Publicidade
11/12/2017
Login
Entrar

Economia

21/11/2017

Minas tem saldo positivo de 4,5 mil vagas

Em outubro o Estado apurou 132,9 mil admissões, principalmente nos setores de comércio e serviços
Leonardo Francia
Email
A-   A+
A construção civil, intensiva na utilização de mão de obra, foi outro segmento que colaborou para o resultado positivo de outubro/Divulgação
Favorecido pela abertura de vagas no setor de comércio e serviços, Minas Gerais encerrou outubro com saldo positivo na geração de empregos formais. Ao todo, entre admissões e demissões, foram geradas 4,5 mil vagas em outubro, resultado bem melhor do que o déficit de 5,8 mil posições no mesmo mês de 2016. Os dados foram divulgados ontem pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Ao todo, foram admitidas 132,9 mil pessoas em outubro em todo o Estado contra 128,4 mil demissões, gerando um saldo de 4,5 mil postos de trabalho. Só no comércio, foram criadas 4,1 mil vagas, já descontando as demissões do período. Ainda assim, o superávit foi 19,7% menor que a abertura de 5,1 mil empregos pelo setor no mesmo mês de 2016.

O setor de serviços registrou um saldo positivo de 2,7 mil vagas em outubro, o que também colaborou para o superávit total do Estado no período. O resultado também é muito superior ao apurado no mesmo mês do ano passado, quando o segmento eliminou 2 mil empregos formais em Minas.

A indústria da transformação também ajudou o mercado de trabalho estadual, com a geração de 1,1 mil postos de trabalho em outubro, já descontando as demissões. O resultado do parque foi bem superior na comparação com igual mês de 2016, quando o segmento registrou saldo negativo de 1,3 mil vagas.

Dentro da indústria da transformação, o parque mecânico foi o setor que mais gerou empregos em outubro, com a abertura de 667 mil postos de trabalho, já descontando os desligamentos. Na contramão, a indústria de produtos alimentícios, bebidas e álcool etílico registrou um déficit de 697 vagas.

Com base nos dados do Caged, em outubro a indústria extrativa, que representa um importante setor da economia do Estado, admitiu 613 pessoas e demitiu 709 trabalhadores, o que gerou um saldo negativo de 96 vagas de emprego formal. O resultado da atividade foi pior do que no mesmo mês de 2016, quando o segmento cortou apenas 8 posições.

A construção civil, intensiva na utilização de mão de obra, foi outro segmento que colaborou para o resultado positivo de outubro. No mês, a atividade admitiu 1,8 mil trabalhadores a mais do que demitiu. O desempenho foi melhor na comparação com a perda de 1,1 mil vagas em outubro de 2016.

Leia também:
Brasil registra melhor resultado desde 2013
Aumentam as contratações para o Natal
Ministro prevê melhora no mercado de trabalho


Déficit – A agropecuária, no entanto, foi responsável por um déficit de 5.278 vagas em outubro, resultado de 10.570 admissões e 15.848 desligamentos.
 
Acumulado - No acumulado do ano até outubro, o Estado registrou um saldo positivo de 62,2 mil vagas de empregos formais. No período, foram admitidas 1,438 milhão de pessoas no mercado de trabalho mineiro contra 1,376 milhão de demissões. O superávit do período superou o déficit de 54,8 mil vagas nos mesmos meses de 2016. Neste recorte, o segmento que mais colaborou para o resultado foi a agropecuária, que abriu 10,1 mil vagas (já descontadas as demissões).

Em contrapartida, nos últimos 12 meses encerrados em outubro deste ano, o Estado eliminou 2,2 mil vagas de empregos formais, resultado menos grave do que o déficit que Minas registrou nos 12 meses terminados no mesmo mês do ano passado, quando foram eliminadas 140,4 mil posições.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

08/12/2017
Governo quer mais celeridade nos processos
Plano de Eficiência Ambiental permitirá aprovações concomitantes das diferentes etapas de um empreendimento
08/12/2017
Vulcabras investirá R$ 100 mi em suas três fábricas em 2018 para ganhar em produtividade
São Paulo - A fabricante de calçados Vulcabras retomou investimento em seu parque fabril e está se preparando para reativar sua marca voltada ao público feminino...
08/12/2017
Indústria fecha 2017 com bons resultados e prevê geração de 20 mil postos de trabalho em 2018
São Paulo - A indústria têxtil deve encerrar 2017 com crescimento de 3,5% na produção de vestuário, alcançando 5,9 bilhões de peças....
08/12/2017
Trabalhadores da Jucemg mantêm a greve
Sem consenso com o governo estadual, imbróglio deverá ser resolvido na Justiça
08/12/2017
BNDES planeja se desfazer de 10% das participações em grandes grupos privados
Rio de Janeiro - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) deve se desfazer de, pelo menos, 10% das participações que possui em grandes grupos privados. O...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.