21/06/2018
Login
Entrar

Internacional

08/03/2018

Montadoras pedem acordo entre blocos em resposta a Trump

Ideia é conter onda protecionista liderada pelos EUA
AE
Email
A-   A+
Construtores Automotivos querem evitar círculo vicioso de medidas semelhantes no mundo/Divulgação
Genebra - As principais montadoras do mundo pedem um acordo comercial entre o Mercosul e Europa como forma de dar uma “resposta” à onda protecionista do presidente Donald Trump, nos Estados Unidos. Para a Oica (Organização Internacional de Construtores Automotivos), existe uma janela de oportunidade de apenas seis meses para que o tratado comercial entre os dois blocos possa ser fechado. O acordo vem sendo negociado há 18 anos e entrou em 2018 em sua reta final.

“Não temos muito tempo para permitir que haja um acordo”, afirmou o presidente mundial da Oica e ex-ministro de Transporte do governo alemão, Matthias Wissmann. “Temos eleições no Brasil e na Argentina. Além disso, o Parlamento Europeu também passará por uma eleição”, apontou. “A janela de oportunidade é de apenas meio ano para que haja um acordo e, por isso, apelamos para que os responsáveis políticos na Europa e no Mercosul façam o possível para chegar a um acordo”, insistiu.

Sua avaliação é de que, com mudanças de governos em ambos os lados, o risco é de que o processo seja adiado por mais alguns anos.

O alemão afirmou ainda que um tratado entre os dois blocos daria um sinal positivo para os mercados, em meio à onda protecionista “O protecionismo está em alta e veja o tom usado nos últimos dias a partir de Washington”, afirmou o executivo, diante do anúncio do governo americano de que irá aplicar tarifas de importação ao setor siderúrgico.

“Precisamos de acordos com o Mercosul para conter a onda protecionista”, disse Wissmann, durante o Salão do Automóvel em Genebra, um dos mais importantes do mundo.

Lobby - As montadoras, reunidas ontem, indicaram que estudam formas de tentar influenciar líderes políticos para “evitar um círculo vicioso de medidas protecionistas”. No fim de semana, Trump acenou para a possibilidade de que, depois do aço, barreiras sejam estabelecidas contra carros europeus e asiáticos.

“Não existem dúvidas de que a competição é dura entre montadoras, mas a realidade é que nenhum país pode satisfazer sua demanda com sua própria produção”, alertou Wissmann. “O livre mercado e fim de barreiras são importantes para o emprego, crescimento e prosperidade”, disse.

Na avaliação do presidente da entidade de montadoras, privilegiar a produção local só faz sentido quando existe a oportunidade de exportar. Mas se mercados estão fechados, esse caminho também não seria viável.

Ele ainda lembrou do papel dos fornecedores, que, em um carro, representam 75% do valor do produto final. “Temos que fazer de tudo para evitar novas barreiras”, afirmou.
“Apelamos para que fronteiras estejam cada vez mais abertas, e não fechadas. O populismo de esquerda ou de direta questiona a abertura comercial. Temos de manter mercados abertos”, completou.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

21/06/2018
UE inicia cobrança a produtos dos EUA amanhã
Taxa de importação será de 25%
21/06/2018
Trump desiste de política de imigração
Washington - O presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, desistiu ontem de uma política de imigração que gerou críticas no país e no exterior,...
21/06/2018
Diretoria do FMI aprova empréstimo à Argentina de US$ 50 bilhões
São Paulo - A diretoria executiva do Fundo Monetário Internacional (FMI) aprovou ontem, pelo prazo de três anos, um empréstimo de US$ 50 bilhões à...
20/06/2018
Áudio com crianças aumenta polêmica de política de imigração
Separação de famílias tem causado comoção no país
20/06/2018
Merkel e Macron entram em acordo por orçamento para investimentos no bloco
Berlim - A chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente francês, Emmanuel Macron, concordaram ontem em criar um orçamento da zona do euro voltado para estímulo a...
› últimas notícias
Conselho da Vale aumenta cautela após desastre da Samarco, em Mariana
Confiança do empresário recua 6,7 pontos
Pesquisa aponta que 92% das empresas do País esperam mais receita e patrimônio até 2020
Presidente Temer afirma que Brasil abriu mais 33 mil vagas formais de emprego em maio
Belgo-Mineira Bekaert investirá R$ 107 mi em planta de Itaúna
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


21 de junho de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.