Publicidade
13/12/2017
Login
Entrar

Negócios

05/12/2017

Minas tem o maior número de conexões de sistemas solares

Atualmente, são 3.857 unidades consumidoras
Daniela Maciel
Email
A-   A+
Belém: maioria dos usuários da energia solar se restringe a aquecimento doméstico/Alisson J. Silva
Apesar de ser cantado em prosa e verso como um país com verão intenso, o Brasil ainda não aproveita o alto nível de insolação do território para a geração de energia fotovoltaica. Atravessado na região norte pela Linha do Equador e ao sul pelo Trópico de Capricórnio, o Brasil tem a maior parte do território, nas zonas de latitudes baixas - chamadas de zona intertropicais - nas quais prevalecem os climas quentes e úmidos, temperaturas médias em torno de 20ºC.

De acordo com dados da Agência Internacional de Energia (IEA), em 2018 o Brasil deverá estar entre os 20 países com maior geração de energia solar, considerando-se a potência já contratada (2,6 GW) e a escala da expansão dos demais países. O Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE 2024) estima que a capacidade instalada de geração solar chegue a 8.300 MW em 2024, sendo 7.000 MW geração descentralizada e 1.300 MW distribuída. A proporção de geração de energia solar deve chegar a 1% do total. Atualmente esse percentual não ultrapassa os 0,05%.

Estudos para o planejamento do setor elétrico em 2050 estimam que 18% dos domicílios no Brasil contarão com geração fotovoltaica (8,6 TWh), ou 13% da demanda total de eletricidade residencial.

No mundo, ainda de acordo com os dados da IEA, a energia solar poderá responder por cerca de 11% da oferta mundial de energia elétrica em 2050 (5 mil TWh). A área coberta por painéis fotovoltaicos capaz de gerar essa energia é de 8 mil km².

Minas Gerais - O Estado, entretanto, parece ter despertado um pouco antes que o resto do Brasil para a necessidade de diversificação da matriz energética. Dados divulgados pela Associação Brasileira de Geração Distribuída (ABGD) e pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) dão conta de que o Estado tem o maior número de conexões de sistema solares no Brasil. Atualmente, são 3.857 unidades consumidoras com usinas fotovoltaicas instaladas, com uma potência total de 42.893,69 kW.

De acordo com o sócio da Terra e Sol - Soluções em Energia Sustentável, Marcelo Belém, o trâmite do Marco Legal do Setor Elétrico no Congresso promete agitar esse mercado. A expectativa é pela liberação da comercialização de energia de antigas hidrelétricas que trabalhavam por cotas junto às concessionárias, o que, consequentemente, tende a provocar elevação do preço médio de comercialização. Também estão sendo estudadas a possibilidade de horo-sazonalidade das tarifas residenciais, assim como a reavaliação de diversas outras taxas.

Diante desse cenário, Minas Gerais pode assumir o protagonismo na popularização dessa tecnologia. “Além de possuir excelente insolação em grande parte do Estado, o que ajuda a reduzir o período de retorno do investimento, pois os sistemas se tornam menores e mais baratos do que em outros estados, os mineiros enfrentam o alto valor das tarifas das concessionárias e têm uma grande renda per capta maior que a média brasileira. Esses fatores influenciam diretamente na realização do investimento,” explica Belém.

Por enquanto são os consumidores pessoas físicas os responsáveis pela maior parte das instalações (80%) e da geração (75%). Algumas políticas públicas, porém, estão sendo estudadas para aumentar o índice de instalação nos empreendimentos industriais e comerciais. Por, muitas vezes, pagarem tarifas subvencionadas ou até gozarem de isenção da tarifa por longos anos, as indústrias ainda não se preocupam com o tema.

“A maioria dos usuários da energia gerada pela luz solar ainda se restringe a aquecimento doméstico. A possibilidade de venda do excedente para o sistema elétrico é que tem alertado, especialmente os grandes consumidores, para a possibilidades da tecnologia. São dois principais sistemas. O ‘on grid’, em que o excedente gerado é disponibilizado diretamente para a rede, e o ‘off grid’, indicado para regiões remotas, em que o excedente é armazenado em baterias”, pontua o sócio da Terra e Sol.

Sediada no bairro Buritis, na região Centro-Sul, a Terra e Sol trabalha com projetos para pessoas físicas e empresas de todos os portes. Criada em 2014, já fez mais de 100 projetos, espalhados por todo o País. Em 2017, a empresa, a despeito da crise econômica, cresceu 40% e a expectativa é repetir o resultado no ano que vem.

“Nos últimos anos a indústria nacional tem se dedicado ao desenvolvimento das placas, o que ajudou a baratear os preços. De outro lado, o apreço à responsabilidade ambiental tem se tornado um fator de decisão na implantação dos projetos. Tudo isso tem gerado uma boa expectativa para o setor e ajuda a explica o crescimento da Terra e Sol”, avalia o empresário.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

13/12/2017
Planejamento para atrair investimentos inovadores
Aportes podem gerar empregos de qualidade na capital mineira
13/12/2017
Três atitudes que afetam a reputação da sua empresa (e como evitá-las)
Em um mundo conectado, ter uma boa imagem é fundamental. As empresas não podem permitir prejudicar a sua imagem por causa de uma fraca interação com seus stakeholders
13/12/2017
Prodemge anuncia criação da Sala de Inovação na Cidade Administrativa
A Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais (Prodemge), vinculada ao governo estadual, lança a primeira Sala de Inovação, localizada na...
13/12/2017
Indústria 4.0 deve avançar na próxima década
Percentual de empresas que digitalizaram o processo produtivo deve passar de 1,6% para 21,8%
13/12/2017
Santa Maria de Itabira vai adotar a Lei da Educação Empreendedora em 2018
A Câmara Municipal de Santa Maria de Itabira aprovou a Lei Municipal nº 1572/2017, ou Lei da Educação Empreendedora, norma que insere o empreendedorismo nas...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.