Publicidade
28 de June de 2017
Login
Entrar

Economia

18/04/2017

MRV alcança o recorde de lançamentos

Ao todo, foram lançadas 7.677 unidades, alta de 15,1% na comparação com o primeiro trimestre do ano passado
Gabriela Pedroso
Email
A-   A+
O preço médio estimado pela construtora por unidade foi de R$ 158 mil/Divulgação
A construtora e incorporadora mineira MRV Engenharia e Participações S/A bateu o recorde de lançamentos no primeiro trimestre de 2017. Atenta às oportunidades no mercado e seguindo o planejamento estratégico à risca, a companhia, sediada em Belo Horizonte, registrou crescimento de 24,5% frente ao intervalo de janeiro a março de 2016 e atingiu R$ 1,2 bilhão em Valor Geral de Vendas (VGV). O desempenho em março foi fundamental para que a empresa tivesse o melhor primeiro trimestre da história de lançamentos.

Ao todo, foram lançadas 7.677 unidades, alta de 15,1% na comparação com o primeiro trimestre do ano passado. O preço médio estimado para cada uma delas foi calculado em R$ 158 mil. O empreendimento Grand Reserva Paulista, em São Paulo (SP), foi o destaque de lançamentos do período. As primeiras fases da obra, considerada o maior projeto da história da MRV, tiveram início em março. De acordo com a empresa, serão 7.296 unidades, todas enquadradas no programa habitacional do governo federal, o “Minha casa, minha vida (MCMV)”.

Minas Gerais obteve o segundo maior número de lançamentos no primeiro trimestre deste ano, equivalente a R$ 274,3 milhões e a uma participação de 23%. O Estado, conforme dados da prévia operacional divulgada ontem, só ficou atrás de São Paulo (R$ 422 milhões), que teve 35% do total. “A gente vem equilibrando cada vez mais nossa oferta com a demanda potencial. Começamos a comprar terrenos há três anos e agora colhemos os resultados desse trabalho”, destaca o diretor executivo de Finanças e Relações com Investidores da MRV, Leonardo Guimarães Corrêa.

Com o País ainda em crise, o gestor explica que a aposta nos lançamentos é resultante mais da política de investimentos da companhia em áreas estratégicas do que de uma expectativa de melhora futura do cenário econômico nacional. “A economia como um todo não está tão forte, mas o importante é que, se você acerta a oferta aonde há demanda, consegue vender mais”, explica Corrêa.

A dedicação no planejamento tem refletido também nas operações da MRV Engenharia junto ao mercado. De janeiro a março, as vendas líquidas da construtora subiram 15% na comparação com o primeiro trimestre de 2016 (R$ 913 milhões), fechando em R$ 1,05 bilhão.

Distratos - O aumento se deu não só pelo maior volume de unidades comercializadas (+24%), como pela queda do número de distratos (-14%) no período. Nos primeiros três meses de 2017, foram vendidas 6.898 unidades líquidas e houve 1.864 negócios desfeitos.

Uma das formas encontradas pela MRV para diminuir o número de distratos e incrementar a efetivação das vendas foi a criação do projeto “Venda Garantida”, no fim de 2016. Por meio dele, a construtora realiza uma avaliação completa do potencial comprador e só conclui a venda para aquele que realmente apresenta condições de adquirir financiamento junto aos bancos.

No primeiro trimestre deste ano, a geração de caixa da construtora chegou a R$ 75 milhões, valor inferior aos R$ 180 milhões registrados de janeiro a março de 2016.

Segundo a empresa, a redução ocorre como reflexo do aumento dos gastos com terrenos e construção e com a postura ainda restritiva de um dos bancos parceiros, impactando as vendas. A expectativa, no entanto, é de que esses efeitos sejam minimizados no segundo semestre.

Atualmente, dos R$ 41,4 bilhões que a MRV Engenharia possui em banco de terrenos - alta de 14,1% frente aos três primeiros meses do ano passado -, R$ 2,5 bilhões já detêm registro de incorporação (RI) emitidos, o que equivale a 17 mil unidades.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

28/06/2017
Conjuntura: Retomada depende de ajuste fiscal
Para especialistas, investimentos em infraestrutura devem vir depois das reformas
28/06/2017
Construção: Setor mostra mais otimismo em junho
São Paulo - O Índice de Confiança da Construção (ICST), calculado pela Fundação Getulio Vargas (FGV), subiu levemente (alta de 0,2 ponto) em...
28/06/2017
Comércio: Crise política afeta confiança dos empresários
Rio de Janeiro - O Índice de Confiança do Comércio (Icom) recuou 2,9 pontos na passagem de maio para junho, saindo de 88,6 pontos para 85,7 pontos, informou ontem a...
28/06/2017
Petróleo e gás: Negociações podem destravar R$ 240 bilhões
Estimativa da ANP leva em consideração os investimentos nas atividades de 20 navios-plataformas
28/06/2017
Jaguar obtém autorização para explorar área na RMBH
Ativo está localizado próximo ao complexo minerador de Caeté
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.