Publicidade
22/08/2017
Login
Entrar

Internacional

12/05/2017

México apela a Donald Trump para que não cancele tratado

Reuters
Email
A-   A+
Cidade do México - O México fez um apelo ao presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para que mantenha o Tratado de Livre Comércio da América do Norte (Nafta), argumentando que desfazer a integração econômica prejudicaria ambas as nações, reduzindo as exportações dos EUA e pondo empregos norte-americanos em risco.

Em reação a um decreto presidencial de Trump de 31 de março pedindo uma análise do déficit comercial dos EUA, o México ponderou que seu superávit comercial com o vizinho rico foi mal compreendido e que o verdadeiro golpe nos empregos de manufatura norte-americanos resultou da filiação da China à Organização Mundial do Comércio (OMC), em 2001.

O déficit dos EUA com o México no ano passado, de US$ 63,2 bilhões, também refletiu o peso mexicano fraco, que foi afetado pela incerteza a respeito do futuro das relações comerciais bilaterais, de acordo com um documento publicado pela embaixada mexicana em Washington.

“A integração crescente de nossas economias torna o México criticamente importante para a economia dos EUA, não somente como mercado de exportação, mas também como um parceiro na produção”, escreveu o diretor do escritório de comércio e do Nafta da embaixada, Kenneth Smith.

O México reagia a um pedido de participação pública do Departamento de Comércio dos EUA enquanto prepara um relatório para Trump a respeito do déficit comercial anual norte-americano de US$ 500 bilhões. O relatório e os comentários públicos serão enviados a Trump em junho.

O México argumentou que, sem o Nafta, a tarifa média sobre as exportações mexicanas aos EUA seria de 3,5%, ou cerca de metade da tarifa média sobre exportações em sentido contrário, em função da cláusula de “nação mais favorecida” que se aplicaria de acordo com as regras da OMC.

As relações comerciais entre os dois países se tensionaram devido à promessa repetida de Trump de descartar o Nafta se não conseguir obter termos melhores para os trabalhadores e a indústria de seu país.

Trump citou o déficit comercial com o México como prova de que os EUA saem perdendo no relacionamento, dizendo que os norte-americanos ficariam melhores se as duas nações não tivessem nenhuma relação comercial.

Mas o México afirmou que 75% de suas exportações aos EUA beneficiam processos de produção do parceiro, que tem superávit de US$ 8 bilhões no setor de serviços.
“Trabalhadores dos dois lados de fronteira trabalham juntos em sua produção de bens para competirem com sucesso nos mercados globais”, disse Smith.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

22/08/2017
Tratativas entre UE e Mercosul não teriam sequer começado
Ponto central, acesso a mercados, estaria atrasado
22/08/2017
País pode crescer mais rápido neste ano
Frankfurt, Alemanha - A economia alemã pode crescer mais rápido neste ano do que o esperado, devido à produção industrial, exportação e consumo...
19/08/2017
Baixa aprovação pode paralisar governo
São Paulo - A fraca aprovação do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, é a mais baixa para qualquer líder americano em seu primeiro ano no cargo e baixa...
18/08/2017
Governo chinês aumenta controle sobre a internet
Pequim - As autoridades chinesas emitiram um aviso para as principais plataformas de comércio eletrônico do país, incluindo o Taobao.com, da Alibaba Holding Group, sobre a...
18/08/2017
Guerra comercial com a China existe
Washington - Os Estados Unidos estão em uma guerra econômica com a China, disse o principal estrategista político do presidente Donald Trump, alertando que Washington tem...
› últimas notícias
Preço de imóvel para venda na Capital foi o menor de 2017
Déficit habitacional em Minas chegou a 8%
Liminar suspende o leilão de quatro usinas da Cemig
ANP vai priorizar volta da produção de campos maduros
Petrobras aumenta preços da gasolina em 3,3% e do diesel em 2,3% nas refinarias
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:

Cadastrar
› Mais Lidas
Mineira Supremo Carnes abre planta em Campo Belo
Banco Central registra avanço de 0,2% no Sudeste
ENTREVISTA | FRANK SINATRA, PRESIDENTE DA FCDL-MG
Cemig oferece R$ 11 bilhões para evitar leilão
Commodities impulsionam o Ibovespa
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


22 de August de 2017
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.