Publicidade
17/08/2017
Login
Entrar

Internacional

11/05/2017

Indicadores da OCDE apontam que economia brasileira ganha força

Nos EUA, Reino Unido e China aceleração é menos provável
Agência Estado
Email
A-   A+
Avanço na economia do País, segundo a OCDE, foi de 101,9 pontos em fevereiro para 102,1 em março/Antônio Pinheiro/Divulgação
Paris - Uma aceleração significativa no crescimento da economia global tornou-se menos provável, uma vez que as perspectivas dos Estados Unidos, Reino Unido e China são incertas, segundo indicadores antecedentes divulgados ontem pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), com sede em Paris, na França. No Brasil, por outro lado, a expectativa é de expansão mais robusta.

O dado da OCDE, que mede a atividade futura e se baseia em números de março, mostra crescimento mais forte na Alemanha e no Canadá, mas expansão estável em outras grandes economias desenvolvidas, incluindo Estados Unidos e Reino Unido, que está em processo de desligamento da União Europeia, no chamado Brexit.

Integrantes - Em março, a leitura combinada dos indicadores antecedentes dos 34 países que integram a OCDE se manteve em 100,1. Nos Estados Unidos e no Reino Unido, também houve estabilidade, em 99,8 e 99,7, respectivamente. Resultados abaixo de 100 sugerem crescimento mais fraco do que o normal.

Na China – cuja meta de crescimento do PIB para este ano é de cerca de 6,5%, depois do avanço de 6,7% registro em 2016 –, a OCDE também identificou expansão estável, com a medida do gigante asiático subindo levemente, de 99 em fevereiro para 99,1 em março.
Já no caso do Brasil, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico aponta que houve avanço, de 101,9 em fevereiro para 102,1 em março, indicando que o crescimento da economia do País estaria ganhando força.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

17/08/2017
Inflação fraca pode fazer Fed interromper aumento dos juros
Ata divulgada ontem pelo banco sugere cautela
17/08/2017
Renegociação do Nafta tem primeiras conversas
Washington - O representante comercial dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, abriu ontem as conversas para a renegociação do Tratado de Livre Comércio da América do...
17/08/2017
Trump dissolve dois conselhos empresariais
Washington/Nova York - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, dissolveu ontem dois conselhos empresariais depois que CEOs de diferentes companhias renunciaram em protesto pelas...
15/08/2017
Corte a importações da Coreia do Norte é imposto
País deixa de comprar carvão, minério, chumbo e frutos do mar
15/08/2017
Críticas fazem presidente ser mais duro com racismo
Charlottesville/Washington - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, classificou na segunda-feira (14) os neonazistas e a Ku Klux Klan de criminosos e bandidos, curvando-se à...
› últimas notícias
ENTREVISTA | MARCUS VINÍCIUS POLIGNANO
Rio das Velhas atinge nível crítico de vazão
Projeção para salário mínimo em 2018 é reduzida
Setor de serviços em Minas registrou queda de 3% no semestre
Cemig pode fechar acordo com a União
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:

Cadastrar
› Mais Lidas
Receita da Pif Paf deve ir a R$ 4 bilhões
Roubo de cargas onera toda a sociedade
Magnesita Refratários reporta prejuízo líquido de US$ 41,4 milhões
Vale passa a ter o controle indefinido e afasta o fantasma de interferência governamental
Estado busca alavancar indústria criativa
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


17 de August de 2017
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.