Publicidade
13/12/2017
Login
Entrar

Política

07/12/2017

Lúcio Vieira Lima pode usar tornozeleira eletrônica na Câmara

AE
Email
A-   A+
São Paulo - Se o Supremo Tribunal Federal (STF) autorizar, o deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA) pode usar tornozeleira eletrônica na Câmara dos Deputados. Ao pedir o recolhimento noturno do irmão do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA), a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, requereu monitoramento eletrônico.

“Em relação a Lúcio Quadros Vieira Lima, o caso é de recolhimento domiciliar noturno e nos dias de folga, com monitoração eletrônica; a imposição de fiança de 400 (quatrocentos) salários mínimos, considerada sua situação financeira. Só em patrimônio, ele declarou ao Tribunal Superior Eleitoral, nas eleições de 2014, o equivalente a R$ 7.720 882,46”, pediu Raquel Dodge.

Lúcio, Geddel, a mãe Marluce Vieira Lima e os ex-secretários parlamentares, Job Ribeiro Brandão e Gustavo Pedreira do Couto Ferraz e o empresário Luiz Fernando Machado da Costa Filho foram denunciados pela Procuradoria-Geral da República. A acusação está ligada ao bunker dos R$ 51 milhões em Salvador.

A denúncia afirma que Lúcio e a mãe continuam a praticar crime de peculato, a manipular provas e a obstruir a investigação criminal. Outro pedido foi a indisponibilidade de sete empreendimentos imobiliários adquiridos para viabilizar a lavagem de dinheiro.

Segundo a denúncia, de 2010 até 5 de setembro deste ano, a família Vieira Lima cometeu crimes de ocultação da origem, localização, disposição, movimentação e propriedade das cifras milionárias em dinheiro vivo. Até janeiro de 2016, o dinheiro ficou escondido em um closet na casa de Marluce Vieira Lima.

Após essa data, o montante de R$ 42 milhões e cerca de U$ 2,5 milhões foi transferido em malas e caixas para um apartamento no bairro da Graça, em Salvador. Semanas depois, foi levado para um apartamento vizinho, onde ocorreu a apreensão pela Polícia Federal, na Operação Tesouro Perdido.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

13/12/2017
Ministro revela nova previsão de revisão orçamentária
O ministro do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira, disse ontem a jornalistas que há a possibilidade de a União descontingenciar mais recursos ainda neste...
13/12/2017
Temer já admite remarcar a votação da reforma da Previdência para fevereiro
Brasília - O presidente Michel Temer afirmou que tentará votar a reforma da Previdência na semana que vem, mas disse esperar que uma nova data seja marcada para fevereiro...
13/12/2017
Julgamento de Lula pelo caso do triplex será em
São Paulo - A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reagiu, ontem, à decisão da Justiça de marcar para o dia 24 de janeiro o julgamento do...
13/12/2017
Raquel Dodge afirma que fará "análise adequada" de pedido de indiciamento de Rodrigo Janot
A procuradora-geral da República , Raquel Dodge, disse que dará “análise adequada sobre o tema”, ao ser questionada sobre o pedido de indiciamento contra seu...
13/12/2017
TCU aprova transferência de recursos a estados e municípios em grave crise financeira
Brasília - Em uma consulta feita pelo Ministério do Planejamento, o Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu ontem que é possível a abertura de crédito...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.