Publicidade
26/04/2018
Login
Entrar

Finanças

12/04/2018

Inflação da terceira idade desacelera para 0,89% no 1º tri, informa a FGV

AE
Email
A-   A+
Rio - A inflação sentida pela população idosa desacelerou o ritmo de alta de 1,18% no quarto trimestre do ano passado para 0,89% no primeiro trimestre deste ano, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) ontem. O Índice de Preços ao Consumidor da Terceira Idade (IPC-3i), que mede a variação da cesta de consumo de famílias majoritariamente compostas por indivíduos com mais de 60 anos de idade, acumulou uma alta de 3,30% em 12 meses.

Com o resultado, a variação de preços percebida pela terceira idade ficou acima da taxa de 2,76% acumulada em 12 meses pelo Índice de Preços ao Consumidor - Brasil (IPC-BR), que apura a inflação média percebida pelas famílias com renda mensal entre um e 33 salários mínimos.

Na passagem do quarto trimestre de 2017 para o primeiro trimestre de 2018, cinco das oito classes de despesas tiveram taxas de variação mais baixas. O destaque partiu do grupo Habitação, cuja taxa passou de 1,21% para 0,07%, sob influência do item tarifa de eletricidade residencial, que saiu de uma alta de 4,14% para uma queda de 2,05% no período.

Os demais decréscimos ocorreram nos grupos Transportes (de 2,51% para 1,61%), Educação, Leitura e Recreação (de 1,11% para 0,73%), Comunicação (de 0,20% para -0,13%) e Despesas Diversas (de 0,65% para 0,62%). Houve contribuição dos itens tarifa de táxi (de 9,68% para -6,79%), excursão e tour (de 5,55% para -1,65%), mensalidade pata TV por assinatura (de 4,08% para -0,42%) e cigarros (de 1,23% para -0,24%).

Na direção oposta, as taxas foram mais elevadas nos grupos Alimentação (de 0,45% para 1,41%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 1,47% para 1,59%) e Vestuário (de -0,07% para -0,02%), sob pressão de itens como hortaliças e legumes (de 7,60% para 16,55%), artigos de higiene e cuidado pessoal (de -0,39% para 0,01%) e calçados (de -0,83% para 0,76%).

IGP-M - O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) subiu 0,18% na primeira prévia de abril, após ter aumentado 0,60% na primeira prévia de março, de acordo com a FGV. Com o resultado, o índice acumulou alta de 1,65% no ano e avanço de 1,49% em 12 meses.
A FGV informou ainda os resultados dos três indicadores que compõem a primeira prévia do IGP-M de abril. O IPA-M, que representa os preços no atacado, aumentou 0,14% em abril, ante um avanço de 0,83% na primeira prévia de março.

O IPC-M, que corresponde à inflação no varejo, apresentou elevação de 0,22% na prévia de abril, depois de uma alta de 0,17% em igual leitura de março. Já o INCC-M, que mensura o custo da construção, subiu 0,34% na primeira prévia de abril, depois do aumento de 0,23% na primeira prévia de março.

O IGP-M é usado para reajuste de contratos de aluguel. O período de coleta de preços para cálculo do índice foi de 21 a 31 de março. No dado fechado do mês de março, o IGP-M subiu 0,64%, segundo a FGV.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

26/04/2018
Déficit primário passa de R$ 24 bi
Valor, afetado pela antecipação de precatórios, é o pior para o mês na série histórica
26/04/2018
Precatórios e ações judiciais somaram R$ 9,5 bi
Brasília - O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, comentou ontem que o déficit primário de R$ 24,828 bilhões em março se deveu à...
26/04/2018
Criação de despesas pelo Congresso é minimizada
Brasília - O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, disse ontem que o governo não precisa se defender da criação de novas despesas...
25/04/2018
Portabilidade permite a busca de taxas mais atrativas para mutuários
Financiamento imobiliário pode ser transferido entre bancos
25/04/2018
Dólar registra alta pelo quarto pregão consecutivo e fecha cotado a R$ 3,47
São Paulo - O dólar subiu ontem em relação ao real, pelo quarto pregão consecutivo - embora não tenha repetido o mesmo comportamento em...
› últimas notícias
Incertezas do Brasil e juros dos EUA levam o dólar a subir
Porto de Santos atinge nível recorde no movimento de cargas em março
Confiança do consumidor sobe só 0,3%
Caixa retoma 1.089 imóveis em Minas
Santander reduz juros anuais para 8,99%
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


26 de abril de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.