Publicidade
20/01/2018
Login
Entrar

Negócios

01/07/2015

Minascon girou R$ 95 milhões em negócios

Evento apresentou novas tendências, atraiu público interessado em qualificação e gerou oportunidades
Da Redação
Email
A-   A+
O público mineiro se despediu de mais uma edição do Minascon/Construir Minas - maior encontro da cadeia produtiva da construção cilvil do Estado. O evento reuniu, de 24 a 27 de junho, no Centro de Feiras e Exposições George Norman Kutova (Expominas), todos os segmentos da indústria da construção civil, com o objetivo de apresentar as novidades, principais tendências, produtos e as mais modernas soluções representadas por cerca de 200 marcas. Segundo os organizadores, ao longo dos quatro dias do evento, foram gerados, aproximadamente, R$ 95 milhões em negócios.

Saiba mais:
Sustentabilidade e tecnologia foram destaques

O Minascon/Construir Minas abrigou, ainda, uma ampla programação composta por grandes eventos técnicos e de capacitação voltados para profissionais de diversas áreas relacionadas ao setor, contabilizando quase 120 horas de palestras, workshops e debates.

Para o presidente da Câmara da Indústria da Construção (CIC) e vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg), Teodomiro Diniz Camargos, este é o momento de união da construção para vencer seus desafios e analisar as oportunidades para o futuro. "Apesar de estarmos vivenciando um momento de queda, estamos nos preparando para anos melhores pela frente, visando reduzir custos, produzir cada vez melhor e mais barato. Cabe destacarmos que algumas questões sociais inadiáveis, como a deficiência da infraestrutura e a carência habitacional necessitam da construção. Por isso, esse encontro é tão importante", destacou.

O diretor de Negócios da Fagga, Victor Montenegro, destacou o aumento do público especializado presente à feira, reflexo da ampliação da programação técnica e de parcerias firmadas com entidades do setor, como o Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Sinduscon-MG), Serviço Social da Indústria da Construção Civil no Estado de Minas Gerais (Seconci-MG), Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), Sindicato das Indústrias de Produtos de Cimento do Estado de Minas Gerais (Siprocimg), Sindicato da Indústria de Cerâmica para Construção e Olaria do Estado de Minas Gerais (Sindicer-MG), Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Associação do Comércio de Materiais de Construção de Minas Gerais (Acomac-MG), Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Estado de Minas Gerais (CAU-MG), entre outras.

"Isto demonstra uma diversificação no perfil dos nossos visitantes e também o aumento do interesse das pessoas em se especializarem", afirmou. Segundo ele, cerca de 3 mil pessoas de várias cidades do interior e até de outros estados participaram da programação. Montenegro afirmou ainda que, diante das dificuldades, a feira superou as expectativas. "Os expositores ficaram muito satisfeitos, pois tiveram a oportunidade de fechar bons negócios, receber um público qualificado e posicionar suas marcas de forma mais estratégica". Montenegro

Leia também

Hotéis da Capital preveem aumento nas taxas de ocupação
Três formas de atrair e reter talentos na era da disrupção
Você sabia que o seguro viagem também serve para cancelamentos de viagem?
Colônias de férias apuram alta de 50% na demanda
Folia contará com cachoeira artificial

Expositores - Prova disso é o retorno positivo dado pelos expositores mais fiéis da feira. O engenheiro civil da Maccaferri, Junio Pereira Gomes, avalia a Construir como um importante canal de relacionamento com os clientes. "Acredito que essa participação institucional é fundamental, principalmente neste momento mais delicado da economia", disse. "Fazemos parte da Construir Minas desde 2010. Sem dúvida, este é um evento especial para o setor, pois contribui com a geração de negócios. Fizemos boas vendas no evento e tivemos a oportunidade de estreitar relações com nossos clientes", afirmou o vendedor da Sotreq, Hudson Silva.

Quem também ficou satisfeito foi o engenheiro da Amanco Rodrigo Feltre. "O evento surpreendeu, foi maravilhoso. Trabalhamos com tubulação, dependemos de muitas variáveis mas, levando em conta as prospecções que fizemos, podemos dizer que geramos cerca de R$ 200 mil em negócios", disse. Entre os expositores estreantes da Construir, quem também se surpreendeu foi o representante da IGui, Gabriel Pessoa. "Esta é nossa primeira participação na Construir Minas. O evento foi acima das nossas expectativas, pois conseguimos gerar negócios e contatos para ampliar as nossas vendas. Certamente, estaremos presentes em 2016."



Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

20/01/2018
Hotéis da Capital preveem aumento nas taxas de ocupação
Sucesso da festa em BH mudou cotidiano do trade
20/01/2018
Três formas de atrair e reter talentos na era da disrupção
Empresas podem se adaptar às mudanças no capital humano, abraçando a flexibilidade, incentivando o intraempreendedorismo e promovendo um senso de propósito
20/01/2018
Você sabia que o seguro viagem também serve para cancelamentos de viagem?
Imagine que a sua viagem está toda programada, passagens compradas, roteiro definido, dinheiro reservado, cartões de crédito desbloqueados e até o roaming internacional...
20/01/2018
Colônias de férias apuram alta de 50% na demanda
Crise é um dos motivadores
20/01/2018
Folia contará com cachoeira artificial
Se toda a espontaneidade e beleza do Carnaval de rua de Belo Horizonte e as programações da prefeitura ainda não eram motivos suficientes para alguns belo-horizontinos ficarem...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.