Publicidade

DC Auto

03/03/2017

Nissan Sentra é uma boa opção de sedan

Modelo, que traz pacote completo, tem no custo-benefício sua maior arma para brigar no segmento
José Oswaldo Costa
Email
A-   A+
A Nissan investiu pesado nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, no ano passado, para se tornar mais conhecida do público brasileiro. Na opinião da sua diretoria, faltava visibilidade para a marca no País.

Como o mercado de automóveis nem sempre se mostra uma ciência exata, muito pelo contrário, ao que parece a estratégia não deu muito certo. Ao menos, no que diz respeito ao sedan-médio Sentra.

Quando lançou a geração 2017, ainda no ano passado, a montadora tinha como objetivo manter a 3ª colocação do segmento, ficando atrás somente do Toyota Corolla e do Honda Civic. O modelo da Nissan chegou sem muito alarde e, dono de um ótimo custo-benefício, foi ganhando mercado.

Porém, alguns de seus concorrentes se modernizaram em termos de motorização e a situação mudou bastante. Chevrolet Cruze e Volkswagen Jetta ganharam novos motores, no melhor estilo downsizing, optando pela baixa cilindrada aliada ao turbo. Ou seja, econômicos e potentes.

Dessa forma, o Sentra acabou encerrando 2016 na quinta colocação do seu nicho de mercado. Na 1ª posição, ainda imbatível, ficou o Toyota Corolla (64.740 unidades).

O Honda Civic, que também ganhou a opção de um motor pequeno e turbinado, permaneceu na 2ª colocação: 20.857 unidades emplacadas. O Chevrolet Cruze alcançou a 3ª colocação (12.064 unidades) e o VW Jetta, que passou a contar com um moderno motor da família TSI, encerrou 2016 em quarto lugar (8.654 unidades).

Como dissemos, coube ao Sentra a 5ª colocação, com suas 6.288 unidades comercializadas. Os números são da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

DC Auto recebeu uma unidade do Sentra, para avaliações, em sua versão topo de linha (SL). E, pelo que pudemos observar, sua queda nas vendas deve estar muito ligada à falta de um moderno motor, como os utilizados pelos concorrentes.

Isso porque o modelo da Nissan continua contando com um dos mais completos pacotes do segmento. Como exemplo, podemos citar os importantes controles de estabilidade e tração, presentes no Sentra desde a sua versão de entrada (S) enquanto o líder, Toyota Corolla, não conta com esses importantes sistemas de segurança sequer em sua versão topo de linha (Altis).

Como demos muita ênfase a motores, devemos citar que o Sentra conta com um 2.0 16V capaz de render até 140 cv e torque de 20 kgfm. Se não passa a empolgação de um modelo esportivo, está em acordo com o segmento que ocupa. Sua família será transportada com toda a segurança e conforto, seja na estrada, seja na cidade.

Ajuda muito nesse quesito o ótimo “casamento” entre o propulsor e o câmbio automático do tipo CVT (continuamente variável). Em comparação com a geração anterior do sedan, ele é 13% mais leve e produz 30% menos atritos.

Rodando, o Nissan Sentra é bastante confortável. O conjunto da suspensão trabalha muito bem no que diz respeito a filtrar as imperfeições do piso. E isso sem deixar que o veículo fique muito “mole” para contornar curvas, mesmo as mais fechadas.

Nesse ponto também foram feitas alterações na comparação com a geração anterior. Foi adicionado um reforço na barra estabilizadora da suspensão traseira, além de uma melhora no embuchamento de rolamentos e amortecedores para aperfeiçoar a dirigibilidade e reduzir o efeito de trepidação no interior.

Leia também
Segurança, ponto alto do japonês


Interior – Por falar em interior, esse permanece sendo um destaque. Materiais de qualidade no acabamento chamam a atenção. Todos os passageiros viajam com bastante conforto. As novidades principais ficam por conta do quadro de instrumentos em TFT, do sistema de som (da marca Bose) e dos três sistemas de segurança (pacote Safety Shield) que auxiliam o condutor: alerta de ponto cego; alerta de colisão frontal e alerta de tráfego cruzado traseiro.

Destaque, também, para o volante com novo desenho, bem mais moderno, esportivo e funcional. A versão topo de linha avaliada traz, no quadro de instrumentos, um display LCD de 5 polegadas colorido e de alta resolução.

Agora, todo o painel central, inclusive a parte onde está localizada a alavanca de mudanças, recebeu acabamento em black piano, que traz mais requinte.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

24/03/2017
Nissan lança a 12ª geração da picape Frontier
Modelo ganhou novo powertrain
24/03/2017
Fiat Chrysler Automobiles em compasso de espera
Quando a General Motors anunciou a venda das marcas Opel e Vauxhal, no início desse ano, estava claro que outros movimentos no setor automotivo iriam se processar. O comprador foi...
17/03/2017
Toyota aprimora segurança do Corolla
A edição 2018 do líder de vendas passa a ter, em todas as versões, controles de estabilidade e tração
17/03/2017
Honda apresenta o WR-V, um cross Fit
A montadora japonesa lançou, nessa semana, o WR-V. Por mais que se refira a ele como um utilitário esportivo (SUV) compacto, não há como negar o óbvio: trata-se...
17/03/2017
Multimídia com tela de sete polegadas
As mudanças no modelo para a linha 2018 também chegaram ao interior. O quadro de instrumentos (dois tipos, dependendo da versão) passou por alterações...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.