Publicidade
21/10/2017
Login
Entrar

Internacional

11/05/2017

Indicadores da OCDE apontam que economia brasileira ganha força

Nos EUA, Reino Unido e China aceleração é menos provável
Agência Estado
Email
A-   A+
Avanço na economia do País, segundo a OCDE, foi de 101,9 pontos em fevereiro para 102,1 em março/Antônio Pinheiro/Divulgação
Paris - Uma aceleração significativa no crescimento da economia global tornou-se menos provável, uma vez que as perspectivas dos Estados Unidos, Reino Unido e China são incertas, segundo indicadores antecedentes divulgados ontem pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), com sede em Paris, na França. No Brasil, por outro lado, a expectativa é de expansão mais robusta.

O dado da OCDE, que mede a atividade futura e se baseia em números de março, mostra crescimento mais forte na Alemanha e no Canadá, mas expansão estável em outras grandes economias desenvolvidas, incluindo Estados Unidos e Reino Unido, que está em processo de desligamento da União Europeia, no chamado Brexit.

Integrantes - Em março, a leitura combinada dos indicadores antecedentes dos 34 países que integram a OCDE se manteve em 100,1. Nos Estados Unidos e no Reino Unido, também houve estabilidade, em 99,8 e 99,7, respectivamente. Resultados abaixo de 100 sugerem crescimento mais fraco do que o normal.

Na China – cuja meta de crescimento do PIB para este ano é de cerca de 6,5%, depois do avanço de 6,7% registro em 2016 –, a OCDE também identificou expansão estável, com a medida do gigante asiático subindo levemente, de 99 em fevereiro para 99,1 em março.
Já no caso do Brasil, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico aponta que houve avanço, de 101,9 em fevereiro para 102,1 em março, indicando que o crescimento da economia do País estaria ganhando força.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/10/2017
UE vai insistir em acordo com o Mercosul
Conversas serão mantidas, apesar das reservas da França em relação às importações agrícolas
21/10/2017
China prepara emissão de bônus em dólar
Pequim - A China selecionou dez bancos, incluindo quatro estrangeiros, para coordenar uma emissão de bônus denominado em dólares no valor de US$ 2 bilhões, que...
21/10/2017
Trump anuncia três candidatos para assumir o Fed
Washington – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que tem três candidatos preferidos para o comando do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) a partir de...
21/10/2017
Setor imobiliário está desacelerando neste ano
Pequim - A China registrou um crescimento econômico relativamente sólido no terceiro trimestre impulsionado por uma atividade de serviços mais forte, embora haja sinais de...
20/10/2017
Brasil seria país mais alinhado para conquistar vaga na OCDE
Adesão foi solicitada em junho, mas aprovação pode levar 4 anos
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.