Publicidade
19/02/2018
Login
Entrar

Economia

21/11/2017

Minas tem saldo positivo de 4,5 mil vagas

Em outubro o Estado apurou 132,9 mil admissões, principalmente nos setores de comércio e serviços
Leonardo Francia
Email
A-   A+
A construção civil, intensiva na utilização de mão de obra, foi outro segmento que colaborou para o resultado positivo de outubro/Divulgação
Favorecido pela abertura de vagas no setor de comércio e serviços, Minas Gerais encerrou outubro com saldo positivo na geração de empregos formais. Ao todo, entre admissões e demissões, foram geradas 4,5 mil vagas em outubro, resultado bem melhor do que o déficit de 5,8 mil posições no mesmo mês de 2016. Os dados foram divulgados ontem pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Ao todo, foram admitidas 132,9 mil pessoas em outubro em todo o Estado contra 128,4 mil demissões, gerando um saldo de 4,5 mil postos de trabalho. Só no comércio, foram criadas 4,1 mil vagas, já descontando as demissões do período. Ainda assim, o superávit foi 19,7% menor que a abertura de 5,1 mil empregos pelo setor no mesmo mês de 2016.

O setor de serviços registrou um saldo positivo de 2,7 mil vagas em outubro, o que também colaborou para o superávit total do Estado no período. O resultado também é muito superior ao apurado no mesmo mês do ano passado, quando o segmento eliminou 2 mil empregos formais em Minas.

A indústria da transformação também ajudou o mercado de trabalho estadual, com a geração de 1,1 mil postos de trabalho em outubro, já descontando as demissões. O resultado do parque foi bem superior na comparação com igual mês de 2016, quando o segmento registrou saldo negativo de 1,3 mil vagas.

Dentro da indústria da transformação, o parque mecânico foi o setor que mais gerou empregos em outubro, com a abertura de 667 mil postos de trabalho, já descontando os desligamentos. Na contramão, a indústria de produtos alimentícios, bebidas e álcool etílico registrou um déficit de 697 vagas.

Com base nos dados do Caged, em outubro a indústria extrativa, que representa um importante setor da economia do Estado, admitiu 613 pessoas e demitiu 709 trabalhadores, o que gerou um saldo negativo de 96 vagas de emprego formal. O resultado da atividade foi pior do que no mesmo mês de 2016, quando o segmento cortou apenas 8 posições.

A construção civil, intensiva na utilização de mão de obra, foi outro segmento que colaborou para o resultado positivo de outubro. No mês, a atividade admitiu 1,8 mil trabalhadores a mais do que demitiu. O desempenho foi melhor na comparação com a perda de 1,1 mil vagas em outubro de 2016.

Leia também:
Brasil registra melhor resultado desde 2013
Aumentam as contratações para o Natal
Ministro prevê melhora no mercado de trabalho


Déficit – A agropecuária, no entanto, foi responsável por um déficit de 5.278 vagas em outubro, resultado de 10.570 admissões e 15.848 desligamentos.
 
Acumulado - No acumulado do ano até outubro, o Estado registrou um saldo positivo de 62,2 mil vagas de empregos formais. No período, foram admitidas 1,438 milhão de pessoas no mercado de trabalho mineiro contra 1,376 milhão de demissões. O superávit do período superou o déficit de 54,8 mil vagas nos mesmos meses de 2016. Neste recorte, o segmento que mais colaborou para o resultado foi a agropecuária, que abriu 10,1 mil vagas (já descontadas as demissões).

Em contrapartida, nos últimos 12 meses encerrados em outubro deste ano, o Estado eliminou 2,2 mil vagas de empregos formais, resultado menos grave do que o déficit que Minas registrou nos 12 meses terminados no mesmo mês do ano passado, quando foram eliminadas 140,4 mil posições.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

17/02/2018
Sondagem revela retomada do otimismo na construção civil
Apurado pela Fiemg, indicador supera os 50 pontos pela primeira vez desde março de 2014
17/02/2018
Valor liberado para médios e grandes produtores na safra 2017/18 é de R$ 85 bilhões
São Paulo - O montante de crédito rural oficial liberado para médios e grandes produtores no acumulado da safra 2017/18, entre julho do ano passado e janeiro, aumentou 14%...
17/02/2018
Justiça decide que elétricas não poderão ter cobrança retroativa de débitos de R$ 6 bilhões
São Paulo - A Justiça no Distrito Federal reviu na sexta-feira (16) um posicionamento da semana passada, e agora um grupo de elétricas que tinha perdido uma...
17/02/2018
Sebrae pretende atender 69,6 mil MPEs
Projeto da entidade compreende visitas de equipes da entidade nos empreendimentos em Minas Gerais
17/02/2018
Nível de atividade do varejo no Brasil aumenta 1,3% em janeiro, aponta a Cielo
São Paulo - O nível de atividade do varejo brasileiro teve alta de 1,3% em janeiro ante o mesmo período de 2017, descontada a inflação do período,...
› últimas notícias
Sondagem revela retomada do otimismo na construção civil
Valor liberado para médios e grandes produtores na safra 2017/18 é de R$ 85 bilhões
Justiça decide que elétricas não poderão ter cobrança retroativa de débitos de R$ 6 bilhões
Sebrae pretende atender 69,6 mil MPEs
Nível de atividade do varejo no Brasil aumenta 1,3% em janeiro, aponta a Cielo
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Começam as obras do Aeródromo Inhotim
Folia supera expectativas em Belo Horizonte
Mobiliata une empreendedorismo e impacto social
Sondagem revela retomada do otimismo na construção civil
Carnaval aqueceu setor de brindes na Capital
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


17 de fevereiro de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.