17/08/2018
Login
Entrar

Economia

10/08/2018

Marun diz que governo não pode fechar olhos para tudo

AE
Email
A-   A+
Brasília - O ministro de Secretaria de Governo, Carlos Marun, justificou o veto do presidente Michel Temer à anistia das multas e sanções aplicadas em decorrência das paralisações dos caminhoneiros nas manifestações ocorridas entre 21 de maio e 4 de junho de 2018. Segundo Marun, o governo não pode agir agora “como se nada tivesse acontecido”. Ele disse ainda que, caso alguém se sinta injustiçado com a decisão, poderá recorrer à Justiça.

Michel Temer converteu em lei, ontem, o projeto da Medida Provisória 832/2018, que ficou conhecida como MP do Frete e instituiu a Política Nacional de Pisos Mínimos do Transporte Rodoviário de Cargas. A sanção da lei, publicada no Diário Oficial da União (DOU) de ontem, veio acompanhada do veto.

Na justificativa do veto, o Planalto alegou que o dispositivo “enseja renúncia de receitas para o Poder Público”, sem contar que as punições foram impostas por decisão judicial e em função do poder de polícia do Estado. “Deste modo, além de representar ingerência fiscal reflexa entre os Poderes, a propositura deveria estar acompanhada de seu impacto orçamentário e financeiro como requisito de validade”.

A nova lei formaliza a instituição de uma tabela com preços mínimos para o transporte de cargas, classificadas em cinco tipos: geral, a granel, frigorificada, perigosa e neogranel. Esses valores devem ser definidos e divulgados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), com priorização dos custos referentes ao óleo diesel e aos pedágios.

Pacote - O tabelamento dos fretes foi uma das medidas do pacote que o governo negociou com os caminhoneiros para pôr fim à paralisação da categoria que durou 11 dias, no fim de maio. A partir daí, a tabela com os preços mínimos do serviço tornou-se objeto de grande impasse. A versão editada em 30 de maio foi substituída por uma outra, para atender ao setor produtivo, que alegou que a tabela levou ao aumento dos custos no transporte de mercadorias. Uma segunda tabela foi elaborada, mas esta precisou ser revogada pelo governo horas depois de sua edição, desta vez, por reclamação dos caminhoneiros. A polêmica seguiu e foi parar na Justiça.

No entendimento do governo, a primeira tabela está em vigor. Algumas entidades empresariais sustentam que não. Mas ainda não há palavra final sobre isso. Todas as decisões da Justiça sobre o tabelamento estão bloqueadas por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux, que só pretende retomar a discussão sobre o assunto no próximo dia 27, com a realização de uma audiência pública. Paralelamente, a ANTT trabalha em uma nova versão da tabela.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

17/08/2018
Desocupação diminui em Minas Gerais
Estimada em 10,8%, taxa recua 1,8 ponto percentual no segundo trimestre ante o primeiro
17/08/2018
Cemig fecha primeiro semestre com lucro de R$ 700 mi, alta de 45%
No fim de junho, dívida líquida somava R$ 13,3 bi
17/08/2018
Consumo de bens industriais avança 9,9% em junho, deixando efeito greve
Rio de Janeiro - O consumo de bens industriais aumentou em 9,9% em junho ante maio, segundo o Indicador Ipea Mensal de Consumo Aparente de Bens Industriais, divulgado ontem pelo Instituto de...
17/08/2018
Fontes de geração renováveis são 81,9% da capacidade instalada
Essa é também a origem de 87,8% da produção total no País
17/08/2018
Aumento de 0,5% passa a incidir hoje, nas refinarias, sobre o litro da gasolina
Rio de Janeiro - O litro da gasolina nas refinarias passará a custar R$ 1,9810 a partir de hoje, um aumento de 0,5% em relação ao preço de R$ 1,9711 cobrado ontem....
› últimas notícias
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


17 de agosto de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.