Publicidade

DC Turismo

07/01/2017

Mensalistas ganham importância

Modalidade, denominada long stay, garante receita fixa para os hotéis ao longo do ano
Daniela Maciel
Email
A-   A+
Gerente do Glass Bussines explica que estes hóspedes também geram receita com serviços extras/Divulgação
Os hóspedes mensalistas são uma categoria, batizada também como long stay, cada vez mais importante dentro dos hotéis da Capital. Interessados em estadias de média e longa duração, com o mínimo de 30 dias, eles conseguem bons descontos sobre a tarifa diária - que giram em torno de 40% - e os hotéis, uma ocupação que garante uma receita fixa especialmente na baixa temporada.

De acordo com a presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – Minas Gerais (Abih-MG), Patrícia Coutinho, a modalidade oferece como vantagem aos hóspedes as comodidades dos serviços de hotelaria em um ambiente cada vez mais parecido com o familiar. “Essa é uma modalidade que vem ganhando força. Cada hotel identifica a demanda que recebe e dedica uma percentagem de quarto para a estadia de longa duração. Isso não quer dizer, porém, que os hotéis estejam se transformando em residenciais. É uma modalidade que sempre existiu e que ganha espaço não só com o público corporativo, mas também é ancorado pelas pessoas que moram sozinhas e não querem gastar dinheiro com a montagem ou tempo com a administração de uma casa”, explica Patrícia Coutinho.

Para o diretor comercial do BHB – Belo Horizonte Business Hotel, Bruno Pimenta, fazem parte do perfil dos mensalistas estudantes do interior que se mudam sozinhos para a Capital, recém-separados e, principalmente, pessoas que vêm para realizar trabalhos temporários na cidade. O hotel, que fica na região Nordeste, tem atualmente 8% das vagas ocupadas por mensalistas.

“As pessoas buscam comodidade. O aluguel e montagem de uma casa são caros e demoram muito tempo, então o hotel é uma opção muito interessante. Estamos perto, por exemplo, de algumas universidades e já começamos a receber cotações para o mês de fevereiro. Com o público estudantil chegamos a ter 16% das vagas preenchidas por mensalistas”, afirma Pimenta.

De acordo com a gerente-geral do Glass Business Tower Hotel, Susana Diniz, os programas específicos para mensalistas são importantes durante todo o ano, mas ficam ainda mais na baixa temporada. O pagamento antecipado é para o hotel uma garantia de receita, que pode ser acrescida pelo uso de serviços específicos como alimentação e lavagem de roupas, por exemplo. A localização na região Centro-Sul é um dos trunfos da unidade.

“Fazemos a divulgação dessa modalidade durante todo o ano e ainda promoções para os meses de baixa ocupação. Os clientes – a maioria deles corporativos – vem em busca de comodidade. Os serviços são 24 horas e a internet de alta velocidade são itens primordiais. Serviços extras eles vão pagando à medida que solicitam. Outra modalidade que cresce é o day use. Muita gente quer apenas um lugar para passar poucas horas, tomar um banho, contando com a segurança e as conveniências oferecidas pelo hotel”, revela Susana Diniz.

Leia também
Fidelização é um dos benefícios
MHB amplia a sede administrativa


Baixa temporada - Na mesma região, a gerente do E-Suítes Luxemburgo, Pollyana Mendes, comemora o sucesso do long stay, que tem alguns hóspedes fixos desde abril do ano passado. O empreendimento é formado por duas torres. São 90 quartos no hotel econômico desing Ramada Encore e 33 suítes exclusivas no Esuítes, ideal para mensalistas e famílias, com acomodações de aproximadamente 40 metros quadrados, além de uma estrutura de lazer com academia e piscina com vista para a cidade.

“Nessa época do ano os mensalistas ganham ainda mais importância porque estamos na baixa temporada. No E-Suítes temos apartamentos preparados com minicozinhas, ideais para quem vai ficar mais tempo e quer ter em um ambiente familiar com todas as comodidades de um hotel. Reverteremos nos próximos dias mais 11 apartamentos para a categoria long stay para atender um grupo de estudantes estrangeiros que vem fazer um MBA na Fundação Dom Cabral”, destaca Pollyana Mendes.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

18/02/2017
Verba para folia em Ouro Preto saltou 228%
De R$ 700 mil captados em 2016, valor dos patrocínios subiu para R$ 2,3 milhões este ano
18/02/2017
Pequi terá centro de atendimento ao turista
Atenta aos ganhos que um turismo estruturado e sustentável pode trazer para a cidade, a pequena e colonial Pequi, na região Central, vem desenvolvendo estratégias para atrair...
18/02/2017
PBH terá esquema especial de segurança
O Carnaval de Belo Horizonte, que teve seu início oficial no dia 11 e se estenderá até o dia 1º de março, promete ser o maior evento de rua da história da...
12/02/2017
Seguro viagem reduz despesas médicas e aumenta tranquilidade
São Paulo - Entre o final de 2016 e o início de 2017, cresceu o número de viagens domésticas no Brasil. De acordo com a Associação Brasileira de...
11/02/2017
Folia em BH prejudica festas do interior
Crise e ameaça de febre amarela também fizeram com que as prefeituras repensassem sobre o evento
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.