de uma empresa incubada na Inova, incubadora da UFMG. Segundo ela, o empresário sugeriu a realização de um projeto que incentivasse o desenvolvimento de ideias no período de um dia, pois esse seria o melhor momento de criação. "As primeiras 24 horas são vitais para a criação de um projeto.  nesse momento que surgem as melhores ideias e o que vem depois disso é ajuste", explica a analista.

Como o CTIT também estava à procura de um projeto que contemplasse a questão social, as duas propostas foram somadas e surgiu o Impacte. De acordo com Juliana Saldanha, as inscrições vão até o dia 18 de novembro e são direcionadas a universitários de todas as áreas de atuação, de qualquer instituição do Brasil. Os 40 universitários serão selecionados de acordo com as respostas de questões como "O que você faria para impactar uma comunidade?", na ficha de inscrição. Os candidatos não saberão qual a fundação a ser beneficiada e nem o problema a ser resolvido. Eles entrarão no evento às 17 horas do dia 6 de dezembro e passarão a noite e madrugada trabalhando na solução. Ao fim, apresentarão a proposta a uma banca, que fará a seleção da melhor. O investimento de R$ 30 mil deverá ser totalmente revertido para o desenvolvimento da proposta vencedora.

Leia também

Hotéis da Capital preveem aumento nas taxas de ocupação
Três formas de atrair e reter talentos na era da disrupção
Você sabia que o seguro viagem também serve para cancelamentos de viagem?
Colônias de férias apuram alta de 50% na demanda
Folia contará com cachoeira artificial

Suporte - Segundo a analista, os universitários poderão contar com a ajuda de 10 mentores, que estarão no evento em diferentes momentos do dia. Entre os mentores confirmados está Aluir Dias, coordenador de empreendedorismo da UFMG; Elisa Alkmim, cofundadora do co-working Impact Hub e representantes da San Pedro Valley, comunidade de startups de Belo Horizonte. "Também haverá momentos motivacionais e de relaxamento para ajudar os candidatos", afirma Juliana Saldanha. A fundação social a ser ajudada chegou por indicação à UFMG e, segundo a analista, está com grande expectativa do resultado.

A analista do CTIT destaca que o evento será importante para mostrar que práticas de empreendedorismo não servem apenas para fundação de empresas, mas também para a solução de problemas reais da sociedade. "Será uma prova de que podemos impactar a sociedade não só com doações e caridade, mas com inteligência e projetos interessantes", frisa. Ela afirma que a inserção de universitários no projeto está surpreendendo, sendo melhor que o planejado. "Eles buscam experiência e também o networking que esse desafio vai lhes proporcionar", diz.

Além disso, ela acredita que o grande interesse também se dá por uma característica atual desses universitários que ela chama de "geração com propósito". "As empresas estão sendo obrigadas a se preocupar mais com a questão social justamente para atrair esse profissionais que não querem mais trabalhar em uma empresa que não olhe para o lado", afirma.



Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

20/01/2018
Hotéis da Capital preveem aumento nas taxas de ocupação
Sucesso da festa em BH mudou cotidiano do trade
20/01/2018
Três formas de atrair e reter talentos na era da disrupção
Empresas podem se adaptar às mudanças no capital humano, abraçando a flexibilidade, incentivando o intraempreendedorismo e promovendo um senso de propósito
20/01/2018
Você sabia que o seguro viagem também serve para cancelamentos de viagem?
Imagine que a sua viagem está toda programada, passagens compradas, roteiro definido, dinheiro reservado, cartões de crédito desbloqueados e até o roaming internacional...
20/01/2018
Colônias de férias apuram alta de 50% na demanda
Crise é um dos motivadores
20/01/2018
Folia contará com cachoeira artificial
Se toda a espontaneidade e beleza do Carnaval de rua de Belo Horizonte e as programações da prefeitura ainda não eram motivos suficientes para alguns belo-horizontinos ficarem...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.