Publicidade
25/02/2018
Login
Entrar

Finanças

12/10/2017

Noticiário político derruba a bolsa de valores

Índice acionário apresentou queda de 0,31% na sessão de quarta-feira e dólar também perdeu força
FP
Email
A-   A+
Ações ordinárias da Vale recuaram 0,7%, acompanhando a queda nos preços internacionais do minério de ferro/Agência Vale/Divulgação
São Paulo - A bolsa brasileira recuou na quarta-feira com os investidores acompanhando o desenrolar da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer. No mercado cambial, o dólar perdeu força ante o real após a ata da última reunião do banco central americano expressar preocupação com a inflação no país.

O Ibovespa, que reúne as ações mais negociadas, caiu 0,31%, para 76.659 pontos. O giro financeiro foi de R$ 10,451 bilhões, superior à média diária do ano, em R$ 8,3 bilhões.

O dólar comercial se desvalorizou 0,40%, para R$ 3,172. O dólar à vista perdeu 0,31%, para R$ 3,167.

A política voltou a turvar o ânimo do investidor com o mercado financeiro brasileiro, mesmo após o deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) apresentar, na última terça, relatório recomendando à Câmara barrar a tramitação da denúncia contra o presidente e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral).

“A dúvida do mercado é de quanto que vai ser gasto em capital político para ele se manter. Espera-se que ele seja absolvido, como aconteceu na primeira denúncia, mas o capital político que ele está gastando agora é maior, o que compromete o ajuste fiscal”, afirma Roberto Indech, analista-chefe da Rico Corretora.

Dentro da própria base governista já há sinais de que Temer não terá vida fácil. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), contrariou o governo e não encerrou a sessão do plenário para permitir que a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) começasse a leitura do relatório da denúncia.

“Mesmo uma reforma da Previdência mais enxuta que a inicial está difícil, por causa desse embate”, avalia Indech.

Ações - Das 59 ações do Ibovespa, 25 subiram e 34 recuaram nesta quarta. As ações do setor educacional lideraram as baixas do Ibovespa. Os papéis da Kroton recuaram 5,72%, enquanto os da Estácio perderam 3,68%.

A mineradora Vale fechou no vermelho nesta sessão. As ações ordinárias recuaram 0,70%, para R$ 31,10. As preferenciais se desvalorizaram 0,66%, para R$ 28,61. Os preços do minério de ferro caíram 2,23% neste pregão.

A Petrobras também teve queda nesta quarta, apesar de nova sessão positiva para os preços do petróleo. O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) considerou complexa a compra, pelo grupo mexicano Petrotemex, da Companhia Petroquímica de Pernambuco (PSuape) e da Companhia Integrada Têxtil de Pernambuco (Citepe), ativos da Petrobras.

As ações preferenciais da estatal caíram 0,68%, para R$ 16,08. Os papéis ordinários caíram 0,48%, para R$ 16,64.

No setor bancário, as ações do Itaú Unibanco recuaram 0,55%. Os papéis preferenciais do Bradesco perderam 0,43%, e os ordinários caíram 0,06%. O Banco do Brasil teve ganho de 0,08%, e as units - conjunto de ações - do Santander Brasil tiveram desvalorização de 1,88%.

O CDS (credit default swap, espécie de termômetro de risco-país) caiu, após três altas seguidas. O CDS recuou 1,19%, para 184,5 pontos.

No mercado de juros futuros, os contratos mais negociados fecharam em baixa. O DI para janeiro de 2018 recuou de 7,416% para 7,401%. A taxa para janeiro de 2019 teve baixa de 7,310% para 7,290%.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

24/02/2018
Fitch rebaixa o rating do Brasil para BB-
Desistência do governo federal em votar a reforma da Previdência é apontada como principal motivo
24/02/2018
Bolsa de valores atinge os 87 mil pontos
São Paulo - Nem mesmo o novo rebaixamento da nota de crédito do Brasil foi capaz de impedir o Ibovespa de marcar uma nova máxima histórica, aos 87 mil pontos, na...
24/02/2018
IPCA-15 tem a menor variação para fevereiro desde 1994, segundo IBGE
Rio - O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15) registrou alta de 0,38% em fevereiro, após ter avançado 0,39% em janeiro, informou na sexta-feira...
24/02/2018
Resgates no Tesouro Direto aumentam
Brasília - O programa Tesouro Direto registrou um resgate líquido de R$ 1,668 bilhão em janeiro, de acordo com balanço divulgado na sexta-feira pelo Tesouro Nacional....
23/02/2018
Fitch rebaixa Brasil a "BB-" e cita retrocesso após governo desistir de Previdência
› últimas notícias
IBGE apura aumento de 2,1% no número de pessoas ocupadas em Minas Gerais
Atividade econômica avança no Sudeste, Nordeste e Sul, e recua no Norte e Centro-Oeste do País
Produção recua em Minas, mas setor mantém o otimismo
Aneel confirma bandeira verde em março
Jucemg apura aumento no número de empresas abertas
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:




Cadastrar
› Mais Lidas
Magistrados federais anunciam paralisação
Fiemg investe em Centro de Treinamento
Tribunal investigará contas do Estado
Por temor, México recorre a milho do Brasil
Multicoisas vai abrir 35 lojas em 2018
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


23 de fevereiro de 2018
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.